PRÁTICAS PEDAGÓGICAS CURRICULARES: uso das tecnologias na contemporaneidade.

Palavras-chave: Currículo, Prática pedagógica, Tecnologia

Resumo

O trabalho intitulado: Práticas Pedagógicas Curriculares e uso das tecnologias na contemporaneidade. Buscou compreender o currículo e sua relação com a prática pedagógica, utilizando as tecnologias educacionais no ensino fundamental de nove anos. Para alcançar os objetivos, utilizou-se de revisão bibliográfica, com embasamento teórico na legislação educacional e autores, tais como: Anastasiou (2004), Kensky (2007), Lévy (1998), Perrenoud (2000), Sacristán (2000), Vasconcelos (1996), entre outros. No decorrer da pesquisa buscou-se desenvolver análise qualitativa. Quanto aos resultados, os mesmos foram satisfatórios, pois possibilitaram a busca de novas pesquisas direcionadas as práticas pedagógicas, curriculares e uso das tecnologias no ensino fundamental de nove anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Damião Trindade Rocha, Universidade Federal do Tocantins

Doutor em Educação/UFBA, (2009). Mestre em Educação Brasileira/UFG, (2002). Pedagogo. Coordenador do Mestrado Profissional em Educação UFT. Sócio da Associação Brasileira de Currículo (ABdC). Sócio da Associação Nacional de Pesquisa em Educação (Anped). Sócio da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Associado da Rides (Rede Inter-regional Norte, Nordeste e Centro-Oeste sobre Docência na Educação Básica e Superior). Membro do Comitê Técnico-Científico da UFT. Membro do Comitê Gestor Institucional da UFT para Formação Continuada de Professores. Membro do Fórum Permanente Estadual de Educação do Tocantins. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFT (Mestrado Acadêmico e Mestrado Profissional). Ex Coordenador do Sistema Universidade Aberta do Brasil - UAB/Capes na UFT (2012-2017). Ex Diretor de Tecnologias Educacionais DTE/Reitoria/UFT. (2012-2017). Ex-Docente do Programa Interdisciplinar em Práticas Jurisdicionais e Direitos Humanos da UFT. Ex-Coordenador do curso semestral de Pedagogia da UFT. Ex-Coordenador do curso modular de Pedagogia (PARFOR). É avaliador ad-hoc da Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos e da Revista de Educação da Unemat. Consultor ad-hoc de projetos do MEC no SIGprojet. Consultor ad-hoc da UFFS - Campus de Realeza. É consultor-parecerista do Guia do Estudante da Editora Abril para os cursos de Pedagogia. Ex-Pesquisador do programa PROCAD UFT/Capes/UFG. Foi docente da Uepa, Unitins. Tem experiência como consultor, avaliador externo de ações, programas e projetos educacionais. Líder de grupo de pesquisa da plataforma Lattes/CNPq na área de Currículo. Sua atuação tem ênfase em Docência, Gestão e Formação de Professores, atuando principalmente nos seguintes temas: Teorias do Currículo; Currículo da Educação Infantil; Currículo do Ensino Fundamental; Currículo e intersecções com diversidade sexual e de gênero; Currículo na interzona das tecnologias digitais. E-mail: damiao@uft.edu.br. 

Clerislene da Rocha Morais Nogueira, Universidade Federal do Tocantins

Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Especialista em Educação Infantil pela UFT. E-mail: clerislene@uft.edu.br.

José Luis dos Santos Sousa, Universidade Federal do Tocantins

Graduação em Pedagogia pela Faculdade Internacional de Curitiba - FACINTER, graduado em Ciências com habilitação em Biologia pela Universidade Estadual do Maranhão - UEMA, graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Maranhão - UFMA, pós-graduado em PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL e ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA DA ESCOLA: SUPERVISÃO ESCOLAR ambas pela Faculdade Internacional de Curitiba - FACINTER, pós-graduado em EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA pela Faculdade de Teologia Hokemãh - FATEH e pós-graduado em PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO pela Universidade Estadual do Maranhão - UEMA.  Mestrando em Educação pela Universidade Federal do Tocantins - UFT. E-mail: joseluispsicopedagogo@outlook.com. 

Graciene Reis de Sousa, Universidade Federal do Tocantins

Graduação em Licenciatura Plena em História pela Universidade Estadual do Maranhão - UEMA (2005). Especialista em Psicopedagogia Institucional pela Universidade Estadual do Maranhão - UEMA (2006). Mestranda no Mestrado Profissional em Educação pela Universidade Federal do Tocantins - UFT - Campus Palmas (2017). Docente Efetiva na área de História, com Dedicação Exclusiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins – IFTO - Campus Dianópolis. E-mail: graciene.sousa@ifto.edu.br. 

Referências

ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. Processo de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville, SC: Universille, 2004.

ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, P. L. Ensinar, aprender, apreender e processos de ensinagem. Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville: Univille, 2003.

ANASTASIOU, L.G.C. Metodologia do Ensino Superior: da prática docente a uma possível teoria pedagógica. Curitiba, IBPEX, 1998.

BRANDÃO, C. R. O que é Educação. 21. ed. São Paulo: Brasiliense, 1998.

BRASIL (2003). Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. In: Ensino Fundamental de Nove Anos – orientações gerais. Brasília: Secretaria de Educação Básica, 2004.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB - Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

GONSALVES, E. P. Educação Biocêntrica: o presente de Rolando Toro para o pensamento pedagógico. 2º ed. Editora Universitária-UFPB, 2009.

HAMILTON, D. Sobre as origens dos termos classe e curriculum. Teoria & Educação, n. 6, p. 33-51, 1992.

KENSKI, Vani Moreira. Educação e tecnologia: O novo ritmo da informação. Campinas SP: Papirus, 2007. – (Coleção Papirus Educação).

LEMOS, S. D. PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE NAS ESCOLAS PÚBLICAS DO ESTADO DE TOCANTINS: novo contexto de ensino e aprendizagem pelas tecnologias digitais. Revista Observatório, v. 2, n. 4, p. 394-418, 30 out. 2016.

LÉVY, Pierre. A máquina universo: criação, cognição e cultura informática. Porto Alegre: Art. Med. 1998.

LÉVY, Pierre. As Tecnologias da Inteligência. Editora 34, Nova Fronteira, RJ, 1994.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência. São Paulo: Ed. 34, 1997.

LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5.ed. Goiânia: Alternativa, 2004.

LIBÂNEO, J. C. Pedagogia e pedagogos para que? 9ª ed. São Paulo: Cortez, 2007.

LOPES, P.; PEREIRA, S.; MOURA, P.; CARVALHO, A. Avaliação de competências de literacia mediática: o caso português. Revista Observatório, v. 1, n. 2, p. 42-61, 8 dez. 2015.

MIRANDA-PINTO, M. S.; MONTEIRO, A. F.; OSÓRIO, A. J. POTENCIALIDADES E FRAGILIDADES DE ROBÔS PARA CRIANÇAS EM IDADE PRÉ ESCOLAR: 3 A 6 ANOS. Revista Observatório, v. 3, n. 4, p. 302-330, 1 jul. 2017.

MOURA, A. METODOLOGIAS DE APRENDIZAGEM QUE DESAFIAM OS ALUNOS, MEDIADAS POR TECNOLOGIAS DIGITAIS. Revista Observatório, v. 3, n. 4, p. 256-278, 1 jul. 2017.

PERRENOUD, P. 10 novas competências para ensinar: convite a viagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

PERRENOUD, P. Currículo real e trabalho escolar. In: Ofício de aluno e sentido do trabalho escolar. Porto: Porto Editora, 1995.

PINHO, M. J. DE. UNIVERSIDADE E CRISE INSTITUCIONAL: perspectivas de uma formação humana. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 274-315, 1 out. 2017.

PRATEANO, V. F. “Na escola se aprende, não se ensina”. Bernardo Toro. Gazeta do Povo. 2013. Acesso: 19 de abril de 2017.

SACRISTÁN J. G. Aproximação ao conceito de currículo. In: O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

SACRISTÁN J. G. O currículo: os conteúdos do ensino ou uma análise prática. 4. ed. Porto Alegre: ArtMed, 2000.

SILVA, B. D.; SARTORI, A. S.; MARTINI, R. G. AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COMO AGENTES DE INTEGRAÇÃO DO CURRÍCULO COM A GLOCALIDADE. Revista Observatório, v. 3, n. 4, p. 387-406, 1 jul. 2017.

VALENTE, J.A. Aprendizagem por projeto: o fazer X o compreender. Artigo publicado Coleção Série Informática na Educação – TV Escola, 2002.

VASCONCELLOS, C. S. Construção do Conhecimento em Sala de Aula. São Paulo, Libertad, 1996.

VEIGA, I. P. A. Organização didática da aula: um projeto colaborativo de ação imediata. Campinas, SP: Papirus, 2008. p. 15 - 42.

VIANA, J.; COSTA, F. A.; PERALTA, H. APRENDIZAGENS PESSOAIS EM CONTEXTOS INFORMAIS: oportunidades criadas pela Internet. Revista Observatório, v. 3, n. 4, p. 190-231, 1 jul. 2017.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

YOUNG, M. F. D. Para que servem as escolas? Educação & Sociedade, v. 28, n. 101, p. 1287-1302, 2007. Disponível em: < http://cedes.unicamp.br>. Acesso em 03 de maio de 2017.

Publicado
2018-08-01
Como Citar
ROCHA, J. D. T.; NOGUEIRA, C. DA R. M.; SOUSA, J. L. DOS S.; SOUSA, G. R. DE. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS CURRICULARES: uso das tecnologias na contemporaneidade. Revista Observatório, v. 4, n. 5, p. 673-694, 1 ago. 2018.