FORMAÇÃO DOCENTE: uso das tecnologias como ferramentas de interatividade no processo de ensino

  • José Damião Trindade Rocha Universidade Federal do Tocantins
  • Clerislene da Rocha Morais Nogueira Universidade Federal do Tocantins
Palavras-chave: EaD

Resumo

Este trabalho intitulado: Formação Docente: uso das tecnologias como ferramentas de interatividade no processo de ensino. Teve como objetivo, analisar a formação de professores e uso das tecnologias como ferramentas interativas no processo de ensino e aprendizagem dos alunos. A pesquisa constituiu-se num objeto de estudo, visando abordar a formação, o ensino e uso das tecnologias. Sendo assim, buscou embasamento teórico nos autores: Anastasiou (2003); Fagundes (1997); Ferreira (2003); Garcia (1999); Libâneo (2003); Lévy (1998); Mercado (1999); Marin (2000); Rocha (2009); entre outros. No decorrer da pesquisa buscou-se desenvolver análise qualitativa e documental. Quanto ao resultado da pesquisa, os resultados foram satisfatórios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Damião Trindade Rocha, Universidade Federal do Tocantins

Doutor em Educação/UFBA, (2009). Mestre em Educação Brasileira/UFG, (2002). Pedagogo. Coordenador do Mestrado Profissional em Educação UFT. Sócio da Associação Brasileira de Currículo (ABdC). Sócio da Associação Nacional de Pesquisa em Educação (Anped). Sócio da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Associado da Rides (Rede Inter-regional Norte, Nordeste e Centro-Oeste sobre Docência na Educação Básica e Superior). Membro do Comitê Técnico-Científico da UFT. Membro do Comitê Gestor Institucional da UFT para Formação Continuada de Professores. Membro do Fórum Permanente Estadual de Educação do Tocantins. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFT (Mestrado Acadêmico e Mestrado Profissional). Ex Coordenador do Sistema Universidade Aberta do Brasil - UAB/Capes na UFT (2012-2017). Ex Diretor de Tecnologias Educacionais DTE/Reitoria/UFT. (2012-2017). Ex-Docente do Programa Interdisciplinar em Práticas Jurisdicionais e Direitos Humanos da UFT. Ex-Coordenador do curso semestral de Pedagogia da UFT. Ex-Coordenador do curso modular de Pedagogia (PARFOR). É avaliador ad-hoc da Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos e da Revista de Educação da Unemat. Consultor ad-hoc de projetos do MEC no SIGprojet. Consultor ad-hoc da UFFS - Campus de Realeza. É consultor-parecerista do Guia do Estudante da Editora Abril para os cursos de Pedagogia. Ex-Pesquisador do programa PROCAD UFT/Capes/UFG. Foi docente da Uepa, Unitins. Tem experiência como consultor, avaliador externo de ações, programas e projetos educacionais. Líder de grupo de pesquisa da plataforma Lattes/CNPq na área de Currículo. Sua atuação tem ênfase em Docência, Gestão e Formação de Professores, atuando principalmente nos seguintes temas: Teorias do Currículo; Currículo da Educação Infantil; Currículo do Ensino Fundamental; Currículo e intersecções com diversidade sexual e de gênero; Currículo na interzona das tecnologias digitais.

Referências

ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, P. L. Ensinar, aprender, apreender e processos de ensinagem. Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville: Univille, 2003.

ANDALÉCIO, A.M. L.; MARTELETO, R. M. A comunicação científica e as Tecnologias da informação e comunicação. 2006. Brasília. Anais. Universidade de Brasília, 2006. Disponível em: http://portal.cid.unb.br/Acesso em: 30 mar. 2017

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho – Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. Ed. Boitempo, São Paulo, 1999.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues, O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 2004.

BRASIL. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. (Senado Federal, Brasília. DF).

CHIECHER, A. C.; FICCO, C. R.; PAOLONI, P. V.; GARCÍA, G. A. ¿Qué mueve a los estudiantes exitosos? Metas y motivaciones de universitarios en las modalidades presencial y distancia. Revista Observatório, v. 2, n. 2, p. 301-326, 30 maio 2016.

ELHAJJI, M.; ESCUDERO, C. WEBDIÁSPORA: Migrações, TICs e memória coletiva. Revista Observatório, v. 2, n. 5, p. 334-363, 25 dez. 2016.

FAGUNDES, L. C.; BASSO, M. V. Informática Educativa e Comunidades de Aprendizagem. Identidade Social e a Construção do Conhecimento. Porto Alegre: SMED, 1997.

FERREIRA, Naura Syria Carapelo. Formação Continuada e Gestão da Educação no contexto da cultura globalizada. São Paulo. Cortez, 2003.

GARCIA, Carlos Marcelo. Formação de Professores – para uma mudança educativa. Portugal. Porto Editora. 1999.

GONÇALVES MAIA, M. F.; TRINDADE ROCHA, J. D.; MERIQUI RODRIGUES, M. MÍDIAS EDUCATIVAS “MAIS MULHERES”: um centro de documentação interdisciplinar de gênero e comunicação em Palmas, Tocantins, Brasil. Revista Observatório, v. 3, n. 4, p. 427-444, 1 jul. 2017.

GOUNET, Thomas. Fordismo e toyotismo na civilização do automóvel. Ed. Boitempo; São Paulo, 1999.

KUENZER, Acacia Zeneida. A educação profissional nos anos 2000: a dimensão subordinada da política de inclusão. Educ. Soc., Campinas, 2006. Disponível em <http://www.cedes.unicamp.br. Acessado em 23/11/2017.

LIBÂNEO, José Carlos. Oliveira, João Ferreira, Toschi, Mirza Seabra Educação escolar, estrutura e organização, São Paulo: Cortez, 2003.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: Teoria e Prática. Goiânia, Editora alternativa, 2001.

LÉVY, Pierre. A máquina universo: criação, cognição e cultura informática. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

MARIN, Alda Junqueira. Educação Continuada: Reflexões, alternativas. Campinas, SP: Papirus, 2000.

MARX, Karl. O Trabalho Alienado. Conceito marxista do homem. 3. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1964.

MERCADO, Luiz Paulo Leopoldo. Formação continuada de professores e novas tecnologias. Maceió: EDUFAI, 1999.

MOURA, A. Metodologias de aprendizagem que desafiam os alunos, mediadas por tecnologias digitais. Revista Observatório, v. 3, n. 4, p. 256-278, 1 jul. 2017.

NÓVOA, Antônio. Formação de professores e profissão docente. Os Professores e a sua formação. Lisboa: Nova Enciclopédia, publicações Dom Quixote, 1992.

PASINATO, N. M. B.; KOH, N. K. Ambientes de aprendizagem e tecnologias: os desafios discentes na construção do pensamento crítico em escolas de Cingapura. Revista Observatório, v. 5, n. 1, p. 243-275, 14 jan. 2019.

PRIMO, Alex. Interação mediada por computador. 3ª Edição, Porto Alegre: Sulina, 2011.

ROCHA, José Damião Trindade. A presença ausente das tecnologias digitais no curso de pedagogia da UFT: interconexão e hibridações da educação e comunicação como interzona contemporânea. Salvador – BA, 2009.

ROCHA, J. D. T.; SOARES FILHO, V. UAB NA FEDERAL DO TOCANTINS: uma experiência de colaboração, gestão e inovação na educação mediada por tecnologias. Revista Observatório, v. 5, n. 3, p. 33-49, 1 maio 2019.

ROCHA, J. D. T.; NOGUEIRA, C. DA R. M.; SOUSA, J. L. DOS S.; SOUSA, G. R. DE. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS CURRICULARES: uso das tecnologias na contemporaneidade. Revista Observatório, v. 4, n. 5, p. 673-694, 1 ago. 2018.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro & ARAUJO. Jose Carlos Souza. & KAPUZINIAK. Célia. Docência. Uma construção ético-profissional. Campinas, SP. Papirus, 2005.

VEIGA, Ilma Passos A. Profissão docente: novos sentidos, novas perspectivas. Campinas: Papirus, 2008.

VIANA, J.; COSTA, F. A.; PERALTA, H. Aprendizagens pessoais em contextos informais: oportunidades criadas pela Internet. Revista Observatório, v. 3, n. 4, p. 190-231, 1 jul. 2017.

Publicado
2019-10-01
Como Citar
ROCHA, J. D. T.; NOGUEIRA, C. DA R. M. FORMAÇÃO DOCENTE: uso das tecnologias como ferramentas de interatividade no processo de ensino. Revista Observatório, v. 5, n. 6, p. 578-596, 1 out. 2019.