Formação docente para as Altas Habilidades e Superdotação: Uma revisão sistemática

Autores

  • Manoel Soares Aragão Universidade Estadual de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.20873/RELPE.2447-6293.e202311

Palavras-chave:

Currículo escolar. Teoria crítica do currículo. Educação étnico-racial. Preconceito racial. Identidades negadas

Resumo

A escola recebe alunos superdotados e com altas habilidades, todavia, são muitos os desafios para atender esse alunado, seja pela falta de formação específica do professor, seja pela própria condição didática-pedagógica da escola. Nesse sentido, a presente pesquisa tem como objetivo identificar e analisar o estado da formação docente com foco nas altas habilidades/superdotação, em artigos selecionados na plataforma SciELO, a partir da pergunta: como os professores são formados com foco nos alunos com AH/SD para atendê-los, conforme suas particularidades? Do ponto de vista metodológico, a pesquisa é uma revisão sistemática, a qual tem como recorte temporal, artigos publicados no período de 2014 a 2022. O objeto de análise é a formação docente com foco nas AH/SD, tendo os artigos selecionados, como amostra. Os resultados apontam desinteresse de professores em se formar para trabalhar com alunos superdotados, assim como há desinformação sobre a temática e consequentemente, falta atendimento adequado.

Biografia do Autor

Manoel Soares Aragão, Universidade Estadual de Goiás

Pedagogo. Mestre em Ciências da Educação pela Universidade Autônoma de Assunção. Especialista em Psicopedagogia e Metodologia do Ensino Superior. Professor Efetivo da Universidade Estadual de Goiás (UEG). E-mail: aragao132015@gmail.com

Referências

ARANTES-BRERO, Denise Rocha Belfort, CAPELLINI Vera Lucia Messias Fialho, Possibilidades da Consultoria Colaborativa para a Formação de Educadores que Atuam junto a Estudantes com Altas Habilidades/Superdotação, Psicologia: Ciência e Profissão 2022 v. 42.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1990.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº. 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Publicada no diário oficial em 23 de dez. de 1996.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Plano Nacional de Educação PNE 2014-2024: Linha de Base. – Brasília, DF: Inep, 2015.

DARUB, Ana Keully Gadelha dos Santos, SOARES, Gardênia Lídia Chaves, SANTOS, PricilaKohis dos. Formação docente inicial e as discussões sobre a inclusão. Análise do currículo do curso de Pedagogia de uma universidade pública da região norte do Brasil. Intercâmbios, vol. 7. Montevideo, 2020.

MARTINS, Bárbara Amaral, CHACON, Miguel Claudio Moriel, ALMEIDA Leandro da Silva. Altas habilidades/superdotação na formação de professores brasileiros e portugueses: um estudo comparativo entre os casos da UNESP e da UMINHO. Educação em Revista, Belo Horizonte,2020

MARTINS, Bárbara Amaral, CHACON, Miguel Claudio Moriel, ALMEIDA Leandro da Silva. Estudo comparativo luso-brasileiro sobre a formação inicial de professores em altas habilidades/superdotação com enfoque nos conteúdos curriculares. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, 2018.

MENDONÇA, Lurian Dionizio, RODRIGUES Olga Maria Piazentin Rolim, CAPELLINI, Vera Lucia Messias Fialho.Alunos com altas habilidades/superdotação: como se veem e como são vistos por seus pais e professores.Educar em Revista, Curitiba, 2020.

OLIVEIRA, Ana Paula de, CAPELLINI Vera Lucia Messias Fialho, RODRIGUES, Olga Maria Piazentin Rolim. Altas Habilidades/Superdotação: Intervenção em Habilidades Sociais com Estudantes, Pais/Responsáveis e Professoras.

Downloads

Publicado

2023-07-30

Como Citar

ARAGÃO, Manoel Soares. Formação docente para as Altas Habilidades e Superdotação: Uma revisão sistemática. RELPE: Revista Leituras em Pedagogia e Educação, [S. l.], v. 7, n. 1, p. e202311, 2023. DOI: 10.20873/RELPE.2447-6293.e202311. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/relpe/article/view/17160. Acesso em: 16 jun. 2024.