AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COMO AGENTES DE INTEGRAÇÃO DO CURRÍCULO COM A GLOCALIDADE

Palavras-chave: tecnologia educativa, educomunicação, currículo escolar, audiovisual, ecossistema comunicativo

Resumo

A partir de um estudo de caso qualitativo sobre o programa de extensão Educom.Cine, que promoveu a produção audiovisual no ensino fundamental, refletimos sobre a possibilidade das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) se configurarem como a espinha dorsal de um currículo mais atento aos processos de integração da escola com sua localidade. Nesta perspectiva, a escola se tornaria o centro de gerenciamento de diversos canais comunitários de comunicação, onde a produção escolar seria vinculada e publicizada à toda a comunidade. Esta se configuraria em uma proposta de integrar o uso das TIC no ambiente escolar com seu uso não-formal, estimulando os estudantes a agir no local (bairro) pensando também no global, numa perspectiva glocal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bento Duarte Silva, Universidade do Minho - UMinho

Bento Duarte da Silva é Professor Catedrático do Instituto de Educação da Universidade do Minho, Doutorado em Educação, na área da Tecnologia Educativa. Atualmente, é Diretor do Departamento de Estudos Curriculares e Tecnologia Educativa. Foi Vice-Presidente do Instituto de Educação e Psicologia (2003-2010) e Vice-Presidente do Instituto de Educação (2010-2013). É membro do Centro de Competência da UMinho para a área das Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação (TICE). Desenvolve atividades de docência, pesquisa e orientação nos Programas de Mestrado e de Doutoramento na área de Tecnologia Educativa. É Autor de diversos trabalhos de investigação sobre Tecnologia e Comunicação Educacional, recaindo os seus atuais interesses de investigação na conceção, desenvolvimento e avaliação de estratégias para a integração das TDIC (Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação) na Educação, particularmente na Educação Online.

Ademilde Silveira Sartori, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo. Professora do Departamento de Pedagogia da UDESC.É sócia fundadora da Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais da Educomunicação, coordena o Laboratório de Mídias e Práticas Educativas - LAMPE/FAED/UDESC. É Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação da UDESC. Tem experiência na área de Educação e Comunicação, com ênfase em tecnologia educacional e formação de professores. Atua principalmente nos seguintes temas: comunicação e educação, educomunicação, mídia e educação, ecossistemas comunicativos. É líder do Grupo de Pesquisa Educação, Comunicação e Tecnologia (EducomFloripa), CNPq/UDESC.

Rafael Gué Martini, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Professor da área de Educação e Comunicação na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), no Centro de Educação a Distância (CEAD). Coordenador do Laboratório de Educação Linguagem e Arte (LELA/UDESC), onde desenvolve projetos de ensino, pesquisa e extensão na área da Educomunicação e do Audiovisual. Formado em Comunicação Social: Habilitação em Jornalismo e Mestre em Educação, na linha Educação, Comunicação e Tecnologia, pela (UDESC). Doutorando em Educação da Universidade do Minho (PT), na linha Tecnologia Educativa. Profissional multimídia do campo da Educomunicação que atua no planejamento, gestão de projetos, treinamento e produção de conteúdos (textuais, hipertextuais e audiovisuais) para diversos clientes - principalmente da área socioambiental. Diretor de Fotografia para documentários, vídeos educativos, videoclipes e DVDs.Tem experiência e interesse de pesquisa nas áreas de Educomunicação, Tecnologia Educativa, Educação a Distância, Comunicação Comunitária e Audiovisual.

Referências

AMIGUINHO, Abílio. Cooperação e colaboração das escolas com a comunidade. Lisboa. 2017 (informação verbal). Mesa-redonda realizada no XXIV Colóquio da AFIRSE Portugal em 02 de fev. de 2017.

BARROSO, João. O estudo da escola: balanço e perspectivas. Lisboa. 2017 (informação verbal). Conferência realizada no XXIV Colóquio da AFIRSE Portugal em 02 de fev. de 2017.

BENTES, I.. Imaginários periféricos e vidas-linguagens: formação audiovisual livre. In BARBOSA, M. C. S.; SANTOS, M. A. dos (orgs.). Escritos de Alfabetização Audiovisual. Porto Alegre: Libretos, 2014.

CITELLI, A. O.. Comunicação e educação: implicações contemporâneas. In CITELLI, A. O.; COSTA, M. C. Castilho (Orgs.), Educomunicação: construindo uma nova área de conhecimento. São Paulo: Paulinas, 2011. p. 59–76.

CLOUTIER, J.. A Era de EMEREC ou a Comunicação Áudio-scripto-visual na hora dos self media. Lisboa: Instituto de Tecnologia Educativa, 1975.

DELORS, J. (coord.). Educação, Um Tesouro a Descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Editora Cortez, 1998.

FAURE, E. (coord.). Aprender a ser. Lisboa: Livraria Bertrand, 1974.

FREINET, Célestin. As técnicas Freinet da escola moderna. Lisboa: Editorial Estampa, 1975.

FREIRE, Paulo. A Importância do Ato de Ler: em três artigos que se completam. 22 ed.. São Paulo: Cortez, 1988.

KAPLÚN, M.. El comunicador popular. Buenos Aires: Lumen-humanitas, 1996.

KAPLÚN, M.. Processos educativos e canais de comunicação. In: CITELLI, A. O.; COSTA, M. C. Castilho (orgs.). Educomunicação: construindo uma nova área de conhecimento. São Paulo: Paulinas, 2011. p.175 – 186.

MARTINI, R. G.. Gestão Comunitária de Comunicação. UNIRevista, São Leopoldo, Vol. 1, n. 3, jul. 2006.

ONU Brasil. Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Disponível em <https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/>. Acessado em 14 de março de 2017.

PERUZZO, C. M. K.. Desafios da Comunicação Popular e Comunitária na Cibercultur@: Aproximação à proposta de Comunidade Emergente de Conhecimento Local. Ciberlegenda, Rio de Janeiro, n. 25, 2012.

PÉREZ TORNERO, José M.. La emergencia de la alfabetización mediática e informacional: Un nuevo paradigma para las políticas públicas y la investigación. Revista TELOS (Cuadernos de Comunicación e Innovación), 4–7, 2015.

SANTOS, B. de S.. Para um novo senso comum: a ciência, o direito e a política na transição paradigmática. V.1. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. São Paulo: Cortez, 2000.

SILVA, B.. A Glocalização da Educação: da escrita às comunidades de aprendizagem. In: O particular e o global no virar do milénio: cruzar saberes em educação. Actas do 5º Congresso da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Porto: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação, 2002. p. 779-788.

SILVA, B.. Educação e Comunicação. Braga: CEEP- Universidade do Minho, 1998.

SILVA, B.; TEIXEIRA, M.. A Educomunicação do Rádio. In TORRES, P. L. (org.). Tecnologias Digitais para Produção do Conhecimento no Ciberespaço. Curitiba: SENAR - PR, 2015. p. 108-123.

SOARES, I.. Educomunicação: As perspectivas do reconhecimento de um novo campo de intervenção social: o caso dos Estados Unidos. EccoS Rev. Cient., UNINOVE, São Paulo, v. 2, n. 2, p.61-80, dez. 2000.

SOARES, I. de O.. Educomunicação: o conceito, o profissional, a aplicação: contribuições para a reforma do ensino médio. São Paulo: Paulinas, 2011.

VIZER, E. A.; CARVALHO, H.. Comunicación y socioanálisis en comunidades y organizaciones sociales. Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación, n. 11, ano 6, 148–157, Jul./Dez. 2009.

WILSON, C. et al. Alfabetização midiática e informacional: currículo para formação de professores. Brasília: UNESCO, UFTM, 2013.

Publicado
2017-07-01
Como Citar
SILVA, B. D.; SARTORI, A. S.; MARTINI, R. G. AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COMO AGENTES DE INTEGRAÇÃO DO CURRÍCULO COM A GLOCALIDADE. Revista Observatório, v. 3, n. 4, p. 387-406, 1 jul. 2017.
Seção
Dossiê Temático / Thematic dossier / Dossier temático