OS RECADOS DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE 2016: manutenção do status quo ou mudança?

Palavras-chave: Eleição municipal, Decepção política, Onda conservadora, Status quo

Resumo

Quais as conclusões que a eleição municipal de 2016 oferta? Este artigo tem o objetivo de responder tal indagação. Ela nasceu em virtude de um aparente consenso observado no espaço midiático de que os resultados do último pleito municipal mostrou que os eleitores estão decepcionados com os políticos e de que existe onda conservadora no Brasil. Encaro estas assertivas como hipótese. Por isto, as testo através da análise de diversos indicadores, quais sejam: (1) Percentuais da abstenção eleitoral e votos brancos e nulos; (2) Quantidade de prefeituras conquistadas pelos partidos políticos; (3) Número de competidores; (4) E taxa de penetração eleitoral por parte das agremiações partidárias. Cinco eleições municipais são analisadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano Oliveira, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Doutor em Ciência Política. Professor do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Autor de diversos livros sobre eleições, dentre os quais Eleições não são para principiantes: interpretando eventos eleitorais no Brasil, Editora Juruá, 2014. E-mail: adrianopolitica@uol.com.br

Referências

Referências

ACHEN, Christopher H; BARTELS, Larry M. Democracy for realists - Why

elections do not produce responsive government. New Jersey: Princeton

University Press, 2016.

Revista Observatório, Palmas, v. 3, n. 1, p. 396-414, jan./mar. 2017

_ _revista

.Observatório

ISSN n° 2447-4266 Vol. 3, n. 1, Janeiro-Março. 2017

DPI: http://dx.doL.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3nlp396

ALMEIDA, Alberto Carlos. Um limite para a Lava-Jato. Valor Econômico,

/12/2015.

CARREIRÃO, Yan. Ideologia e partidos políticos: um estudo sobre coligações

em Santa Catarina. Revista Opinião Pública, maio de 2016.

CHARAUDEU, Patrick. A conquista da opinião pública - Como o discurso

manipula as escolhas políticas. Tradução M. S. Corrêa. São Paulo, 20016.

DE BOLLE, Monica Baumgarten. Como matar a borboleta azul - Uma crônica

da era Dilma. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2016.

FIGUEIREDO, A; LIMONGI, F. Executivo e Legislativo na nova

ordem constitucional. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 1999.

LAVAREDA, Antonio. Emoções ocultas e estratégias eleitorais. Rio de Janeiro:

Editora Objetiva, 2009.

LAVAREDA, Antonio. TELLES, Helcimara (org). Como o eleitor escolhe seu

prefeito Rio de Janeiro: FGV, 2011

LAVAREDA, Antonio. TELLES, Helcimara (org). A lógica das eleições

municipais. Rio de Janeiro: FGV, 2016.

MAAREK, Philippe J. Campalgn communicaüon e political. United States, Wiley-

Blackwell, 2011.

OLIVA, Alberto. Filosofia da ciência. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

OLIVEIRA, Adriano. Da praxeologia do eleitor à Ciência Eleitoral. In: OLIVEIRA,

Adriano et. al. Eleições não são para principiantes. Curitiba: Juruá, 2014a.

OLIVEIRA, Adriano. O estado da arte dos determinantes do voto no Brasil e as

lacunas existentes. In: OLIVEIRA, Adriano et. al. Eleições não são para

principiantes. Curitiba: Juruá, 2014b.

Revista Observatório, Palmas, v. 3, n. 1, p. 396-414, jan./mar. 2017

_ _revista

.Observatório

ISSN n° 2447-4266 Vol. 3, n. 1, Janeiro-Março. 2017

DPI: http://dx.doL.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3nlp396

OLIVEIRA, Adriano. O sistema produtivo da política. Jornal do Commercio,

/06/2016. Para Temer, alta abstenção de eleitores é mensagem para a classe

política. http://gl.globo.com/politica/noticia/2016/10/para-temer-alta-

abstencao-de-eleitores-e-mensagem-classe-politica.html, acesso em 07 de nov.

de 2016.

PAULINO, Mauro. "Urna revela crise de representatividade". Valor Econômico,

/11/2016. Acesso em 04 de nov. de 2016.

POPPER, Karl. A lógica das Ciências Sociais. Tradução de Estevão de Rezende

Martins et. al. 3 o edição. Rio de Janeiro: Tempo brasileiro, 2004.

RODRIGUES, L. M. Partidos, ideologia e composição social. São Paulo: Edusp,

.

SINGER, André. Cutucando onça com varas curtas - O ensaio

desenvolvimentista no primeiro mandato de Dilma Rousseff (2001-2014).

Novos Estudos, julho 2015.

SOUZA, Jessé. A radiografia do golpe: Entenda como e por que você foi

enganado. Rio de Janeiro: Leya, 2016.

Publicado
2017-03-30
Como Citar
OLIVEIRA, A. OS RECADOS DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE 2016: manutenção do status quo ou mudança?. Revista Observatório, v. 3, n. 1, p. 396-414, 30 mar. 2017.
Seção
Tema Livre / Free Theme / Tema Libre