Manutenção da qualidade pós-colheita de pimenta de cheiro (Capsicum chinense) armazenadas sob atmosfera modificada e refrigeração

  • Raoni Peruch Lemos dos Santos Universidade Federal do Tocantins
  • Elisângela Elena Nunes Carvalho Universidade Federal de Lavras
  • Thyago Rodrigues do Carmo Brito Universidade de Évora https://orcid.org/0000-0003-0596-1700
  • Tarcísio Castro Alves de Barros Leal Universidade Federal do Tocantins
  • Adriana Augusta Neto Universidade Federal do Tocantins
  • Glauber Ronery dos Santos Ribeiro Universidade Federal do Tocantins
  • Thiago Ferreira Barbosa Universidade Federal do Tocantins
Palavras-chave: cor, embalagem, compostos voláteis

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de três diferentes tipos de embalagens sobre a vida útil de pimentas de cheiro (Capsicum chinense) armazenadas sob refrigeração, por 10 dias. As pimentas foram colhidas, levadas ao laboratório, selecionadas, lavadas, sanificadas e armazenadas nas diferentes embalagens em BOD (8 ±1ºC, 90 ±5% RH) por 10 dias. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado (DIC), em esquema fatorial 3x6, sendo 3 embalagens diferentes (bandeja de isopor (15x15x3cm) recoberta com PVC, 14 micras, saquinho de polietileno e copinho de Poliestireno com 500ml de volume) e 6 tempos de armazenamento (0, 2, 4, 6, 8 e 10 dias). As análises realizadas a cada dois dias foram: perda de massa, firmeza, coloração, identificação dos compostos voláteis e avaliação da aparência externa. Independente da embalagem as pimentas mantiveram cor e aroma. A embalagem constituída por bandeja de isopor recoberta por filme PVC determina maior perda de massa e firmeza, sendo, portanto a menos indicada para o armazenamento a 8°C de pimentas de cheiro.

Referências

BRUNINI, M.A.; OLIVEIRA, A.L.; SALANDINI, C.A.R. 2004. Influência de embalagens e de temperatura no armaze-namento de jabuticabas (Myrciaria jabuticaba (Vell) Berg) cv ‘SABARÁ.

BOGUSZ JUNIOR, S. Caracterização química da fração volátil e estudo do potencial antioxidante em pimentas do gênero Capsicum. UNICAMP/FEA: Tese Doutorado, 2010.

CHITARRA, M.I.F. Alimentos minimamente processados. Lavras. 2001 p. 27,28

CHITARRA, M.I.F.; CHITARRA, A.B. 2005. Pós-Colheita de frutos e hortaliças-Fisiologia e Manejo. 2° ed. Lavras- Editora UFLA. p. 321.

EMBRAPA. Pimenta: uma alternativa para Roraima. 2002, disponível em: http://www.embrapa.br/imprensa/noticias/2002/setembro/bn.2004. Acesso em: 18/05/2011.

FERREIRA, D. F2 Análises estatísticas por meio do SISVAR para Windows versão 4.0 – In: Reunião anual da região bra-sileira da sociedade internacional de biometria, 45., 2000, São Carlos. Resumos. São Carlos: UFSCar, 2000. p. 235.

GOMES, B.L.; BARBOSA, G.S.; FARIAS, G.S.; MAGA-LHÃES, H.C.; PINTO, N.O.F.; GARRUTI, D.S. Perfil de compostos voláteis de Capsicum chinense. In: Congresso Nacional de Frutas tropicais. Aracajú, 2010.

GRAVINA, O.; HENZ, G.P.; CARVALHO, S.I.C. Conser-vação pós-colheita de pimentas da espécie Capsicum chi-nense com filme de PVC em duas temperaturas. In: Con-gresso Brasileiro de Olericultura. Anais... Vitória, 2010.

HOJO, E.T.D.; CARDOSO A.D.; HOJO R.H.; VILLAS BOAS, E.D. B.; ALVARENGA, M.A.R. 2007. Uso de películas de fécula de mandioca e PVC na conservação pós colheita de pimentão. Ciênc. Agrotec., Lavras, v.31, n.1, p.184-190, 2007.

KLUGE. R.A.; NACHTIGAL, J.C.; FACHINELO, J.C.; BILHALVA, A.B. 2002. Fisiologia e manejo pós-colheita de frutas de clima temperado. 2°ed. Campinas: Editora Ru-ral, 2002. p.23 24.

KONICA Minolta Sensing Americas. Precise color communi-cation: color control from perception to instrumentation. Sa-kai, 1998. (Encarte).

MATTOS, L.M.; MORETTI, C.L.; HENZ, G.P.; SOUZA, R.M. Caracterização pós-colheita de espécies de Capsicum spp. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente. v.1, n.2, 2008.

MCGUIRE, R.G. 1992. Reporting of objective color meas-urements. HortScience, v.27, p.1254-1255.

MENDONÇA, K. Concentração de etileno e tempo de exposi-ção para desverdecimento de limão “Siciliano”. Brazilian Journal of Food Technology. v.6, n.2, p.179-183, 2003.

PINHEIRO, J.M. DA S. Tecnologia pós-colheita para conser-vação de bananas da cultivar tropical. Dissertação Mestrado (Produção Vegetal) – Universidade Estadual de Montes Cla-ros /UNIMONTES, p.59, 2009.

REIFSCHNEIDER, F.J.B. 2000. Capsicum: pimentas e pi-mentões no Brasil. Brasília: Embrapa Hortaliças. p.113.

SIGRIST, J.M.M. Perdas pós-colheita de frutas e hortaliças. In: Cereda, M.P.; Sanches, L. Manual de armazenamento e embalagem-produtos agropecuários. Botucatu: Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais, 1983. p.1-12.

SOUSA, E.T.; RODRIGUES, F.M.; MARTINS, C.C.; OLI-VEIRA, F.S.; PEREIRA, P.A.P.; ANDRADE. J.B. Multi-variate optimization and HS-SPME/GC-MS analysis of VOCs in red yellow and purple varieties of Capsicum chinense spp. Peppers. Microchemical Journal, 82, p.142-149, 2006.

Publicado
2019-02-15
Como Citar
Santos, R. P. L. dos, Carvalho, E. E. N., Brito, T. R. do C., Leal, T. C. A. de B., Neto, A. A., Ribeiro, G. R. dos S., & Barbosa, T. F. (2019). Manutenção da qualidade pós-colheita de pimenta de cheiro (Capsicum chinense) armazenadas sob atmosfera modificada e refrigeração. Journal of Biotechnology and Biodiversity, 7(1), 241-248. https://doi.org/10.20873/jbb.uft.cemaf.v7n1.santos

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)