PERCEPÇÕES SOBRE CIBERESPAÇO E TERRITORIALIDADE DIGITAL: estudo exploratório com foco em aspectos socioculturais presentes na deep web e dark web

  • Cássio Cipriano Nogueira Universidade Federal do Tocantins
  • Braz Batista Vas Universidade Federal do Tocantins
Palavras-chave: Ciberespaço, Territorialidade Digital, Aspectos Socioculturais, Deep Web, Dark Web

Resumo

Aquilo que muitos conhecem popularmente como Internet, caracteriza-se, socioculturalmente como ciberespaço e possui territorialidade própria, bem como suas próprias práticas culturais, identificadas como cibercultura. Tendo em vista que, para trazer à luz percepções fundamentais acerca de determinados territórios faz-se necessário analisá-los sob diferentes óticas, contemplando dimensões tais como a política, a econômica, a social e a cultural, este artigo tem como objetivo a realização de um estudo exploratório sobre a territorialidade digital do ciberespaço, por meio de pesquisa bibliográfica e análise de conteúdo, de modo a examinar e destacar aspectos socioculturais a partir das alterações promovidas pela Web 2.0 e percepções sobre as frações do ciberespaço designadas genericamente de Deep Webe Dark Web.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cássio Cipriano Nogueira, Universidade Federal do Tocantins

Graduado em Sistemas de Informação (2010), possui MBA em Gestão de Tecnologias da Informação (2013) e é mestrando do Programa de Pós-graduação em Estudos Interdisciplinares de Cultura e Território (PPGCult) da Universidade Federal do Tocantins (UFT), onde pesquisa percepções e aspectos socioculturais presentes no Ciberespaço, especificamente nos ambientes denominados Deep Web e Dark Web, e onde produziu o documentário Caminhos do Morro (2017), sobre a história e a religiosidade em Pé-do-Morro (Aragominas/TO), contadas através das narrativas de moradores pioneiros da região. Docente do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) da Faculdade de Ciências do Tocantins (FACIT). Lecionou nos cursos de Sistemas de Informação, Engenharia de Produção e Administração do UNITPAC - Centro Universitário Tocantinense Presidente Antônio Carlos (2015), onde esteve à frente do projeto Ação Digital, envolvendo acadêmicos do curso de Sistemas de Informação em ações de inclusão digital em benefício de escolas públicas, ONGs e projetos sociais. Lecionou no Curso Técnico de Informática integrado ao Ensino Médio do CEM Castelo Branco (2010-2018), pela SEDUC/TO - Secretaria de Educação e Cultura do Estado do Tocantins, onde também atuou como coordenador (2011), e esteve envolvido no programa social Mais Educação (2014), atuando como professor de Informática Básica para crianças carentes do Ensino Fundamental - Fase I, e no ProEMI - Programa Ensino Médio Inovador (2015-2016), atuando como responsável pelo campo de Comunicação, Cultura Digital e Uso de Mídias.

Braz Batista Vas, Universidade Federal do Tocantins

Possui graduação em História (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1997), Mestrado (2000) e Doutorado (2011) em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP - Campus de Franca. Atualmente é professor do Curso de História da Universidade Federal do Tocantins - UFT - Campus de Araguaína. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil Império e História Latino-Americana, pesquisando principalmente os seguintes temas: História Militar, Guerra do Paraguai, Exército, Logística e, também, novas Tecnologias da Informação e Comunicação no Ensino de História.

Referências

ASSIS, Emanoel Cesar Pires de. Ciberespaço e Pós-Modernidade em Neurocomancer de William Gibson. In: VI ENECULT – Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 2010, Salvador. Anais… Salvador: UFBA, 2010. Disponível em: <http://www.cult.ufba.br/wordpress/24841.pdf>. Acesso em: 25 jan. 2018.

CALDERON, Bárbara. Deep & Dark Web: a internet que você conhece é apenas a ponta do iceberg. Rio de Janeiro: Alta Books, 2017. 272 p.

CARDOZO, André. Computador pessoal faz 33 anos: conheça a história do IBM PC, 2014. Disponível em: <http://tecnologia.ig.com.br/2014-08-12/computador-pessoal-faz-33-anos-conheca-a-historia-do-ibm-pc.html>. Acesso em: 25 jan. 2018.

CASTELLS, Manuel. A Galáxia da Internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Trad. Maria Luíza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Zahar, 2003. 243 p.

GIBSON, William. Neuromancer. 3. ed. Trad. Fábio Fernandes. São Paulo: Aleph, 2013. 511 p. E-Book. Disponível em: <http://lelivros.stream/book/download-neuromancer-william-gibson-em-epub-mobi-e-pdf/>. Acesso em: 25 jan. 2018.

HAESBAERT, Rogério. O Mito da Desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritoríalidade. 6. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004. 395 p.

HARDING, Luke. Os Arquivos Snowden: a história secreta do homem mais procurado do mundo. Rio de Janeiro: LeYa, 2014. 280 p.

JENKINS, Henry. Cultura da Conexão: criando valor e significado por meio da mídia propagável. Trad. Patrícia Arnaud. São Paulo: Aleph, 2014. 403 p.

KLEINA, Nilton. A História da Internet: pré-década de 60 até anos 80. In: Tecmundo. 29 abr. 2011. Disponível em: <https://www.tecmundo.com.br/infografico/9847-a-historia-da-internet-pre-decada-de-60-ate-anos-80-infografico-.htm>. Acesso em: 26 jan. 2018.

LEÃO, Lucia. O Labirinto Hipermídia: arquitetura e navegação no ciberespaço. São Paulo: Iluminuras, 1999. 158 p.

LÉVY, Pierre. A Inteligência Coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Edições Loyola, 1998. 212 p.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999. 264 p.

LÉVY, Pierre. O Que é o Virtual? São Paulo: Ed. 34, 1996. 157 p.

MARTINO, Luís Mauro Sá. Teoria das Mídias Digitais: linguagens, ambientes e redes. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015. 291 p.

NOGUEIRA, Cássio Cipriano; NOLETO, Henrique de Sousa; SILVA, Daniel Martins da. O Perfil Socioeconômico do Consumidor Araguainense em Relação ao E-Commerce. In: Anais/16 da Jornada Científica do ITPAC. Araguaína, TO: ITPAC, 2006. p. 84-88. Disponível em: <https://assets.itpac.br/arquivos/jornada-cientifica/AnaisJC_2016_Full.pdf>. Acesso em: 16 fev. 2018.RAFFESTIN, Claude. Por uma Geografia do Poder. São Paulo: Ática, 1993. 269 p.

SCHREIBMAN, Susan; SIEMENS, Ray; UNSWORTH, John Companion. Digital Humanities. Oxford: Blackwell, 2004. Disponível: <http://www.digitalhumanities.org/companion/> Acesso em: 14 ago 2017.

TEMPORINI, Edméa Rita; PIOVESAN, Armando. Pesquisa Exploratória: procedimento metodológico para o estudo de fatores humanos no campo da saúde pública. In: Revista Saúde Pública, ano 4, n. 29, p. 318-325. 1995. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rsp/v29n4/10>. Acesso em: 18 fev. 2018.

Publicado
2019-10-01
Como Citar
NOGUEIRA, C. C.; VAS, B. B. PERCEPÇÕES SOBRE CIBERESPAÇO E TERRITORIALIDADE DIGITAL: estudo exploratório com foco em aspectos socioculturais presentes na deep web e dark web. Revista Observatório, v. 5, n. 6, p. 272-304, 1 out. 2019.