TECNOLOGIAS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO TOCANTINENSE: uma análise da contribuição para o professor

  • Maria José de Pinho Universidade Federal do Tocantins
  • Deusirene Magalhães de Araújo Universidade Federal do Tocantins
Palavras-chave: Tecnologias digitais; Tocantins; Formação de professor, autonomia.

Resumo

O artigo tem por objetivo analisar contribuições das tecnologias digitais para o professor tocantinense. Destaca as tecnologias na educação do Tocantins e a formação do professor como espaço de reflexão e autonomia docente. O artigo é parte da dissertação de Mestrado em Educação da Universidade Federal do Tocantins, intitulada contribuições do curso Redes de Aprendizagem do ProInfo, para construção de conceitos e autonomia de professores. Os resultados apontam que a inserção de tecnologias na educação do Tocantins, aliada a formação continuada Redes de Aprendizagem, contribuíra para a reflexão a sobre o contexto escolar atravessado pela cultura digital, inclusão digital e autonomia de professores, no uso de alguns recursos tecnológicos.

 

PALAVRAS-CHAVE: Tecnologias digitais; Tocantins; Formação de professor, autonomia.

 

 

ABSTRACT

The article aims to analyze the contributions of digital technologies to the teacher from Tocantins. It emphasizes the technologies in the education of the Tocantins and the formation of the teacher as space of reflection and autonomy teaching. The article is part of the dissertation of Master of Education of the Federal University of Tocantins, titled contributions of the ProInfo Learning Networks course, for the construction of concepts and autonomy of teachers. The results point out that the insertion of technologies in the education of Tocantins, together with the continued formation of Learning Networks, contributed to the reflection on the school context crossed by digital culture, digital inclusion and teacher autonomy, in the use of some technological resources.

 

KEYWORDS: Digital technologies; Tocantins; Teacher training, autonomy.

 

 

RESUMEN

El artículo tiene por objetivo analizar contribuciones de las tecnologías digitales para el profesor tocantinense. Destaca las tecnologías en la educación de Tocantins y la formación del profesor como espacio de reflexión y autonomía docente. El artículo es parte de la disertación de Maestría en Educación de la Universidad Federal de Tocantins, titulada contribuciones del curso Redes de Aprendizaje del ProInfo, para la construcción de conceptos y autonomía de profesores. Los resultados apuntan que la insersión de tecnologías en la educación de Tocantins, aliada a la formación continuada Redes de Aprendizaje, contribuyeron a la reflexión sobre el contexto escolar atravesado por la cultura digital, inclusión digital y autonomía de profesores, en el uso de algunos recursos tecnológicos.

 

PALABRAS CLAVE: Tecnologías digitales; Tocantins; Formación de professor: autonomía.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria José de Pinho, Universidade Federal do Tocantins

Graduação em História e graduação em Pedagogia. Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco; Doutorado em Educação e Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Pós-Doutorado em Educação pela Universidade do Algarve (Portugal).  Professora da Universidade Federal do Tocantins – UFT e do Programa de Pós-Graduação em Letras Mestrado em Ensino de Língua e Literatura e Programa de Pós Graduação em Educação.  E-mail: mjpgon@mail.uft.edu.br.

Referências

ALMEIDA, Maria Elizabeth. Bianconcini de. O computador na escola: contextualizando a formação de professores – praticar a teoria, refletir a prática. São Paulo, 2000. Tese (Doutorado em Educação). Instituto de Educação. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

ALMEIDA, Maria I. Apontamentos a respeito da formação de professores. IN: BARBOSA, Raquel L. L. (Org.). Formação de Educadores: artes e técnicas, ciências e políticas. São Paulo: Editora Unesp, 2006.

ALVES, E. J.; SILVA, B. D. DA. APRENDER “COM” A TECNOLOGIA: O uso do Facebook no processo de aprendizagem e interação de curso online. Revista Observatório, v. 5, n. 4, p. 658-669, 1 jul. 2019.

BORGES, Marilene A. F. Apropriação das tecnologias da informação e comunicação pelos gestores educacionais. Tese de doutorado. PUC/SP, 2009. Disponível em: https://sapientia.pucsp.br/handle/handle/10147 acesso em Agosto/2017.

BRASIL. Proinfo Integrado. Curso Redes de Aprendizagem. Guia do formador. Brasília, SED/MEC, 2013.

BASSANO, P. B. S.; ELTZ, P. AUTORIA DOCENTE NA WEB: produção e compartilhamento de registros reflexivos sobre práticas pedagógicas com tecnologias digitais. Revista Observatório, v. 4, n. 3, p. 435-457, 29 abr. 2018.

CABRAL, M. K. F; SANTOS, G. F; NAKASHIMA, R. H. R. Análise de recursos disponíveis em redes sociais: Potencialidades para a construção de web currículos: revista e-curriculum (PUCSP), v. 14, p. 970-997, 2016.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto / John W.Creswell; tradução Luciana de Oliveira da Rocha. - 2. ed. - Porto Alegre:

CHIECHER, A. C.; FICCO, C. R.; PAOLONI, P. V.; GARCÍA, G. A. ¿Qué mueve a los estudiantes exitosos? Metas y motivaciones de universitarios en las modalidades presencial y distancia. Revista Observatório, v. 2, n. 2, p. 301-326, 30 maio 2016.

CUNHA, A. C. DA; CUNHA, J. DA S. M. DA. TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS: representações sociais de professores indígenas em formação. Revista Observatório, v. 5, n. 5, p. 983-998, 1 ago. 2019.

ELHAJJI, M.; ESCUDERO, C. WEBDIÁSPORA: Migrações, TICs e memória coletiva. Revista Observatório, v. 2, n. 5, p. 334-363, 25 dez. 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

GADOTTI, MOACIR. Boniteza de um sonho. São Paulo: Inst. Paulo Freire, 2008.

GOMEZ, Margarita Victoria. Educação em rede: uma visão emancipatória. São Paulo: Cortez, 2004.

JESUS, Valdirene Gomes dos Santos de. Planejamento e gestão da formação contínua do projeto UCA: experiências vivenciadas no Tocantins. Tese de doutorado da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, SP, 2015.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e a distância. 7ª ed. Campinas São Paulo: Papirus, 2009.

LEMOS, André; LÉVY, Pierre. O futuro da internet: em direção a uma ciberdemocracia planetária: São Paulo: Paulus, 2010.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 2009.

LUDKE, Menga e ANDRE, Marili E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986

MACHADO, L. S.; COSTA, T. K. DE L.; MORAES, R. M. DE. Multidisciplinaridade e o desenvolvimento de serious games e simuladores para educação em saúde. Revista Observatório, v. 4, n. 4, p. 149-172, 29 jun. 2018.

MARTINS, J. L.; JESUS, L. M. DE S. DE; CHAVES, A. S. C.; TAKAHAGASSI, P. D. DE S.; SOUSA, M. P. DE. DESAFIOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO AMBIENTE ACADÊMICO. Revista Observatório, v. 5, n. 3, p. 259-275, 1 maio 2019.

MAFRA DA SILVA, A. V. APROPRIAÇÃO TECNOLÓGICA E CULTURA DIGITAL: usos na/da internet. Revista Observatório, v. 5, n. 3, p. 276-292, 1 maio 2019.

MORAES, Maria Cândida. Informática educativa no Brasil: uma história vivida, algumas lições aprendidas. Revista Brasileira de Informática na Educação. São Paulo, n. 01. set, 1997. Disponível em: file:///C:/Users/Professor/Downloads/2320-3702-1-SM.pdf, acesso em 15/03/2017.

MOURA, A. Metodologias de aprendizagem que desafiam os alunos, mediadas por tecnologias digitais. Revista Observatório, v. 3, n. 4, p. 256-278, 1 jul. 2017.

PASINATO, N. M. B.; KOH, N. K. AMBIENTES DE APRENDIZAGEM E TECNOLOGIAS: os desafios discentes na construção do pensamento crítico em escolas de Cingapura. Revista Observatório, v. 5, n. 1, p. 243-275, 14 jan. 2019.

PINHO, M. J. DE; PASSOS, V. M. DE A. COMPLEXIDADE, ECOFORMAÇÃO E TRANDISCIPLINARIDADE: por uma formação docente sem fronteiras teóricas. Revista Observatório, v. 4, n. 2, p. 433-457, 1 abr. 2018.

PINHO, M. J. DE. UNIVERSIDADE E CRISE INSTITUCIONAL: perspectivas de uma formação humana. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 274-315, 1 out. 2017.

SOMMER, M. R. R. G.; DE PINHO, M. J. TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO E O PARADIGMA EDUCACIONAL EMERGENTE: em favor de uma formação transdisciplinar. Revista Observatório, v. 3, n. 5, p. 301-320, 1 ago. 2017.

RAMAL, Andrea Cecilia. Educação na cibercultura. Hipertextualidade, leitura, escrita e aprendizagem. Porto Alegre, Artmed: 2002.

REY, Gonzaléz, Fernando Luis. Pesquisa qualitativa em psicologia: Caminhos e desafios. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

ROCHA, J. D. T.; NOGUEIRA, C. DA R. M.; SOUSA, J. L. DOS S.; SOUSA, G. R. DE. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS CURRICULARES: uso das tecnologias na contemporaneidade. Revista Observatório, v. 4, n. 5, p. 673-694, 1 ago. 2018.

ROSA, S Ferreira Silva. O potencial das mídias sociais na formação à distância. In: Educação à distancia e tecnologias digitais. Reflexões sobre sujeitos, saberes, contexto e processos. São Carlos: EdUFScar, 2014.

SANTOS, J. S. DOS; OSÓRIO, N. B.; GÓES, E. H. S. TDICS E GAMES NO ENSINO MÉDIO INOVADOR: memórias de professores criativos. Revista Observatório, v. 4, n. 4, p. 500-549, 29 jun. 2018.

SANTOS, E. M.; LASTÓRIA, L. A. C. N. TECNOLOGIAS DIGITAIS E EDUCAÇÃO: impactos e desafios para uma nova configuração de subjetividade. Revista Observatório, v. 5, n. 5, p. 962-982, 1 ago. 2019.

SILVA, Marco. Promover inclusão social na cibercultura e educar em nosso tempo. IN: Educação à distancia e tecnologias digitais. Reflexões sobre sujeitos, saberes, contexto e processos. São Carlos: EdUFScar, 2014.

SILVA, B. D.; SARTORI, A. S.; MARTINI, R. G. AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COMO AGENTES DE INTEGRAÇÃO DO CURRÍCULO COM A GLOCALIDADE. Revista Observatório, v. 3, n. 4, p. 387-406, 1 jul. 2017.

SILVA, Marco. Sala de Aula Interativa. 3 ed., Rio de Janeiro, RJ: Quartet, 2002.

WALTON, Dominique. Informar não é comunicar. Porto Alegre: Sulina, 2010.

VIANA, J.; COSTA, F. A.; PERALTA, H. APRENDIZAGENS PESSOAIS EM CONTEXTOS INFORMAIS: oportunidades criadas pela Internet. Revista Observatório, v. 3, n. 4, p. 190-231, 1 jul. 2017.

VOLTOLINI, A. G. M. F. DA F. FERRAMENTAS DIGITAIS E ESCOLA: Estudo de uma proposta pedagógica. Revista Observatório, v. 5, n. 3, p. 293-316, 1 maio 2019.

ZACARIOTTI, M.; PINHO, M. J. DE. ESTÁGIO SUPERVISIONADO EAD: mesmas diretrizes, novas conexões. Revista Observatório, v. 5, n. 3, p. 118-144, 1 maio 2019.

ZACARIOTTI, M. E. C.; SOUSA, J. L. DOS S. TECNOLOGIAS DIGITAIS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COMO RECURSO DE MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA. Revista Observatório, v. 5, n. 4, p. 613-633, 1 jul. 2019.

Publicado
2019-10-01
Como Citar
PINHO, M. J. DE; ARAÚJO, D. M. DE. TECNOLOGIAS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO TOCANTINENSE: uma análise da contribuição para o professor. Revista Observatório, v. 5, n. 6, p. 507-528, 1 out. 2019.