TRAVAIL ET POUVOIR - DE LA PERVERSION GÉNÉRALISÉE À LA RÉSISTANCE

  • Leda Gonçalves Freitas Universidade Católica de Brasília
  • Fernanda Sousa Duarte Universidade de Brasília
  • Teresa Cristina Othenio Cordeiro Carreteiro UFF
Palavras-chave: Trabalho. Poder. Perversão. Resistência, trabalho, poder, perversao, resistência

Resumo

Esta entrevista com o professor Eugène Enriquez foi realizada no Rio de Janeiro e em Brasília, simultaneamente, em 24 de julho de 2020 em meio à pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-19). Nesta entrevista on-line que durou aproximadamente uma hora, propusemos questões sobre o trabalho no capitalismo contemporâneo, seus desenvolvimentos na sociedade, nas organizações e para trabalhadores. Professor emérito da Université Paris VII, Enriquez abordou aspectos históricos da relação entre trabalho e poder, discorreu sobre a perversão generalizada e a predominância do poder estratégico na atualidade. Também foi explanou a relação indivíduo-organização e, como indivíduos, ao se engajarem nesses contextos de manipulação, se tornam parte da estratégia. O professor também ilustrou com sua experiência direta como o conhecimento psicossociológico pode ser utilizado pelas empresas para exercer o poder estratégico de novas formas.

Biografia do Autor

Leda Gonçalves Freitas, Universidade Católica de Brasília

Pós-doutorado no CNAM (Paris, 2017), Doutora em Psicologia Social e do Trabalho (UnB), Mestre em Educação, Graduada em Pedagogia. Professora titular da Universidade Católica de Brasília no Programa de Pós em Psicologia.Atua no curso de Graduação em Pedagogia e Psicologia. Tem experiência nas áreas de Educação e Psicologia Social do Trabalho. Atualmente os temas de interesse são: formação de professores, processos de ensino e aprendizagem, diversidade, saúde mental e trabalho e psicodinâmica do trabalho.

Fernanda Sousa Duarte, Universidade de Brasília

Doutora em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações pela Universidade de Brasília (PPG-PSTO/UnB) com estágio sanduíche durante o doutorado no grupo de Sociologia Política da Universidade de Amsterdam (UvA). Sou mestre também pelo PPG-PSTO (2014) e obtive os títulos de psicóloga (2012) e bacharel em Psicologia (2011) pela mesma universidade. Pesquisadora Colaboradora Sênior no Laboratório de Psicodinâmica e Clínica do Trabalho - LPCT/UnB (2020-atual, Pesquisadora convidada: 2010-2020), também presto serviços de consultoria como pesquisadora e psicóloga do trabalho e tenho participado e coordenado pesquisas em empresas privadas, públicas e sindicatos a partir dos referenciais teóricos da Psicodinâmica, Psicopatologia e Clínica do Trabalho utilizando métodos quantitativos e qualitativos. Minha linha de pesquisa, Psicopatologia Crítica do Trabalho, compreende as psicopatologias do trabalho como determinadas pelos entrelaçamentos entre aspectos subjetivos, sociais, culturais, econômicos, institucionais e regulatórios. Tal compreensão se baseia na historicização tanto da psicopatologia como do trabalho, tensionando as relações passado-presente. Nesse sentido, meus interesses de pesquisa incluem escravidão moderna, relações entre capitalismo e escravidão a partir de diálogos interdisciplinares com a História Global, Sociologia da Saúde e da Doença, Sociologia Médica e Psicanálise.

Teresa Cristina Othenio Cordeiro Carreteiro, UFF

Graduada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1975), mestrado em Psicologia Desenvolvimento e Personalidade pela Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro (1981), doutorado em Psicologia Social Clínica - Université de Paris VII, Paris (1991), pós-doutorado em Sociologia Clinica, Université de Paris VII, Paris (1999). Professora titular do Programa de pós graduação de Psicologia da Universidade Federal Fluminense, UFF. Foi membro do CA de psicologia, CNPq. Foi editora da revista Fractal, UFF. Membro fundadora do Centre Internacional de Psychosociologie, Paris. Membro fundadora do Institut Internacional de Sociologie Clinique, Paris. Atualmente é membro do conselho de administração do Centre Internacional de Psychosociologie. Faz parte do corpo editorial de diversas revistas nacionais e internacionais.Tem experiencia em Psicologia Social Clinica, Psicossociologia, Psicanálise e Sociologia Clinica. Tem realizado pesquisas principalmente sobre as seguintes temáticas: exclusão social, subjetividade, história de vida e trabalho.

Referências

Como é uma entrevista não há referências.
Publicado
2020-12-22
Seção
Entrevista