O QUE FAZEM O COMMUNITY MANAGER E O EDITOR DE MÍDIAS SOCIAIS EM DOIS VEÍCULOS DE REFERÊNCIA: ciberjornalismo ou marketing?

Palavras-chave: Jornalismo, Jornalista, Audiência, Diário de Pernambuco, La Vanguardia

Resumo

Com a maior possibilidade de interatividade, a partir da Web 2.0, os jornalistas foram desafiados a reinventar-se como profissionais ante a necessidade de respostas para uma audiência que dialoga com os veículos. O objetivo do artigo é refletir sobre essas novas funções que reúnem atribuições do campo jornalístico e do marketing, mudando a rotina jornalística e levando a questionamentos importantes sobre quais são os valores que norteiam os jornalistas nos processos de seleção, apuração e edição pós redes sociais. O trabalho é fruto de uma pesquisa, de cunho etnográfico, realizada no Diario de Pernambuco, mais antigo jornal em circulação da América Latina, e no espanhol La Vanguardia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovana Borges Mesquita, UFPE

Doutora em Comunicação e mestra em Extensão Rural e Desenvolvimento Local pela Universidade Federal de Pernambuco(UFPE), com estágio sanduíche na Universidade Pompeu Fabra de Barcelona (Espanha). Graduada em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) e em Direito pela Sociedade Caruaruense de Ensino Superior (SCES). Coordena o Grupo de Pesquisa Dinâmicas do Jornalismo e é integrante do grupo Jornalismo e Contemporaneidade da UFPE. Atualmente é professora adjunta I do curso de Comunicação, na Universidade Federal de Pernambuco, Campus Caruaru. Foi professora do curso de graduação em Jornalismo na Universidade Federal do Maranhão. E-mail: giovanamesquita@yahoo.com.br.  

 

Referências

ABREU, Alzira Alves de. A modernização da imprensa (1970- 2000). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002 (Coleção Descobrindo o Brasil).

ADGHIRNI, Z. L. Mudanças Estruturais no Jornalismo:travessia de uma zona de turbulência. In: PEREIRA, Fábio; MOURA, Dione; ADGHIRNI, Zélia (Org.). Jornalismo e Sociedade Teorias e Metodologias. Florianopolis: Insular, 2012.

BERGHELLA,V. Community Manager y Social Media Editor, nuevos espacios para periodistas. Disponível em: . Acesso em 10 nov. 2013.

CABRAL, Águeda. Realidade expandida: narrativas do digital, edição e produção de sentidos no telejornalismo. Tese de doutorado. Recife: UFPE, 2012.

CASETTI, F.; CHIO, F. Análisis de la televisión: instrumentos, métodos y prácticas de investigación. Barcelona: Paidós, 1999.

CASERO, A.; MARZAL, J. Periodismo em televisión: nuevos horizontes, nuevas tendências. Zamorra, Espanha: Comunicación Social Ediciones y publicaciones, 2011.

FÍGARO, ROSELI; NONATO, C.; Grohmann, Rafael. As mudanças no mundo do trabalho do jornalista. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2013. v. 1. 344 pp.

FIGUERÔA, F. Entrevista concedida pelo editor de Mídias Sociais do Diario de Pernambuco a autora dessa tese. Recife, 2013.

LAGE, Nilson. Conceitos de jornalismo e papéis sociais atribuídos aos jornalistas. Revista Pauta Geral-Estudos em jornalismo,2014.

LOSADA, P. Entrevista concedida pela editora executiva do Diario de Pernambuco a autora dessa tese. Recife, 4 de nov. 2013.

MESQUITA, G. Interfiro, logo existe: a audiência potente e as novas relações no jornalismo. Tese de doutorado. Recife: UFPE, 2014.

PAVLIK, John V. El Periodismo y los nuevos medios de comunicación. Barcelona: Ediciones Paidós Ibérica, S. A, 2005.

SOUZA, K. Entrevista concedida pela repórter da editoria de Mídias Sociais do Diario de Pernambuco a autora dessa tese. Recife, 4 de nov. 2013.

VENTURA, P. Entrevista concedida pela chefe das redes sociais do Lavanguardia.com à autora do artigo tese. Barcelona, 12, fev. 2013.

Publicado
2017-05-01
Como Citar
MESQUITA, G. O QUE FAZEM O COMMUNITY MANAGER E O EDITOR DE MÍDIAS SOCIAIS EM DOIS VEÍCULOS DE REFERÊNCIA: ciberjornalismo ou marketing?. Revista Observatório, v. 3, n. 3, p. 327-345, 1 maio 2017.