VEIAS E ARTÉRIAS: ressignificando sentidos

Palavras-chave: Reinvenção cartográfica, Geopoéticas, Arte contemporânea

Resumo

O ensaio apresenta o processo de criação da assemblage ‘João Pessoa – Coração – Recife’ (2013), que é amparado pelos conceitos hegemônicos que giram em torno das noções de identidade, território, mapeamento e fronteira. Sob o viés dos aspectos sociopolíticos e culturais, o texto aborda como se deu o desenvolvimento, psicológico e emocional, que envolve a discussão central do trabalho, exibindo possibilidades de ressignificação de mapas cartográficos, para expressar ‘outros mundos’ através do olhar da geopoética.

 

PALAVRAS-CHAVE: Reinvenção cartográfica; Geopoéticas; Arte contemporânea; Processos criativos.

 

ABSTRACT

The essay presents the process of creating the assemblage 'João Pessoa – Heart – Recife' (2013), which is supported by the hegemonic concepts that revolve around the notions of identity, territory, mapping and frontier. Under the bias of sociopolitical and cultural aspects, the text addresses how the psychological and emotional development took place, involving the central discussion of the work, showing possibilities for the re-signification of cartographic maps, to express 'other worlds' through the geopoetic view.

 

KEYWORDS: Cartographic reinvention; Geopoetics; Contemporary art; Creative processes.

 

 

RESUMEN

El ensayo presenta el proceso de creación del ensamblaje 'João Pessoa – Corazón – Recife' (2013), que es amparado por los conceptos hegemónicos que giran en torno a las nociones de identidad, territorio, mapeo y frontera. En el contexto de los aspectos sociopolíticos y culturales, el texto aborda cómo se dio el desarrollo, psicológico y emocional, que involucra la discusión central del trabajo, exhibiendo posibilidades de resignificación de mapas cartográficos, para expresar ‘otros mundos’ a través de la mirada de la geopoética.

 

PALABRAS CLAVE: Reinvención cartográfica; Geopoéticas; Arte contemporâneo; Procesos creativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônio Luiz da Silva Filho, Universidade Federal da Paraíba

Graduação em Licenciatura em Artes Visuais (UFPB). Artista visual. Seu trabalho discute as vias de construção e desconstrução da memória através de uma investigação crítica e poética da relação homem/cidade. Utilizando-se, para tal, de uma pesquisa com mapas de traçados urbanos e topográficos e das diversas linguagens artísticas, sendo as principais, as assemblages, instalações e desenhos digitais. E-mail: tonnyfilho.2008@gmail.com.

Referências

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Plâtos: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 1995. Coordenação da tradução: Ana Lúcia de Oliveira.

SENNETT, Richard. Carne e Pedra: O corpo e a cidade na civilização ocidental. Rio de Janeiro: Editora Record, 2003. Tradução de: Marcos Aarão Reis.

KOZEL, Salete. Geopoética das paisagens: olhar, sentir e ouvir a “natureza”. Caderno de Geografia, PUC Minas, n. 37. Disponível em: <http://periodicos.pucminas.br/index.php/geografia/article/view/3418/3866>. Acesso em: 06 abr. 2017.

Publicado
2018-10-08
Como Citar
SILVA FILHO, A. L. DA. VEIAS E ARTÉRIAS: ressignificando sentidos. Revista Observatório, v. 4, n. 6, p. 1030-1035, 8 out. 2018.