NIILISMO REPAGINADO?

Palavras-chave: Corpo, Comunicação, Corporeidade, História, Filosofia

Resumo

O corpo é objeto de disputa política, religiosa, artística e, mais recentemente, científica. Neste sentido, este ensaio trás uma linha histórica apontando como o tema é encarado, bem como delineando o conjunto de significados, mitos e interditos relacionados ao corpo. No processo, tendo por bases autores da filosofia e sociologia clássicas de diferentes épocas, aponta para a possibilidade de uma retomada do niilismo, na busca de um ideal de corpo. Isso porque, ao se utilizar de técnicas ascéticas, os sujeitos envoltos na dinâmica dão uma dimensão sagrada ao corpo, além de negar certos aspectos da vida, como a decrepitude e a impermanência, condições inalienáveis à dimensão humana. De acordo com a proposta do ensaio e baseado em diversos autores, o corpo volta a ocupar lugar central na sociedade – como já ocorreu na Grécia Clássica –, só que agora esvaziado de sua dimensão política e social.

 

PALAVRAS-CHAVES: Corpo; niilismo; fotografía; ensaio.

 

 

ABSTRACT

The body is the object of political, religious, artistic and, more recently, scientific dispute. In this sense, this essay draws a historical line pointing out how the theme is viewed, as well as delineating the set of meanings, myths and interdicts related to the body. In the process, based on classical philosophical and sociological authors of different epochs, it points to the possibility of a resumption of nihilism in the search for an ideal of the body. This is because, when using ascetic techniques, the subjects involved in the dynamics give a sacred dimension to the body, besides denying certain aspects of life, such as decrepitude and impermanence, conditions inalienable to the human dimension. According to the proposal of the essay and based on several authors, the body returns to occupy central place in the society - as already occurred in Classical Greece -, but now emptied of its political and social dimension.

 

KEYWORDS: Body; nihilism; photography; essay.

 

 

RESUMEN

El cuerpo es objeto de disputa política, religiosa, artística y, más recientemente, científica. En este sentido, este ensayo tras una línea histórica apuntando como el tema es encarado, así como delineando el conjunto de significados, mitos e interditos relacionados al cuerpo. En el proceso, teniendo por bases autores de la filosofía y sociología clásicas de diferentes épocas, apunta a la posibilidad de una retomada del nihilismo, en la búsqueda de un ideal de cuerpo. Por eso, cuando se utilizan técnicas ascéticas, los sujetos envueltos en la dinámica dan una dimensión sagrada al cuerpo, además de negar ciertos aspectos de la vida, como la decrepitud y la impermanencia, condiciones inalienables a la dimensión humana. De acuerdo con la propuesta del ensayo y basado en diversos autores, el cuerpo vuelve a ocupar un lugar central en la sociedad -como ya ocurrió en la Grecia Clásica-, sólo que ahora vaciado de su dimensión política y social.

 

PALABRAS CLAVES: Cuerpo; niilismo; fotografia; ensayo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cynthia Mara Miranda, Universidade Federal do Tocantins

Doutora e mestre em Ciências Sociais (UnB), graduada em Comunicação Social (UFT) professora Adjunta do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Sociedade e do curso de Jornalismo da  Universidade Federal do Tocantins (UFT). Integra o Núcleo de Pesquisa e Extensão Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (Opaje-UFT). E-mail: cynthiamara@mail.uft.edu.br.  

Sonielson Luciano de Sousa, Centro Universitário Luterano de Palmas

Mestrando em Comunicação e Sociedade (PPGCOM-UFT); bacharel em Comunicação Social (Publicidade - Ceulp/Ulbra); sócio-fundador do jornal e site O GIRASSOL (desde 1999). É professor universitário do Centro Universitário Luterano de Palmas (Ceulp/Ulbra). E-mail: sonielson.sousa@ceulp.edu.br. 

Referências

BERGON, Henri. Matéria e memória. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

EAGLETON, Terry. A morte de Deus na cultura. Rio de Janeiro: Record, 2016.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. Curitiba: Vozes, 2015.

FREIRE COSTA, Jurandir. O vestígio e a aura: corpo e consumismo na moral do espetáculo. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

GOLDHILL, Simon. Amor, sexo & tragédia: Como os gregos e romanos influenciam nossas vidas até hoje. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do Cansaço. Curitiba: Vozes, 2015.

NIETZSCHE, Friedrich. A Gaia ciência. São Paulo: Martin Claret, 2016.

_______. Crepúsculo dos Ídolos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2017.

ROUDINESCO, Elisabeth. Por Que A Psicanálise?. Rio de Janeiro: ZAHAR, 2000.

SCHOPENHAUER, Arthur. O Mundo como Vontade e Representação. Rio de Janeiro: Contraponto Editora, 2001.

Publicado
2018-01-01
Como Citar
MIRANDA, C.; DE SOUSA, S. NIILISMO REPAGINADO?. Revista Observatório, v. 4, n. 1, p. 869-878, 1 jan. 2018.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##