A GRANDE QUESTÃO PARA SER PROFESSOR É SABER CRIAR MECANISMOS PARA NÃO ADOECER”: PRAZER E SOFRIMENTO NO TRABALHO E AS ESTRATÉGIAS ELABORADAS POR DOCENTES DE ESCOLAS ESTADUAIS

Resumo

O presente artigo é resultado de uma pesquisa qualitativa, que contou com a participação de oito professores do município de Santa Cruz do Sul/RS. Tem como objetivo investigar como a organização de trabalho atua na produção de prazer e sofrimento de professores de escolas públicas, considerando as estratégias (defensivas, de permanência do sujeito no trabalho e de mobilização subjetiva e coletiva) elaboradas para evitar o adoecimento. Para tanto, utilizou-se uma adaptação da metodologia strictu sensu da Psicodinâmica do Trabalho. A partir da análise e interpretação dos dados, constatou-se que o reconhecimento dos alunos é a maior fonte de prazer dos professores, motivando-os a continuar investindo em seu trabalho. Contudo, os docentes revelam haver pouco reconhecimento de sua categoria pela sociedade, além de sentirem-se desestimulados pelos gestores públicos. Destarte, foi evidenciada a necessidade de maiores investimentos na educação e reconhecimento dos professores, para que eles transformem seu sofrimento em prazer, na medida em que compreenderem que seu esforço possui significado.

Palavras-chave: Psicodinâmica do Trabalho; Saúde do Trabalhador; Trabalho Docente; Prazer e Sofrimento; Estratégias Defensivas.

Biografia do Autor

Yohanna Breunig, Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

Mestranda em Educação pela Universidade de Santa Cruz do Sul – UNISC (Bolsista PROSUC/Capes). Psicóloga, graduada em Psicologia pela Universidade de Santa Cruz do Sul – UNISC (2017). Integrante do Grupo de Pesquisa Educação, Trabalho e Emancipação. Experiência na área de Psicologia. Mobilidade Acadêmica no Instituto Superior de Psicologia Aplicada - ISPA em Portugal (2016).

Karine Vanessa Perez, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

Doutora e Mestre em Psicologia Social e Institucional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS (2017). Docente da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC). Psicóloga, graduada em Psicologia pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - Campus de São Miguel do Oeste (2007). Especialista em Psicologia Clínica Humanista pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - Campus de São Miguel do Oeste (2009). Integrante do Laboratório de Psicodinâmica do Trabalho - PPGPSI/UFRGS. Experiência na área de Psicologia, ênfase em Psicologia Social e Saúde Mental e Trabalho.

Publicado
2018-12-04
Seção
Artigos Teóricos e Empíricos