TELE-SOLIDARIEDADE EM FAMÍLIA NAS TARDES DE SÁBADO DA TV GLOBO: um estudo sobre o Caldeirão do Huck e o Estrelas Solidárias

  • Valquíria Aparecida Kneipp Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Renato Ferreira de Moraes Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: Grotesco, Mídia, Televisão, Entretenimento, tele solidariedade

Resumo

O presente artigo aborda as características do discurso de solidariedade intrínseco à linguagem dos programas “Estrelas Solidárias” e “Caldeirão do Huck”, ambos exibidos aos sábados na Rede Globo de Televisão em rede nacional. Aqui, o recorte para a análise qualitativa elenca os programas exibidos no dia 16 de junho de 2017. A hipótese é que o grotesco, codificado na carência das classes menos favorecidas ou em casos individuais de carência afetiva ou material, é a principal narrativa desse tipo de articulação, em que informação e entretenimento se fundem. As referências são os estudos de Sodré (1975, 2004, 2006) sobre o grotesco nos meios de comunicação de massa do Brasil. Além disso, soma-se o conceito de tele-solidariedade de García-Canclini (2008), diante do qual identificou-se um misto de solidariedade midiatizada com toques de um assistencialismo high tech.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valquíria Aparecida Kneipp, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Graduada em Jornalismo pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1990), tem mestrado (2002) e doutorado (2008) em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Foi editora-assistente da Revista PJ:BR Jornalismo Brasileiro (de 2005 até 2011), atualmente é Professora Associada de graduação e pós-graduação da UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte (desde 2009). E-mail: valquiriakneipp@yahoo.com.br.

Renato Ferreira de Moraes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Graduado em Comunicação Social - habilitação Jornalismo - pela UFRN (2004), tem pós-graduação lato sensu em Gestão da Comunicação Institucional pela Universidade Castelo Branco/Instituto de Educação do Exército (2009) e mestrado em Estudos da Mídia pela UFRN. E-mail: rmoraes132@gmail.com.

Referências

A BÍBLIA. Mateus. In: Bíblia. Bíblia Sagrada – Edição Pastoral. Trad. Ivo Stoniolo e Euclides Martins Balancin. São Paulo: Paulus, 1990. Novo testamento.

BRIGGS, A.; BURKE, P. Uma história social da mídia. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

CHARAUDEAU, P. Discurso das Mídias. São Paulo: Contexto, 2010.

DA SILVA, C. E. L. Muito além do Jardim Botânico. São Paulo: Summus, 1985.

GARCÍA-CANCLINI, N. Leitores, Espectadores e Internautas. São Paulo: Iluminuras, 2008.

GLOBO PLAY. Caldeirão do Huck (Variedades). Disponível em: https://globoplay.globo.com/caldeirao-do-huck/p/2521. Acesso em: 09 ago. 2017.

GOMES, W. Transformações da Política na Era de Comunicação de Massa. São Paulo: Paulos, 2004.

GSHOW. Caldeirão do Huck (Programas). Disponível em: http://gshow.globo.com/programas/caldeirao-do-huck. Acesso em: 10 ago. 2017.

GSHOW. Estrelas (Programas). Disponível em http://gshow.globo.com/programas/estrelas. Acesso em 10 de agosto de 2017.

GSHOW. Estrelas Solidárias: 6 motivos para não perder a estreia. Abr. 2017. Disponível em: https://gshow.globo.com/Bastidores/noticia/estrelas-solidarias-6-motivos-para-nao-perder-a-estreia.ghtml. Acesso em: 09 ago. 2017.

HJARVARD, S. Midiatização: conceituando a mudança social e cultural. Matrizes, São Paulo, v. 8, n.1, p. 21-44, jan./jun. 2014.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PNAD Contínua. Acesso à internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal. 2016. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Trabalho_e_Rendimento/Pesquisa_Nacional_por_Amostra_de_Domicilios_continua/Anual/Acesso_Internet_Televisao_e_Posse_Telefone_Movel_2016/Analise_dos_Resultados.pdf. Acesso em: 22 mai. 2017.

MCLUHAN, M. O meio são as mensagens. Rio de Janeiro: Record, 1969.

MEMÓRIA GLOBO. Perfis (Profissionais). Disponível em: http://memoriaglobo.globo.com/perfis/talentos/angelica.htm. Acesso em: 21 ago. 2017.

MEMÓRIA GLOBO. Estrelas Solidárias (Variedades). Disponível em: https://globoplay.globo.com/estrelas/p/4069. Acesso em: 09 ago. 2017.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Secretaria de Comunicação Social. Pesquisa Brasileira de Mídia 2016: hábitos de consumo de mídia pela população brasileira. Brasília: Secom, 2016. Disponível em: http://www.secom.gov.br/atuacao/pesquisa/lista-de-pesquisas-quantitativas-e-qualitativas-de-contratos-atuais/pesquisa-brasileira-de-midia-pbm-2016.pdf/view. Acesso em: 16 jun. 2017.

SODRÉ, M.; PAIVA, R. O Império do Grotesco. Rio de Janeiro: Mauad, 2002.

SODRÉ, M. A Comunicação do Grotesco. Rio de Janeiro: Vozes, 1975.

SODRÉ, M. As Estratégias Sensíveis: afeto, mídia e política. Petrópolis: Vozes, 2006.

QUEM ACONTECE. Quem News. Luciano Huck. 2009. Disponível em: http://revistaquem.globo.com/Revista/Quem/0,,EMI92634-9531,00-LUCIANO+HUCK.html. Acesso em: 21 ago. 2017.

WALBER, V. B.; SILVA, R. N. As práticas de cuidado e a questão da deficiência: integração ou inclusão? Estudos de Psicologia, Campinas, n. 23, jan./mar. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/estpsi/v23n1/v23n1a04.pdf. Acesso em: 12 ago. 2017.

Publicado
2019-10-01
Como Citar
KNEIPP, V. A.; FERREIRA DE MORAES, R. TELE-SOLIDARIEDADE EM FAMÍLIA NAS TARDES DE SÁBADO DA TV GLOBO: um estudo sobre o Caldeirão do Huck e o Estrelas Solidárias. Revista Observatório, v. 5, n. 6, p. 857-885, 1 out. 2019.