DO QUADRO NEGRO AO TABLET: Desafios da docência na era digital

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n3p532

Palavras-chave:

Quadro-negro e tablets, concepção pedagógica, formação de professores

Resumo

Este artigo contextualiza o cenário contemporâneo de ampla difusão e uso das tecnologias no cotidiano dos jovens e ao mesmo tempo faz uma analogia da introdução do quadro-negro e do tablet  na escola. Apresenta dados coletados numa pesquisa realizada com professores da rede pública que reforçam a necessidade da formação docente para a literacia digital com foco na aprendizagem online. Parte do pressuposto de que a introdução do quadro negro nas escolas, no século XIX, impactou de forma relevante o modelo de educação, que antes era individual e baseada na oralidade do professor para a forma escrita e coletiva. A chegada do tablet que permitiu ao aluno o acesso a informações de múltiplas fontes, também mudou significativamente o contexto educativo. No entanto, os tablets e outros dispositivos móveis não obtiveram respaldo nas práticas docentes como ocorreu com a introdução do quadro- negro nas escolas. Assim, este artigo visa fazer algumas provocações sobre as (re) configurações que os dispositivos móveis causaram nas formas tradicionais de ensino e aprendizagem e as mudanças no papel docente. As reflexões sobre a temática iniciaram no âmbito da pesquisa de doutoramento em Educação na Universidade do Minho intitulada: Formação de professores, Literacia Mediática e Inclusão Sociodigital: Estudo de caso em curso a distância da Universidade Federal do Tocantins. O estudo constatou que professores cursistas de licenciatura online admitem possuir baixa literacia digital, sentem dificuldades em lidar com alunos portadores de celulares ou tablets nas aulas e afirmam não interagir com os alunos fora dos espaços escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bento Duarte da Silva, Universidade do Minho

Professor  catedrático  no  Instituto  de  Educação  da Universidade  do  Minho.  Braga,  Portugal. Licenciado  em  Ensino  de  História  e  Ciências  Sociais  e Doutor  em  Ciências  da  Educação  pela Universidade do Minho. E-mail: bento@ie.uminho.pt. 

Elaine Jesus Alves, Universidade Federal do Tocantins

Doutoranda em Ciências da Educação na Universidade de Minho - Portugal. Mestre em Avaliação de Políticas Públicas pela Universidade Federal do Cear á (UFC). Graduada em Pedagogia pela Fundação Universidade Federal do Tocantins  (UFT). Atualmente é pedagoga da Fundação Universidade Federal do Tocantins, lotada na Diretoria de Tecnologias Educacionais como coordenadora pedagógicas de programas . E-mail: elainealves@uft.edu.br.

Isabel Cristina Auler Pereira, Universidade Federal do Tocantins

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestre em Literatura Brasileira pela UnB, (2002). Graduação em Letras Inglês/Português, Especialista em Avaliação Institucional e em Ensino de Língua Portuguesa. Reitora da Universidade Federal do Tocantins a partir de 2016. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE-UFT). E-mail: isabel@uft.edu.br.

Referências

ALMEIDA, M. E., & VALENTE, J. A. Tecnologias e curículo: trajetórias convergentes ou divergentes. São Paulo: Paulus, 2011.

ALVES, J., &. SILVA, D. B. Literacia digital de professores: um estudo de caso em curso de licenciatura a distância no Tocantins, Brasil. In: Actas da IX Conferência Internacional De Tic Na Educação – Challenges 2015. Braga Portugal, maio de 2015.

BARRA, L.M. V. A lousa de uso escolar: traços da história de uma tecnologia da escola moderna. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 49, p. 121-137, jul./set. 2013. Editora UFPR.

BASTOS, B. C. M. (Org.) A escola elementar no século XIX. O método monitorial/mútuo. Passo Fundo: EdUPF, 1999.

________________. Do quadro-negro à lousa digital: A história de um dispositivo escolar. Cadernos de História da Educação, n. 4, pp. 133-141, jan./dez. 2005.

BAUMAN, Z. É possível que já estejamos em plena revolução. Entrevista disponível em <http://www.fronteiras.com/entrevistas/zygmunt-bauman-e-possivel-que-ja-estejamos-em-plena-revolucao>. Acesso em 12 jun. 2015.

CASTELLS, M. A Sociedade em Rede. A Era da informação: economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

______. A obsolescência da educação. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v= eb0cNrE3I5g>. Acesso em 15 mar. 2015.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, Pnad 2013. Disponível em <http://saladeimprensa.ibge.gov.br/ pt/noticias?busca=1&id=1&idnoticia=2876&view=noticia>. Acesso em 14 jun. 2015.

LAJE, M. O. P. DIAS, A. M. Literacia informacional e mediática no mundo digital e em contexto de ensino profissional: novo mito ou plano necessário de acção? In: Actas do Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas. Lisboa - Fundação Calouste Gulbenkian, 18, 19 e 20 de Outubro de 2012.

LÉVY, P.. A revolução contemporânea em matéria de comunicação. Revista FAMECOS, n. 9, pp. 37-49, 1998.

______. A revolução digital está só no começo. Jornal Correio do Povo, Caderno de Sábado 11 de abril, 2015. Disponível em <http://www.correiodopovo.com.br/blogs/juremirmachado/2015/04/7087/pierre-levy-a-revolucao-digital-so-esta-no-comeco/ >. Acesso em 12 junho 2016.

LOPES, R. C. P. Literacia mediática e cidadania. Perfis de estudantes universitários da Grande Lisboa: Enquadramento teórico-conceptual, questões metodológicas e operacionais. Anais do Congresso Nacional “Literacia, Media e Cidadania”, Braga, Universidade do Minho: Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, 22 a 26 de Março de 2011.

MOURA, A. Geração Móvel: um ambiente de aprendizagem suportado por tecnologias móveis para a “Geração Polegar”. P. Dias, A. J. Osório (org.) Actas da VI Conferência Internacional de TIC na Educação - Challenges 2009, pp 50 - 78. Disponível em : <http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/10056/1/Moura%20(2009)%20 Challenges.pdf.>. Acesso em 10 jun. 2015.

NÓVOA, A. Nada será como Antes. Revista Pátio, n. 72, novembro de 2014. Disponível em <http://loja.grupoa.com.br/revista-patio/artigo/10938/nada-sera-como-antes.aspx>. Acesso em 12 de agosto de 2016.

¬¬¬¬¬¬¬¬______. Em busca da Liberdade. A pedagogia universitária do nosso tempo. Revista da Docência Universitária, pp.21-35, 2015.

PAPERT, S. A máquina das crianças: Repensando a escola na era da informática. Porto Alegre, Artes Médicas, 210 pp., 1994. Tradução de Sandra Costa, do original (1993). The Children's Machine. NY, Basic Books. Consultoria, revisão e supervisão técnica de Maria Carmen Silveira Barbosa (da Faculdade de Educação da UFRGS)

SANTAELLA. O leitor ubíquo e suas consequências para a educação. Disponível em <http://www.agrinho.com.br/site/wp-content/uploads/2014/09/2_01_O-leitor-ubiquo.pdf>. Acesso em 21 mai. 2015.

SERRES, M. A polegarzinha: uma nova forma de viver em harmonia e pensar as instituições, de ser e de saber. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

SILVA, B. Inovações tecnológicas e processos educacionais: o que muda nas escolas? Conferência de abertura do I Seminário Internacional de Educação a Distância (I SEMEAD), realizada no Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), Natal, em 28 de Novembro de 2012.

--------------- Cenários Educativos de Inovação na Sociedade Digital: com as tecnologias o que pode mudar na escola? In: Ferreira, A. C. (org.). Nas Pegadas das Reformas Educativas: Conferências do I Colóquio cabo-verdiano realizado no Departamento de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Cabo Verde. Praia. Universidade de Cabo Verde, pp. 38-55, 2014.

SOUSA, J. M., & FINO, C. N. As TIC abrindo caminho a um novo paradigma educacional. Educação e Cultura Contemporânea, pp. p.11-26, Jan./Jun. de 2008.

SILIBIA, P. Redes ou paredes: a escola em tempos de dispersão. Rio de Janeiro. Contraponto, 2012.

TOFFLER, A. Choque do Futuro. Lisboa: Livros do Brasil, 1970.

UFT. Projeto Pedagógico do curso de Licenciatura em Física a Distância. Palmas, 2009.

UIT (União Internacional de Telecomunicações) Measuring the information society. Disponível em <http://www.itu.int/en/ITU-D/Statistics/Pages/publications/mis2013.aspx>. Acesso em 23 mar. 2016.

Publicado

2017-05-01

Como Citar

SILVA, Bento Duarte da; ALVES, Elaine Jesus; PEREIRA, Isabel Cristina Auler. DO QUADRO NEGRO AO TABLET: Desafios da docência na era digital. Revista Observatório , [S. l.], v. 3, n. 3, p. 532–560, 2017. DOI: 10.20873/uft.2447-4266.2017v3n3p532. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/article/view/3180. Acesso em: 12 jul. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)