PSICODINÂMICA DO TRABALHO E ATIVIDADE PASTORAL

Resumo

Utilizando a Psicodinâmica do Trabalho como fundamento teórico, o presente estudo objetivou investigar as vivências de prazer-sofrimento no exercício do trabalho pastoral. Seus objetivos específicos foram: conhecer a organização do trabalho pastoral; investigar as estratégias de mediação do sofrimento dos pastores no exercício da profissão; e investigar se há reconhecimento do trabalho pastoral. Esta pesquisa foi realizada com quinze pastores de igrejas evangélicas de Brasília, Distrito Federal, Brasil. A coleta de dados se deu por meio da realização de entrevistas semiestruturadas individuais, cujas falas foram analisadas por meio da técnica da Análise de Núcleos de Sentido. Como resultados, encontrou-se satisfação e identificação com as atividades pastorais, mas também excesso de trabalho. Há também falta de reconhecimento do trabalho pastoral por parte de alguns membros e/ou fieis, fatores que são minimizados pelo uso de estratégias de defesa. Não foi encontrado o uso de mobilização subjetiva. Apesar da ausência de afastamentos médicos recentes, o trabalho pastoral conduz ao adoecimento físico, psíquico e social.

 

Palavras-chave:psicologia do trabalho, psicodinâmica do trabalho, prazer-sofrimento, reconhecimento, atividade pastoral

Biografia do Autor

Osmar Oliveira Alves dos Santos, Instituto Brasileiro de Psicologia

Psicólogo graduado na Universidade Católica de Brasília (UCB), Bacharel em Teologia pela Faculdade Evangélica de Brasília (FE), Especialista em Psicanálise Clínica pela Associação Nacional de Psicanálise Clínica (ANPC), Especialista em Gestão Eclesiástica pela Faculdade Evangélica de Brasília (FE)

Ana Cláudia Almeida Machado, Universidade de Brasília

Psicóloga (UnB), Especialista em Bioética (UnB), Mestra em Psicologia Social do Trabalho e das Organizações (PSTO-UnB), Doutoranda em Psicologia Clínica e Cultura da Universidade de Brasília (PsiCC – UnB) e ex-docente do Curso de Psicologia da Universidade Católica de Brasília

Emilio Peres Facas, Universidade de Brasília

Colaborador do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações (UnB). Psicólogo, Doutor em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações pela Universidade de Brasília com período sanduíche na UniversitéCatholique de Louvain. Coordenador do Laboratório de Psicodinâmica e Clínica do Trabalho - LPCT/UnB.

Publicado
2018-12-07
Seção
Artigos Teóricos e Empíricos