Aspectos Aspectos qualitativos e quantitativos da arborização das praças públicas de Gurupi, TO, Brasil

  • Allan Deyvid Pereira da Silva Universidade Federal do Paraná
  • Antonio Carlos Batista Universidade Federal do Paraná
  • Marcos Giongo Universidade Federal do Tocantins
  • Daniela Batista Biondi Universidade Federal do Paraná
  • André Ferreira Dos Santos Universidade Federal do Tocantins
  • Jader Nunes Cachoeira Universidade Federal do Paraná
  • Igor Eloi Silva Machado Universidade Federal do Tocantins
Palavras-chave: floresta urbana, silvicultura urbana, áreas verdes

Resumo

A caracterização das condições da arborização urbana contribui para o conhecimento qualitativo e quantitativo do ativo florestal de uma cidade, dando subsídio teórico para a sua gestão e manejo. O presente trabalho teve como objetivo caracterizar a altura total e altura da primeira bifurcação, bem como as condições físicas do tronco e da copa da arborização das praças públicas de Gurupi, TO. Para isso, foi aferida a altura total e a altura da primeira bifurcação de todos os indivíduos, além disso, foi avaliada a integridade dos troncos das árvores atribuindo-lhes um conceito específico de acordo com as suas condições (Bom, Regular e Ruim) e a ocorrência de podas nas copas (Drástica, de Condução e Inexistente). Constatou-se que as mudas usadas para a arborização das praças de Gurupi não têm ido a campo com altura total e altura da primeira bifurcação mínima recomendada pela literatura especializada; as praças do Tadeu, Waldir Lins e Pedro Dias tiveram a arborização com as melhores condições de caule e as praças Vila Íris, Vila Nova e Pauliceia as piores condições; na praça do Tadeu a arborização não sofreu nenhum tipo de poda; e as praças Vila Íris e Pedro Dias são as que tem maior incidência de poda drástica em sua arborização.

Biografia do Autor

Allan Deyvid Pereira da Silva, Universidade Federal do Paraná
  Mestrado em Ciência Florestal e Ambiental pela Universidade Federal do Tocantins, Brasil(2015)
Doutorando da Universidade Federal do Paraná , Brasil.
Antonio Carlos Batista, Universidade Federal do Paraná
  Doutorado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná, Brasil(1995)
Professor titular da Universidade Federal do Paraná , Brasil.
Marcos Giongo, Universidade Federal do Tocantins
  Doutorado em Ambiente e Territorio pelo Università degli Studi del Molise, Itália(2011)
Coordenador do Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo , Brasil.
Daniela Batista Biondi, Universidade Federal do Paraná
  Doutorado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná, Brasil(1995)
Professor Titular da Universidade Federal do Paraná , Brasil.
André Ferreira Dos Santos, Universidade Federal do Tocantins
  Doutorado em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Brasil(2009)
Vice Coordenador do Curso de Eng Florestal da Universidade Federal do Tocantins , Brasil
Jader Nunes Cachoeira, Universidade Federal do Paraná

Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais pela Universidade Federal do Tocantins, Brasil(2015)
Assistente em Administração da Universidade Federal do Tocantins , Brasil.

Igor Eloi Silva Machado, Universidade Federal do Tocantins

Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais pela Universidade Federal do Tocantins, Brasil(2018)

Referências

ALMEIDA, D.N.; RONDON NETO, R.M. Análise da arbo-rização urbana de duas cidades da região norte do estado de Mato Grosso. Revista Árvore, Viçosa, v.34, n.5, p.899-906, 2010. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622010000500015>. Acesso em: 20 agosto 2018.

BARGOS, D.C.; MATIAS, L.F. Áreas verdes urbanas: um estudo de revisão e proposta conceitual. Revista da Socieda-de Brasileira de Arborização Urbana, Piracicaba, v.6, n.3, p.172-188, 2011. Disponível em: <http://www.ige.unicamp.br/geoget/acervo/artigos/areas%20verdes%20urbanas%20Danubia.pdf>. Acesso em: 25 agos-to 2018.

BIONDI, D.; ALTHAUS, M. Árvores de rua de Curitiba: cultivo e manejo. Curitiba: FUPEF, 2005. 177p.

BOVO, M.C.; ANDRADE, T.B. Produção do espaço históri-co-cultural de Campo Mourão (PR) Brasil: um estudo de suas praças centrais. Formação, Presidente Prudente, v.1, n.19, 2012. Disponível em: <http://revista.fct.unesp.br/index.php/formacao/article/view/919/1714>. Acesso em: 25 agosto 2018.

DA SILVA, A.D.P.; DOS SANTOS, A.F.; DE OLIVEIRA, L. M. Índices de área verde e cobertura vegetal das praças públicas da cidade de Gurupi, TO. Floresta, Curitiba, v.46, n.3, p.353-362, 2016. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.5380/rf.v46i3.40052>. Acesso em: 20 agosto 2018

DA SILVA, J.S.; VIANNA, K.R.; BÜNDCHEN, M. Diag-nóstico qualitativo e quantitativo da vegetação arbórea da Praça dos Açorianos, Porto Alegre, RS. ScientiaTec, Porto Alegre, v.4, n.2, p.208-221, 2017. Disponível em: <https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/ScientiaTec/article/view/1598/pdf>. Acesso em: 20 agosto 2018

DOS SANTOS, A.F.; JOSÉ, A.C.; SOUSA, P.A. Fitosso-ciologia e diversidade de espécies arbóreas das praças cen-trais do município de Gurupi-TO. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, Piracicaba, v.8, n.4, p.36‐46, 2013.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Bra-sil/Tocantins/Gurupi. 2018. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/to/gurupi/panorama>. Acesso em: agosto de 2018.

LACERDA, N.P.; SOUTO, P.C.; DIAS, R.S.; SOUTO, L.; SOUTO, J. Percepção dos residentes sobre a arborização da cidade de São José de Piranhas-PB. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, Piracicaba, v.5, n.4, p.81-95, 2010.

LIMA NETO, E.M.; SOUZA, R.M. Comportamento e carac-terísticas das espécies arbóreas nas áreas verdes públicas de Aracaju, Sergipe. Scientia Plena, Aracaju, v.7, n.1, p.1-10, 2011. Disponível em: <https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/91/100>. Acesso em: 20 agosto 2018.

MACHADO, A.L.; MENDONÇA, T.P.; MEZZAVILLA, N.V.; NETO, J.J. Crescimento inicial de espécies utilizadas na arborização urbana em resposta a adubação e calagem. Semioses, v.12, n.1, p.66-83, 2018. Disponível em: <http://apl.unisuam.edu.br/revistas/index.php/Semioses/article/view/1981996X.2018v12n1p66/1110>. Acesso em: 20 agosto 2018.

MARTINI, A.; BIONDI, D.; BATISTA, A.C. Variação diária e estacional do microclima urbano em ruas arborizadas de Curitiba-PR. Floresta e Ambiente, Seropédica, v.20, n.4, p.460-469, 2013. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.4322/floram.2013.045>. Acesso em: 20 agosto 2018.

NICODEMO, M.L.F.; PRIMAVESI, O. Por que manter árvores na área urbana? EMBRAPA Pecuária Sudeste-Documentos (INFOTECA-E), Brasília, 2009. 40p. Dispo-nível em: <http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/82803>. Acesso em: 20 agosto 2018.

OLIVEIRA, A.S.; SANCHES, L.; DE MUSIS, C.R.; NO-GUEIRA, M.C.J.A. Benefícios da arborização em praças urbanas - o caso de Cuiabá/MT. Revista Eletrônica em Ges-tão, Educação e Tecnologia Ambiental, Santa Maria, v.9, n.9, p.1900-1915, 2013. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.5902/223611707695>. Acesso em: 20 agosto 2018.

RIBEIRO, F.A.B.S. Arborização urbana em Uberlândia: percepção da população. Revista da Católica, Uberlândia, v.1, n.1, p.224-237, 2009. Disponível em: <https://s3.amazonaws.com/academia.edu.documents/34695724/20_Arborizacao_urbana.pdf?AWSAccessKeyId=AKIAIWOWYYGZ2Y53UL3A&Expires=1535486762&Signature=xTlAOjp5cAw1NxkKDbkDGXiqik8%3D&response-content-disposi-tion=inline%3B%20filename%3D20_Arborizacao_urbana.pdf>. Acesso em: 20 agosto 2018.

ROSSETTI, A.I.N.; PELLEGRINO, P.R.M.; TAVARES, A.R. As árvores e suas interfaces no ambiente urbano. Re-vista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, Piraci-caba, v.5, n.1, p.1-24, 2010. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/268300442>. Acesso em: 20 agosto 2018.

SILVA, M.P.; FONTES, M.S.G.C. Parâmetros espaciais e estético-ambientais de avaliação da qualidade da arborização viária. Revista nacional de gerenciamento de cidades, Tupã, v.6, n.38, p.75-90, 2018. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.17271/2318847263820181755>. Acesso em: 20 agosto 2018.

TOCANTINS. Atlas do Tocantins: subsídios ao planejamento da gestão territorial. Palmas: Seplan, 6.ed. rev. atu. 2012. Disponível em: <https://seplan.to.gov.br/zoneamento/atlas-do-tocantins/>. Acesso em: 20 agosto 2018.

TUAN, Y. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina: EDUEL, 2012.

ZEM, L.M.; BIONDI, D. Análise da percepção da população em relação ao vandalismo na arborização viária de Curitiba – PR. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, Piracicaba, v.9, n.3, p.86-107, 2014. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/288838492>. Acesso em: 20 agosto 2018.

Publicado
2019-09-15
Como Citar
da Silva, A. D. P., Batista, A. C., Giongo, M., Biondi, D. B., Dos Santos, A. F., Cachoeira, J. N., & Machado, I. E. S. (2019). Aspectos Aspectos qualitativos e quantitativos da arborização das praças públicas de Gurupi, TO, Brasil. Journal of Biotechnology and Biodiversity, 6(1), 209-216. https://doi.org/10.20873/jbb.uft.cemaf.v6n1.pereirasilva

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)