Avaliação do crescimento inicial das mudas de Tabebuia serratifolia (Ipê Amarelo) sob diferentes regimes hídricos.

Palavras-chave: estresse hídrico, germinação

Resumo

Este trabalho teve como objetivo avaliar o crescimento inicial das mudas de Tabebuia serratifolia (ipê amarelo) sob diferentes regimes hídricos, de forma a encontrar o que melhor se adapta para a espécie em fase inicial de crescimento.  Foram utilizados os seguintes equipamentos para a mensuração das variáveis dendrométricas sendo elas: paquímetro digital para medir DAC (Diâmetro Altura do Colo) e régua milimétrica para medir a altura das mudas. O delineamento utilizado foi DIC (Delineamento Inteiramente Casualizado) onde realizou-se 6 repetições com 5 tratamento num total de 30 indivíduos, submetidas a diversos estresse hídrico, e uma testemunha. Concluiu-se que as sementes de Ipê Amarelo apresentam capacidade de adaptação ao estresse hídrico moderado, apresentando potencial para ser utilizada com sucesso em algumas fases da recuperação de áreas degradadas; contudo, o déficit hídrico severo pode afetar o início da germinação e atrasar seu desenvolvimento.

Referências

BATISTA, C.U.N. et al. Tolerância à inundação de Cecropia pachystachya Trec. (Cecropiaceae): aspectos ecofisiológicos e morfoanatômicos. Acta Botânica Brasilica. São Paulo, v. 22, n.1, p.91-98, jan/mar 2008.

BEWLEY, J.; BLACK, M. Seeds: physiology of development and germination. 3.ed. New York: Plenum Press, 1994. 445p.

LARCHER, W. Ecofisiologia vegetal. São Paulo: Rima Artes e Textos, 2000. 531p.

BITTENCOURT JÚNIOR, N.S. Auto-incompatibilidade de ação tardia e outros sistemas reprodutivos em Bignoniaceae. 2003. 275f. Tese (Doutorado em Biologia Vegetal). Univer-sidade de Campinas.

GOMES, M.M.A. et al. Interactions between leaf water poten-tial, stomatal conductance and abscisic acid content of or-ange trees submitted to drought estresse. Brazilian Journal of Plant Physiology, Londrina, v.16, n.3, p.155-161, Sept./Dec.2004.

MAIA, G.N. Caatinga: árvores e arbustos e suas utilidades. São Paulo: D&Z computação gráfica e editora, 2004. 413p.

NAZÁRIO, P. Tratamento pré-germinativo visando minimizar a dormência em sementes de tucumã (Astrocaryum aculea-tum G. Mey. 2006. 89f. Dissertação (Mestrado) –Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, 2006.

POTT, A.; POTT, V.J. Plantas do Pantanal. Corumbá: EM-BRAPA/CPAP – SPI, 1994. 320p.

SEPLAN, Secretaria do Planejamento e da Modernização da Gestão Pública. Atlas do Tocantins: subsídios ao planeja-mento da gestão territorial. Palmas, TO. 6. ed.80. 16 a 31 p. 2012.

SILVA, E.C. et al. Stomatal changes induced by intermittent drought in four umbu tree genotypes. Brazilian Journal of Plant Physiology, Londrina, v.21, n.1, p.33-42, Jan./Mar. 2009.

TAIZ, L.; ZEIGER, F. Fisiologia vegetal. 3.ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. p.719.

TAIZ, E.; ZEIGER, L. Fisiologia vegetal. 4.ed. Porto Alegre: ARTMED, 2009. 848p.

Publicado
2019-07-01
Como Citar
Silva, M. C., Maciel, D., Coelho, M. C. B., Giongo, M., Pereira, J. F., & dos Santos, A. F. (2019). Avaliação do crescimento inicial das mudas de Tabebuia serratifolia (Ipê Amarelo) sob diferentes regimes hídricos. Journal of Biotechnology and Biodiversity, 7(2), 299-303. https://doi.org/10.20873/jbb.uft.cemaf.v7n2.silva

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)