Inventário de biomassa em um plantio de Pinus elliottii engelm. aos 23 anos de idade

Palavras-chave: Modelagem matemática, biomassa, reflorestamentos

Resumo

O presente trabalho estimou a biomassa aérea de um povoamento de Pinus elliotti, com 23 anos de idade, localizado no município de Rio Branco do Sul - PR. Foram avaliadas separadamente a biomassa do fuste, galhos e acículas. A biomassa seca total estimada é composta por 85% de fuste, 10% de galhos e 5% de acículas. O modelo ajustado para a estimativa de biomassa seca aérea total, em função do diâmetro a altura do peito (DAP), apresentou um coeficiente de determinação (R²) de 0,91 e erro padrão da estimativa (Sxy) de 11,98%. Dentre os modelos ajustados para estimar as diferentes porções de biomassa na árvore, o que estima a biomassa do fuste foi o que apresentou melhor relação entre biomassa e o diâmetro à altura do peito.

Referências

Balbinot, R.; Valério, Á. F.; Sanquetta, C. R.; Caldeira, M. V. W.; Silvestre, R. (2008), Estoque de carbono em plantações de Pinus spp. em diferentes idades no sul do Estado do Paraná. Floresta, 38, 317-324.

Balbinot, R.; Schumacher M. V.; Watzlawick, L. F.; Sanquetta, C. R. (2003), Inventário do carbono orgânico em um plantio de Pinus taeda aos 5 anos de idade no Rio Grande do Sul. Revista Ciências Exatas e Naturais, 5, 59-68.

Hoeflich, V. A.; Alves, M. V. G.; Koehler, H. S.; Medrado, M. J. S. (2005), The Brazilian forest sector: challenges and strategies for its development. In: XXII IUFRO World Congress, Brisbane, Queensland.

Hoeflich, V. A.; Alves, M. V. G.; Tuoto, M. A. M.; Koehler, H. S. (2007), Challenges and strategies for the development of brazilian forest sector. In A Global Vision of Forestry in the 21st Century, Toronto.

Kengen, S. (2001), La Política Forestal Brasileña: Un breve histórico. Simposio Iberoamericano de Gestión y Economia Forestal. Porto Seguro, Bahia.

Martins, F. B.; Páscoa, M. F. M.; Silva; J. C. (2004), Modelos de estimativa de biomassa para acículas de Pinus pinaster Aiton. In: 3º Simpósio Latino-Americano sobre Manejo Florestal, Santa Maria, 49-54.

Peel, M. C.; Finlayson, B. L.; McMahon, T. A. (2007), Updated world map of the K¨oppen-Geiger climate classification. Hydrology and Earth System Sciences, 11,1633-1644.

Pellico Netto, S. e Brena, D. A. (1997), Inventário Florestal. Curitiba: Editorado pelos autores, 316 p.

Ritson, P. e S. Sochacki. (2003), Measurement and prediction of biomass and carbon content of Pinus pinaster trees in farm forestry plantations, south-western Australia. Forest Ecology and Management, 175, 103-117.

Salati, E. (1994), Emissão e seqüestro de CO2 - Uma nova oportunidade de negócios para o Brasil. In: Seminário Emissão e Seqüestro de CO2 – Uma nova oportunidade de negócios para o Brasil. Rio de Janeiro, 15-37.

Sanquetta, C. R. (2002), Métodos de determinação de biomassa florestal. In: As florestas e o carbono. Curitiba, 119-140.

SFB. Floresta do Brasil em resumo - 2010: dados de 2005-2010. Brasília-DF: SFB. 152p.

Watzlawick, L. F.; Koehler, H. S.; Kirchner, F. F. (2004), Estimativa de biomassa e carbono em plantios de Pinus taeda L. utilizando imagens de satélite IKONOS II. In: 3º Simpósio Latino-Americano sobre Manejo Florestal, Santa Maria, 168-178.

Publicado
2011-08-08
Como Citar
Giongo, M., Silva, D. B. da, Koehler, H. S., & Marchetti, M. (2011). Inventário de biomassa em um plantio de Pinus elliottii engelm. aos 23 anos de idade. Journal of Biotechnology and Biodiversity, 2(3), 81-86. https://doi.org/10.20873/jbb.uft.cemaf.v2n3.giongo

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)