HIDATIDOSE POLICÍSTICA SIMULANDO LESÕES CARCINOMATOSAS PULMONARES, NO ESTADO DO TOCANTINS

UM RELATO DE CASO

  • Rafael Nogueira Araújo de Lima
  • Aline Almeida Liberato
  • Pedro Henrique Procópio Lobo
  • Fellipe Camargo Ferreira Dias

Resumo

A hidatidose é uma doença parasitária causada pelas tênias do gênero Echinococcus sp., helmintos encontrados no intestino delgado de carnívoros. A contaminação do ser humano se dá após o contato com fezes de animais contaminados ou pela ingestão de alimentos crus ou mal cozidos contendo ovos e larvas do parasita. A doença leva à formação de cistos orgânicos, principalmente hepáticos e pulmonares, com sintomatologia muito variada. O objetivo deste trabalho é relatar o caso de um paciente portador de hidatidose policística hepática e pulmonar, assim como promover um debate acerca das recomendações mais atuais quanto ao diagnóstico e conduta desta entidade. O caso relatado se destaca por sua sintomatologia exuberante e evidencia que a ocorrência desta parasitose ainda é uma realidade na região Norte do país. Foram obtidas informações a partir de revisão do prontuário, entrevista com o paciente, registro fotográfico dos métodos diagnósticos aplicados e revisão da literatura pertinente. Atualmente, a ultrassonografia sobressai como a técnica mais utilizada mundialmente para classificação e estadiamento da hidatidose, com a desvantagem de ser um exame operador-dependente. A tomografia computadorizada e a ressonância magnética têm um papel crucial na identificação das lesões em diversos órgãos. A sorologia e o exame histopatológico completam o quadro de exames complementares utilizados na investigação e definição da doença. O tratamento da hidatidose envolve diferentes modalidades, como tratamento medicamentoso com antiparasitários, intervenção endoscópica ou percutânea e modalidades cirúrgicas. O acompanhamento regular do paciente é imprescindível, permitindo diagnóstico e tratamento precoce das reinfecções e recidivas.            
Palavras-chave: Hidatidose; Doença policística; Equinococose; Tocantins.

ABSTRACT

Hydatidosis is a parasitic disease caused by Echinococcus sp, a group of helmynths found in the digestive system of mammals. The human being is infected after accidental ingestion of parasite eggs present in feces of domesticated animals such as dogs. This disease leads to formation of organic cysts, primarily inside the liver and lung parenchyma, leading to diverse clinical findings. Our objective is to report a case of polycystic pulmonary and hepatic hydatidosis, while reviewing current recommendations for its diagnosis and treatment. Our case highlights the numerous signs and symptoms this disease can manifest, while also providing evidence that this disease is a reality in the North region of Brazil. Data were collected from patient interview, chart review, photographic record of diagnostic methods applied and review of relevant literature. Currently, ultrassonography is the most widely spread method for diagnosis and classification of hydatidosis, with the downside of depending on the performer’s experience. Computed tomography scan and magnetic ressonance imaging have a crucial role in identifying lesions in several organs. Immunological and histopathological analysis complete the series of exams used for the diagnosis. Hydatidosis treatment includes different lines of therapy, such as the prescription of anti-parasitic drugs, endoscopic or percutaneous intervention, and surgery. Regular follow-up is of upmost importance to quickly diagnose and treat potential complications.                                                
Keywords: hydatidosis, polycystic disease, echinococcosis, Tocantins.

Publicado
2017-06-20

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>