Úlcera de Lipschutz: uma revisão de literatura

  • Nádia Flor Gonçalves Meireles
  • Ana Beatriz Andrade de Mesquita Barros
  • Larissa Moreira Galvão Bello
  • Carlos Alberto Rodrigues Junior
  • Fellipe Camargo Ferreira Dias
  • Ana Carolina Batista de Souza Guedes
  • Virgílio Ribeiro Guedes

Resumo

Initially in 1913, Lipschutz described a vulvar ulcer pattern in female adolescents with no history of sexual intercourse associated with a sudden onset, painful vulvar ulceration, and systemic prodromes. Also known as ulcus vulvae actum or acute genital ulcer, it is a reaction to an infection or an inflammation, which can be systemic or localized in a non-vulvar site. The Lipschutz ulcer (LU) is a diagnosis of exclusion and it has numerous differential diagnoses. For example, sexually transmitted infections (STIs), non-venereal diseases, drug reactions, traumatic and neoplastic causes, among others, should be considered. This study aims to review the diagnosis and treatment of LU, since this disease is often underdiagnosed and constitutes an important differential diagnosis of genital ulcers. It is important to remember that this disease has a non-specific prodromic clinical condition, presenting itself with painful ulcers in the genital region, it is not sexually transmitted, it is self-limited and the treatment is focused on analgesia for better patient ease.  

Keywords: acute genital ulcer, Lipschutz ulcer, vulvar ulcer.

Inicialmente, em 1913, Lipschutz descreveu um padrão de úlcera vulvar em adolescentes do sexo feminino sem histórico de relações sexuais associadas a um início súbito, ulceração vulvar dolorosa e pródromos sistêmicos. Também conhecida como ulcus vulvae actum ou úlcera genital aguda, é uma reação a uma infecção ou inflamação, que pode ser sistêmica ou localizada em um sítio não vulvar. A úlcera de Lipschutz (UL) é um diagnóstico de exclusão e tem inúmeros diagnósticos diferenciais. Por exemplo, infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), doenças não venéreas, reações a drogas, causas traumáticas e neoplásicas, entre outras, devem ser consideradas. Este estudo tem como objetivo revisar o diagnóstico e o tratamento da UL, uma vez que esta doença é frequentemente subdiagnosticada e constitui um importante diagnóstico diferencial de úlceras genitais. É importante lembrar que esta doença possui uma condição clínica prodrômica não específica, apresentando úlceras dolorosas na região genital, não é sexualmente transmitida, é autolimitada e o tratamento é focado na analgesia para um melhor conforto do paciente.

Palavras-chave: Úlcera genital aguda, Úlcera de Lipschutz, Úlcera vulvar.

Publicado
2017-09-26
Seção
Revisões de Literatura

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 3 4 > >>