ENSINO E FORMAÇÃO EM JORNALISMO: POR QUE INSISTIR NO ENSINO DE SOCIOLOGIA?

Palavras-chave: comunicação, jornalismo, ensino, sociologia, sociologia do jornalismo, União Europeia, Bolonha

Resumo

O ensino de sociologia nos cursos de comunicação e jornalismo tem sido criticado, removido e perde espaço nos espaços formativos. Nesse cenário, a pesquisa qualitativa e documental, base desse artigo, sobre o ensino de sociologia, aconteceu entre 10 docentes, 05 de universidades brasileiras e 05 de universidades portuguesa.  Procedeu do exame dos projetos pedagógicos dos cursos de comunicação e jornalismo de 02 universidades brasileiras e 05 universidades portuguesas; da pesquisa dos programas da disciplina sociologia para verificar se o enfoque que é dado nos três campos das ciências sociais se devia a especificidades das próprias universidades e se sofriam interferências internas e externas,  e da verificação da metodologia de ensino da sociologia cruzando as bibliografias utilizadas, antes e depois das novas Diretrizes Curriculares de Jornalismo (no Brasil) e do Processo de Bolonha (em Portugal), com o objetivo de entender as escolhas bibliográficas de autores clássicos e contemporâneos.

 

 

Palavras-chave: Ensino. Sociologia. Comunicação. Jornalismo.

 

 

ABSTRACT

 

The teaching of sociology in the courses of communication and journalism has been criticized, removed and loses space in the training spaces. In this scenario, the qualitative and documentary research, the basis of this article, in the teaching of sociology, was carried out among 10 professors, 05 from Brazilian universities and 05 from Portuguese ones. Proceeded to examine the pedagogical projects of communication and journalism courses of 02 Brazilian universities and 05 Portuguese universities; of the research of the programs of the sociology discipline to verify if the approach that takes place in the three fields of the social sciences was due to the specificities of the universities themselves and if they suffered internal and external interferences and the verification of the methodology of teaching of sociology crossing the bibliographies used, before and after the new curriculum Journalism Guidelines (in Brazil) and the Bologna Process (in Portugal), in order to understand the options literature of classical and contemporary authors.

 

Keywords: Teaching. Sociology. Communication. Journalism.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joselinda Maria Rodrigues, Universidade Federal do Tocantins

Socióloga. Mestre em Comunicação e Sociedade pelo PPGCOM-UFT. E-mail: jomariarodrigues@hotmail.com.

Francisco Gilson Rebouças Porto Junior, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Francisco Gilson Rebouças Pôrto Júnior é doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (UFBA), mestre em Educação pela Faculdade de Educação (UnB) e graduado em Comunicação Social/Jornalismo (ULBRA) e Pedagogia (UnB). Atualmente é líder do Núcleo de Pesquisa e Extensão e Grupo Lattes Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE-UFT). É professor na Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Coordena pesquisas em ensino de jornalismo digital e preservação da Memória. Pesquisa sobre formação, ensino e processos educativos no Brasil, na União Europeia, CPLP/PALOPS e BRICS. E-mail: gilsonporto@uft.edu.br. 

Referências

ADORNO, T. W. Indústria cultural e sociedade. Seleção de textos. Jorge Mattos Brito de Almeida traduzido por Juba Elisabeth Levy...[eta1.]. São Paulo: Paz e Terra, 2002. Disponível em:< file:///C:/Users/gomes/AppData/Local/Temp/Temp3_Sociologia%20do%20Jornalismo.zip/ADORNO,%20T.%202009.%20Indústria%20cultural%20e%20sociedade%20-%20alunos.pdf>. Acesso 20 jan. 2017.

ALVES, E.; SILVA, B.; SILVA, R. MAPEAMENTO DOS ESTUDOS SOBRE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO ÂMBITO DO PROCESSO DE BOLONHA EM PORTUGAL. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 248-273, 1 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n6p248.

BATISTA, A.; MACIEL, W. PRISÃO COMO GUETO: a dinâmica de controle e de extermínio de jovens negros pobres. Revista Observatório, v. 4, n. 2, p. 174-200, 1 abr. 2018. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2018v4n2p174.

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro, RJ: Jorge Zahar, 2001.

BFUG. Report of the 2012-2015 BFUG working group on the social dimension and lifelong learning to the BFUG. Disponível em < https://media.ehea.info/file/2015_Yerevan/71/3/Report_of_the_2012-2015_BFUG_WG_on_the_Social_Dimension_and_Lifelong_Learning_to_the_BFUG_613713.pdf>. Acesso 01 fev. 2018.

CANCLINI, N. G. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Edusp, 1998.

COSTA, A.; BRAGA, T.; PINHO, A.; KABUENGE, N. A CONSTRUÇÃO SOCIAL DA VIOLÊNCIA NA AMAZÔNIA PARAENSE: relações discursivas do jornal Correio do Tocantins. Revista Observatório, v. 4, n. 6, p. 293-321, 8 out. 2018. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2018v4n6p293.

CÔRTE, B.; SANTOS, B. EM NOME DO CUIDADO SE NATURALIZA A VIOLÊNCIA: o caso da contenção. Revista Observatório, v. 4, n. 2, p. 279-297, 1 abr. 2018. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2018v4n2p279.

DURKHEIM, E. Da divisão social do trabalho. 2ª ed. - São Paulo: Martins Fontes, 1999. Disponível em < https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/203937/mod_resource/content/1/Da%20divis%C3%A3o%20social%20do%20trabalho.%20%C3%89mile%20Durkheim%3B%20tradu%C3%A7%C3%A3o%20de%20Eduardo%20Brand%C3%A3o.%20-%202%C2%AA%20ed.%20-%20S%C3%A3o%20Paulo%2C%20Martins%20Fontes%2C%201999.%20%281%29.pdf>.Acesso 01 fev. 2017.

FIDALGO, A. O ensino do jornalismo no e para o século XXI. Comunicação proferida no Congresso Internacional sobre Jornalismo e Internet, Universidade de Coimbra, 28 e 29 de março de 2001. http://www. bocc. ubi. pt […, 2001 - bocc.uff.br>. Acesso 19 out. 2016.

GREGOLI, R. DE PERNAS PRO AR: uma revolução confinada ao quarto. Revista Observatório, v. 3, n. 1, p. 131-160, 30 mar. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n1p131.

KLEIN, K.; PARENTE, T. DO BEM-ESTAR AO ADOECIMENTO: O impacto do assédio moral para as mulheres no Brasil. Revista Observatório, v. 3, n. 5, p. 582-605, 1 ago. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n5p582.

LARANJEIRA, A.; QUADROS, C.; CAETANO, K. O ensino do jornalismo digital: metodologias que constroem uma disciplina. In: O ensino do jornalismo na era da convergência: conceitos, metodologia e estudos de casos no Brasil. Elias Machado (Org.). Salvador: EDUFBA, 2011. P. 127-149.

LIMA, F.; TEMER, A. C. A VIOLÊNCIA COMO VALOR-NOTÍCIA NA TELEVISÃO GOIANIENSE: Informação X Audiência. Revista Observatório, v. 2, n. 5, p. 485-509, 25 dez. 2016. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2016v2n5p485.

MARX, K. Manuscritos econômico e filosóficos. Tradução e notas: Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo Editorial, 2004. Disponível em: <https://marcosfabionuva.files.wordpress.com/2011/08/manuscritos-econc3b4mico-filosc3b3ficos.pdf>. Acesso 08 mar. 2018.

MANSO, M.; MELLO, R.; LOPES, R. MÍDIAS DIGITAIS E AS INVISÍVEIS VIOLÊNCIAS CONTRA IDOSOS. Revista Observatório, v. 4, n. 2, p. 265-278, 1 abr. 2018. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2018v4n2p265.

MELO, G.; PORTO JUNIOR, F. LIBERDADE DE IMPRENSA SOB AMEAÇA: uma análise dos casos de violência contra jornalistas no Tocantins. Revista Observatório, v. 3, n. 1, p. 434-456, 30 mar. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n1p434.

MERTON, R. K. Sociologia: teoria e estrutura. São Paulo, SP: Mestre Jou, 1968. Disponível em: https://csociais.files.wordpress.com/2014/05/merton_caps2_3.pdf. Acesso 08 mar. 2018.

MELO, A. ENQUADRAMENTO HISTÓRICO LEGAL DO PROCESSO DE BOLONHA E O SEU IMPACTO NO SISTEMA DE ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 75-141, 1 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n6p75.

MIRANDA, C. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NA MÍDIA E OS DESCAMINHOS DA IGUALDADE ENTRE OS GÊNEROS. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 445-464, 1 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n6p445.

MOIO, I.; ALCOFORADO, L.; VIEIRA, C. A DECLARAÇÃO DE BOLONHA E O REFORÇO DA ABERTURA DO ENSINO SUPERIOR A NOVOS PÚBLICOS: perceções de pessoas adultas que frequentam a Universidade de Coimbra. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 169-201, 1 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n6p169.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

MOTA, L.; FERREIRA, A. A FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM PORTUGAL NO QUADRO DO ESPAÇO EUROPEU DE ENSINO SUPERIOR. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 38-74, 1 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n6p38.

NUNES, S.; PORTO JUNIOR, F. G. R.; MORAES, N. CONHECIMENTO E ORGANIZAÇÃO: indicativos pós-Bolonha de uma sociedade em construção. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 338-353, 1 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n6p338.

PÔRTO JUNIOR, F. G. R. Entre Comunicação e Educação: o Processo de Bolonha e as ações formativas em cursos de Comunicação Social / Jornalismo em Portugal. 2012. 614 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura Contemporâneas) - Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, 2012. Disponível em . Acesso em 09 set. 2016.

PORTO JUNIOR, F. G. R.; MORAES, N. FORMANDO PESQUISADORES PÓS-BOLONHA EM PORTUGAL: relações entre a formação de graduação e o campo da pesquisa/investigação. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 202-228, 1 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n6p202.

PINHO, M. UNIVERSIDADE E CRISE INSTITUCIONAL: perspectivas de uma formação humana. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 274-315, 1 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n6p274.

REIS, E. O ENSINO SUPERIOR EM CABO VERDE E OS DESAFIOS DO PROCESSO DE BOLONHA. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 142-168, 1 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n6p142.

SARAIVA, R. A REGULAÇÃO DA VIOLÊNCIA MEDIÁTICA EM PORTUGAL. Revista Observatório, v. 4, n. 2, p. 144-173, 1 abr. 2018. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2018v4n2p144.

SARTORI, G. A teoria da democracia revisitada. Volume I – O debate contemporâneo. São Paulo: Ática,1994.

SANTOS, W.; MEDINA, P. VIOLÊNCIA NA ESCOLA BÁSICA: um estudo de caso envolvendo redes pública e privada em Palmas – TO. Revista Observatório, v. 4, n. 6, p. 794-825, 8 out. 2018. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2018v4n6p794.

SILVA, J.; SOUSA, R.; BORGES, M. Violência doméstica: análise e correlações do perfil educacional de autores e vítimas na cidade de arraias nos anos de 2012 a 2014. Revista Observatório, v. 1, n. 3, p. 294-316, 26 dez. 2015. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2015v1n3p294.

SIMÕES, P.; LIMA, L. O CASO ELIZA SAMÚDIO COMO ACONTECIMENTO: fama, anonimato e violência de gênero em nossa sociedade. Revista Observatório, v. 4, n. 1, p. 599-629, 1 jan. 2018. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2018v4n1p599.

TEIXEIRA, P. O. O ensino de jornalismo em Portugal uma história e análise dos planos curriculares. Porto, 2009-2010.Orientador: Prof. Dr. Jorge Pedro Sousa. Dissertação (mestrado). Universidade Fernando Pessoa. 165 f. Disponível em < http://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/1681/2/DM_19061.pdf>. Acesso 04 set. 2017.

TEIXEIRA, I.; DA SILVA, V.; MARTINS, J. A CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA E AS TECNOLOGIAS MÓVEIS PÓS-BOLONHA: NOVAS PRÁTICAS SOCIAIS. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 229-247, 1 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n6p229.

THURLER, A. FEMINICÍDIOS NA MÍDIA E DESUMANIZAÇÃO DAS MULHERES. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 465-496, 1 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n6p465.

WEBER, Max. Metodologia das ciências sociais. 2. ed. São Paulo, SP: Cortez, Campinas, SP: Ed. UNICAMP, 1993. Disponível em < file:///C:/Users/gomes/Documents/DEFESA%20DISSERTA%C3%87%C3%83O%20E%20POWER%20POINT/METODOLOGIA%20DAS%20CI%C3%8ANCIAS%20SOCIAIS.pdf>. Acesso 08 mar. 2018.

WOLTON, D; MOURA, D.; ADGHIRNI, Z. L. Pensar a comunicação. Brasília, DF: Ed. UnB. 2004.

Publicado
2019-09-01
Como Citar
Rodrigues, J. M., & Porto Junior, F. G. R. (2019). ENSINO E FORMAÇÃO EM JORNALISMO: POR QUE INSISTIR NO ENSINO DE SOCIOLOGIA?. Aturá - Revista Pan-Amazônica De Comunicação, 3(3), 146-164. Recuperado de https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/atura/article/view/8193

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 > >>