JORNALISMO NO BRASIL: NOTAS SOBRE AS COMPETÊNCIAS FORMATIVAS A PARTIR DAS NOVAS DIRETRIZES CURRICULARES

  • Nataly de Sousa Dias Daher Universidade Privada Del Este (UPE)
  • Francisco Gilson Rebouças Porto Junior Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Resumo

As novas diretrizes curriculares para os cursos de Jornalismo no Brasil trouxeram uma nova dinâmica para a formação dos jornalistas. O aumento da carga horária das disciplinas voltadas à prática profissional, bem como a obrigatoriedade do estágio curricular evidenciam o enfoque sobre o fazer jornalístico, considerando as mais diversas possibilidades de mídias. Diante dessa realidade, nos propomos a lançar um olhar sobre o contexto do Jornalismo no Brasil, observando a trajetória histórica do curso, a luta pela formação e pela regulamentação da profissão, para então focarmos nosso olhar sobre a formação acadêmica desse profissional.

 

PALAVRAS-CHAVE: Jornalismo, Novas Diretrizes Curriculares, Formação Profissional, Regulamentação.

 

 

ABSTRACT

The new curricular guidelines for journalism courses in Brazil brought a new momentum to the training of journalists. The increase in the workload of the disciplines focused on professional practice, as well as the compulsory curricular internship, show the focus on journalism, considering the most diverse media possibilities. In view of this reality, we intend to take a look at the context of journalism in Brazil, observing the historical trajectory of the course, the struggle for formation and regulation of the profession, and then focus our attention on the academic formation of this professional.

 

KEYWORDS: Journalism, New Curriculum Guidelines, Vocational Training, Regulation.

 

 

RESUMEN

Las nuevas directrices curriculares para los cursos de Periodismo en Brasil trajeron una nueva dinámica para la formación de los periodistas. El aumento de la carga horaria de las disciplinas orientadas a la práctica profesional, así como la obligatoriedad del curso curricular evidencian el enfoque sobre el hacer periodístico, considerando las más diversas posibilidades de medios. Ante esta realidad, nos proponemos lanzar una mirada sobre el contexto del periodismo en Brasil, observando la trayectoria histórica del curso, la lucha por la formación y la regulación de la profesión, para entonces enfocar nuestra mirada sobre la formación académica de ese profesional.

 

PALABRAS CLAVE: Periodismo, Nuevas Directrices Curriculares, Formación Profesional, Reglamentación.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nataly de Sousa Dias Daher, Universidade Privada Del Este (UPE)

Graduada em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Graduanda em Medicina pela Universidade Privada Del Este (UPE) (Argentina). E-mail: natysodias@hotmail.com

Francisco Gilson Rebouças Porto Junior, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (UFBA), mestre em Educação pela Faculdade de Educação (UnB) e graduado em Comunicação Social/Jornalismo (ULBRA) e Pedagogia (UnB). Atualmente é líder do Núcleo de Pesquisa e Extensão e Grupo Lattes Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE-UFT). É professor na Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Bolsista de Produtividade UFT. E-mail: gilsonporto@uft.edu.br. 

Referências

AMARIZ, Marlene. Jornalista. In: Infoescola: profissões. Disponível em: http://www.infoescola.com/profissoes/jornalista. Acesso em 02 maio 2016.

BOURDIEU, Pierre; SAINT-MARTIN, Monique de. “As categorias do juízo professoral”. In: BOURDIEU, Pierre, Escritos de Educação, Petrópolis: Vozes, 1998.

BRASIL. CNE. Resolução Nº1 de 27 de setembro de 2013, que institui as diretrizes curriculares para o curso de Jornalismo. Brasília: Conselho Nacional de Educação, 2013.

COSTA, Carlos. A formação do jornalista: olhar crítico e contemporaneidade. In: Revista Eletrônica de pós-graduação da Cásper Líbero. Vol 7, nº 3, 2015. Disponível em: http://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2016/03/2.-A-forma%C3%A7%C3%A3o-do-jornalista.pdf. Acesso em 02 maio 2016.

CRUZ, Heloísa de Faria. São Paulo em Papel e Tinta: periodismo e vida urbana – 1890-1915. São Paulo: EDUC; FAPESP; Arquivo do Estado de São Paulo; Imprensa Oficial SP, 2000.

FENAJ: Federação Nacional dos Jornalistas. Bases de Um Programa Nacional de Estímulo à Qualidade da Formação em Jornalismo. Disponível em: http://www.fenaj.org.br/educacao/programa_qualidade_ensino_2004.pdf. Acesso em 02 maio 2016.

FNPJ. Federação Nacional dos Professores de Jornalismo Competências a serem construídas na formação superior do jornalista em termos de conhecimento, habilidades, atitudes e valores. Blog consulta. Disponível em: http://diretrizesjornalismofnpj.blogspot.com.br/2009/04/competencias-serem-construidas-na.html. Acesso em 03 Maio 2016.


HOHLFELD, Antonio; VALLES, Rafael R. Conceito e história do Jornalismo brasileiro na “Revista de Comunicação” [recurso eletrônico]. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008.

MEDINA, Cremilda. Profissão Jornalista: responsabilidade social. Rio de Janeiro: Editora Forense-Universitária, 1982.

MELO, José Marques de. História do pensamento comunicacional. São Paulo, Paulus. 2003.

MEDITSCH, Eduardo. Novas e velhas tendências: os dilemas do ensino de jornalismo na sociedade da informação. REBEJ – Revista Brasileira de Ensino de Jornalismo, Brasília, v.1, n.1, p.41-62, abr./jul. 2007.


TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo - Porque as notícias são como são. 2. ed. Florianópolis: Insular, 2005.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da Imprensa no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 1999.

ZUCOLOTO, Valci Regina M. Formação superior e qualidade de ensino: uma luta histórica por um jornalismo sempre melhor. In: FENAJ: Formação superior em jornalismo: uma exigência que interessa à sociedade. 2. ed. Florianópolis, Imprensa da UFSC, 2002. p. 36-41.
Publicado
2017-04-30
Como Citar
Daher, N. de S. D., & Porto Junior, F. G. R. (2017). JORNALISMO NO BRASIL: NOTAS SOBRE AS COMPETÊNCIAS FORMATIVAS A PARTIR DAS NOVAS DIRETRIZES CURRICULARES. Aturá - Revista Pan-Amazônica De Comunicação, 1(1), 137-155. Recuperado de https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/atura/article/view/3597

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >>