• Práticas de jornalismo nos interiores da Amazônia Set-Dez (2019)
    v. 3 n. 3 (2019)

    O Jornalismo é uma prática que necessariamente responde às necessidades e singularidades das comunidades e sociedades em que está inserido. Partindo deste pressuposto o dossiê temático Práticas de Jornalismo nos interiores da Amazônia propõe-se a problematizar temáticas e debates, descrições e que apresentam as conjunturas dos processos de produção jornalística na Amazônia, especialmente, ainda que não exclusivamente, nos municípios dos interiores dos estados amazônicos. A proposta foi de apresentar o cenário mais amplo possível dos produtores e dos produtos jornalísticos postos em circulação em toda a região, destacar as particularidades da prática jornalística na Amazônia e apresentar tensionamentos entre as práticas consagradas do fazer jornalístico nos centros regionais e nacionais e as práticas efetivamente levadas a efeito nos interiores da região.  Nesse número, a Aturá traz alguns desses olhares, fruto de pesquisas realizadas na Região Amazônica, como uma pequena parte do potencial de temáticas e modos de fazer.

     

    Organização do Dossiê e  dos Temas Livres:

    Prof. Dr. Francisco Gilson Rebouças Porto Junior / Universidade Federal do Tocantins (UFT)

    Prof. Dr. Vilso Junior Santi / Universidade Federal de Roraima (UFRR)

    Prof. Dr. Sandro Colferai / Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

    Profa. Dra. Elaide Martins / Universidade Federal do Pará  (UFPA) 

     

    Taxa de endogenia do número : 2% | Taxa de aceitação do número : 45% | Taxa de recusa do número : 55%.

     

  • v.3 n.2 (2019) Interfaces da Comunicação Mai-Ago(2019)
    v. 3 n. 2 (2019)

    A pesquisa na Região Amazônica é diversa. Quando falamos em Comunicação e Jornalismo, essa realidade parece ser ainda maior, já que os pesquisadores são oriundos de formações das mais diversas e de instituições, em sua maioria, das regiões sudeste e sul. Isso torna o pesquisar e o investigar algo diferenciado, já que metodologias e teorias passam a ser ressignificados com as práticas amazônicas. Nesse número, a Aturá traz algumas pesquisas realizadas na Região Amazônica como uma pequena parte do potencial de temáticas e modos de fazer. O Dossiê Temático INTERFACES DA COMUNICAÇÃO na Amazônia é composto sete artigos que fazem esse percurso teórico. 

    Organização do Dossiê e  dos Temas Livres:

    Prof. Dr. Francisco Gilson Rebouças Porto Junior / Universidade Federal do Tocantins (UFT)

    Prof. Dr. Vilso Junior Santi / Universidade Federal de Roraima (UFRR)

    Prof. Dr. Sandro Colferai / Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

    Profa. Dra. Elaide Martins / Universidade Federal do Pará  (UFPA) 

     

    Taxa de endogenia do número : 2% | Taxa de aceitação do número : 45% | Taxa de recusa do número : 55%.

     
  • v. 3 n. 1 (2019) Pesquisa em Comunicação na Amazônia Jan-Abr(2019)
    v. 3 n. 1 (2019)

    Em sua primeira edição de 2019, a revista Aturá traz um dossiê sobre a Pesquisa em Comunicação na Amazônia. É um tema de extrema importância, que procura não apenas abordar questões comunicacionais em interface com as especificidades e temas próprios da região, mas, sobretudo, contribuir para a compreensão da complexidade que cerca o fazer da pesquisa em comunicação nessa região.  E para isso, nada melhor do que trazer uma mostra das pesquisas em si.

     

    Organização do Dossiê: Pesquisa em Comunicação na Amazônia

    Profa. Dra. Elaide Martins / Universidade Federal do Pará  (UFPA) 

     

    Organização dos Temas Livres:

    Prof. Dr. Francisco Gilson Rebouças Porto Junior / Universidade Federal do Tocantins (UFT)

    Prof. Dr. Vilso Junior Santi / Universidade Federal de Roraima (UFRR)

    Prof. Dr. Sandro Colferai / Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

     

    Taxa de endogenia do número : 2% | Taxa de aceitação do número : 45% | Taxa de recusa do número : 55%.

  • V.2 N.3 (2018) Mídia e Segurança Pública Set-Dez(2018)
    v. 2 n. 3 (2018)

    O número 3 da Aturá – Revista Pan-Amazônica de Comunicação é destinado a discussão sobre as relações entre Mídia e Segurança Pública, voltado para trabalho com a organização curricular, a gestão operacional e a docência nos cursos da Academia de Polícia Militar do Estado do Tocantins, em especial, no Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais – CAO. Nesse número, escutas, falas, diálogos e muitas reflexões sobre o papel da mídia na segurança pública, numa dinâmica técnico-social, marcada, principalmente pelo volume e velocidade das imagens e mensagens e seus impactos na sociedade contemporânea serão apresentadas. 

     

    Organização do Dossiê Mídia e Segurança Pública

    Profa. Dra. Valdirene Cássia da Silva, do Centro Universitário Luterano de Palmas (CEULP/ULBRA) e Faculdade Católica do Tocantins (FACTO)

    Prof. M. Dosautomista Honorato de Melo, da Academia de Polícia Militar do Estado do Tocantins (PMTO)

    Profa. Dr. Darlene Teixeira Castro, Universidade Estadual do Tocantins (UNITINS)

     

     

    Organização dos Temas Livres:

    Prof. Dr. Francisco Gilson Rebouças Porto Junior / Universidade Federal do Tocantins (UFT)

    Prof. Dr. Vilso Junior Santi / Universidade Federal de Roraima (UFRR)

    Prof. Dr. Sandro Colferai / Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

    Profa. Dra. Elaide Martins / Universidade Federal do Pará  (UFPA)

     

     

    Taxa de endogenia do número : 0% | Taxa de aceitação do número : 60% | Taxa de recusa do número : 40%.

     

    Arquivamento permanente do número em:

    The Internet Archive: (em processamento)

  • V.2 N.2 (2018) Jornalismo Ambiental Mai-Ago(2018)
    v. 2 n. 2 (2018)

    A temática ambiental é uma proposição cara a região Norte do Brasil. Alicerçada na nascente dos igarapés da Região Amazônica, a Aturá – Revista Pan-amazônica de Comunicação não se descuida das bordas dos rios que constrói e dos que vem construindo. A vazão das produções continua a ser sinalizada na organização do n.2 (2018) da Aturá com o Dossiê temático voltado para o Jornalismo Ambiental, o qual sinaliza as preocupações existentes na e para a Região Amazônica em relação aos longínquos e constantes ataques às questões ambientais.

     

    Organização do Dossiê Jornalismo Ambiental

    Profa. Dra. Leila Adriana Bataglin / Universidade Federal de Roraima (UFRR)

    Prof. Dr. Vilso Junior Santi / Universidade Federal de Roraima (UFRR)

     

     

    Organização dos Temas Livres:

    Prof. Dr. Francisco Gilson Rebouças Porto Junior / Universidade Federal do Tocantins (UFT)

    Prof. Dr. Sandro Colferai / Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

    Profa. Dra. Elaide Martins / Universidade Federal do Pará  (UFPA)

     

     

    Taxa de endogenia do número : 0% | Taxa de aceitação do número : 65% | Taxa de recusa do número : 35%.

     

    Arquivamento permanente do número em:

    The Internet Archive: (em processamento)

  • V.2 N.1 (2018) Jornalismo Transmídia Jan-Abr(2018)
    v. 2 n. 1 (2018)

    O n.1 (2018) da Aturá também já faz história, pois é o primeiro número da Revista a presentear os leitores (e a comunidade acadêmica em geral) com um Dossiê Temático: o Dossiê Jornalismo Transmídia na Amazônia. Convidamos você a ler as pesquisas apresentadas nesse número. 

     

    Organização do Dossiê Jornalismo Transmídia 

    Prof. Dr. Vilso Junior Santi / Universidade Federal de Roraima (UFRR)

    Prof. Dr. Francisco Gilson Rebouças Porto Junior / Universidade Federal do Tocantins (UFT)

     

    Organização dos Temas Livres:

    Prof. Dr. Sandro Colferai / Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

    Profa. Dra. Elaide Martins / Universidade Federal do Pará  (UFPA)

     

     

    Taxa de endogenia do número : 0% | Taxa de aceitação do número : 65% | Taxa de recusa do número : 35%.

     

    Arquivamento permanente do número em:

    The Internet Archive: (em processamento)

  • V.1 N.3 (2017) Tema Livre / Free Theme / Tema Libre Set-Dez(2017)
    v. 1 n. 3 (2017)

    Organização dos Temas Livres:

    Prof. Dr. Francisco Gilson Rebouças Porto Junior / Universidade Federal do Tocantins (UFT)

    Prof. Dr. Sandro Colferai / Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

    Prof. Dr. Vilso Junior Santi / Universidade Federal de Roraima (UFRR)

    Profa. Dra. Elaide Martins / Universidade Federal do Pará  (UFPA)

     

     

    Taxa de endogenia do número : 12% | Taxa de aceitação do número : 45% | Taxa de recusa do número : 55%.

     

    Arquivamento permanente do número em:

    The Internet Archive: https://archive.org/details/atura.vol1_n3

     

     

  • V.1 N.2 (2017) Tema Livre / Free Theme / Tema Libre Mai-Ago(2017)
    v. 1 n. 2 (2017)

    Organização dos Temas Livres:

    Prof. Dr. Francisco Gilson Rebouças Porto Junior/ Universidade Federal do Tocantins (UFT)

    Prof. Dr. Sandro Colferai/ Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

    Prof. Dr. Vilso Junior Santi / Universidade Federal de Roraima (UFRR)

     

    Taxa de endogenia do número: 12%  | Taxa de aceitação do número:  65%  | Taxa de recusa do número: 35%

     

    Arquivamento permanente do número em:

    The Internet Archive: https://archive.org/details/atura.vol1_n2

  • V.1 N.1 (2017) Tema Livre / Free Theme / Tema Libre Jan-Abr(2017)
    v. 1 n. 1 (2017)

    Organização dos Temas Livres:

    Prof. Dr. Francisco Gilson Rebouças Porto Junior/ Universidade Federal do Tocantins (UFT)

    Prof. Dr. Sandro Colferai/ Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

    Taxa de endogenia do número: 20%  | Taxa de aceitação do número:  75%  | Taxa de recusa do número: 25%

      

    Arquivamento permanente do número em:

    The Internet Archive: https://archive.org/details/atura.vol1_n1