A GEOGRAFIA, O TERRITÓRIO CAPITALISTA E O TERRITÓRIO INDÍGENA

  • Elizeu Ribeiro Lira

Resumo

O objetivo deste trabalho é apresentar uma breve analise de uma proposta para os estudos iniciais dos territórios indígenas, fizemos esse pequeno esforço a pedido de um grupo de alunos do curso de Geografia de da UFT Campus de Porto Nacional -TO, que naquele momento estavam muito interessados na temática,sabiam eles que tinha estudado o território dos Índios Krahô no meu Doutorado. Porém uma coisa que parecia ser simples foi se complicando, pois sentir na pele a responsabilidade que pesa sobre as pesquisas que abordam os territórios indígenas no país, cabe antes de tudo revelar suas dificuldades, suas contradições teóricas e seus conflitos reais. O primeiro e necessário exercício foi diferenciá-lo do território capitalista revelando suas especificidades.  O território indígena possui diferenças históricas significativas em relação ao território capitalista, por isso necessitamos fazer uma análise teórica e conceitual de ambos. Demonstrando o processo de diferenciação, entre eles, para podermos discernir e compreender teoricamente a especificidade do território indígena. Há que se revelar também quanto a importância desse tema para Geografia brasileira, tendo em vista que já esteve na ordem do dia das pesquisas da Sociedade de Geografia do Rio de janeiro – SGRJ, no seu primeiro congresso em 1911. A retomada desses estudos vem de encontro às transformações que a ciência geográfica apresentou ao longo de sua história, especificamente no período pós Segunda Guerra Mundial, esses movimentos aconteceram porque havia também transformações sociais, econômicas e políticas na sociedade mundial que de forma direta, refletiam na reorganização do território e coube a geografia brasileira dedicar à retomada dos estudos e das novas realidades teóricas e conceituais do território indígena. Agora perguntamos por que sua republicação depois de fazer parte dos anais do III Simpósio Nacional de Geografia Agrária – II Simpósio Internacional de Geografia Agrária Jornada Ariovaldo Umbelino de Oliveira – Presidente Prudente, 11 a 15 de novembro de 2005. A justificativa é parecida com a inicial, agora a demanda veio dos alunos da pós graduação, do Mestrado em Geografia da UFT, e também pelo nosso desejo de fortalecimento das publicações sobre a temática dos territórios indígenas no NURBA/UFT e em nossa revista Produção Acadêmica online que inaugura uma nova faze de produção.

 

 

 

Biografia do Autor

Elizeu Ribeiro Lira

Professor Doutor em Geografia - UFT

Publicado
2019-01-10