INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EPISTEMOLOGIA DA COMUNICAÇÃO: subjetividade e afetividade na pesquisa

Palavras-chave: Iniciação Científica; Comunicação; Epistemologia; Pesquisa

Resumo

Este texto delineia o processo de tomada de decisões epistemológicas por alunas e alunos de graduação na elaboração de pesquisas de Iniciação Científica realizadas na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo, entre 2016 e 2017. Catorze pesquisadores discentes foram entrevistados, focalizando três momentos: (a) a escolha do objeto de pesquisa; (b) a definição do referencial teórico e (c) a experiência de pesquisa como um todo. Os resultados sugerem a presença de um forte componente subjetivo e afetivo nas escolhas articulado com as dinâmicas de campo e demandas formais de pesquisa. Além disso, os pesquisados indicam o potencial de desafio e transformação no todo da experiência.

 

PALAVRAS-CHAVE: Iniciação Científica; Comunicação; Epistemologia; Pesquisa

 

 

ABSTRACT

This text presents the results of interviews conducted to understant some epistemological aspects of research developed at Casper Libero Faculty of Media by undergraduates. The in-depth interviews with the junior researchers focused on three main research aspects: (a) the definition of the research object, (b) the choice of the theoretical frame and (c) the moment of writing. Main findings have shown that students highlight as “good experiences” a high degree of autonomy in the subject’s choice blended with a supportive, non-directive, supervision for theory and writing.

 

KEYWORDS: Theory; Epistemology; Junior Research; Communication

 

 

RESUMEN

Este texto delinea el proceso de toma de decisiones epistemológicas por estudiantes de graduación en la elaboración de investigaciones de Iniciación Científica realizadas en la Facultad Cásper Líbero, en São Paulo, entre 2016 y 2017. Catorce investigadores discentes fueron entrevistados, enfocando tres momentos: (a) la elección del objeto de pesquisa; (b) la definición del referencial teórico y (c) la experiencia de investigación como un todo. Los resultados sugieren la presencia de un fuerte componente subjetivo y afectivo en todo proceso, articulado con las dinámicas de campo y demandas formales de investigación. Además, los encuestados indican el potencial de desafío y transformación en el todo de la experiencia.

 

PALABRAS CLAVE: Iniciación Cientifica; Pesquisa; Epistemologia; Comunicación

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Mauro Sá Martino, Faculdade Cásper Líbero

Graduação em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero (FCL). Especialização em Teorias e Técnicas da Comunicação pela Faculdade Cásper Líbero (FCL). Mestrado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Doutorado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). E-mail: lsmartino@gmail.com

Vitória P. Amá, Faculdade Cásper Líbero

Graduanda em Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero. Foi bolsista de Iniciação Científica do Centro Interdisciplinar de Pesquisa da Faculdade Cásper Lïbero (2017). E-mail: vitzsche@gmail.com.

Rafaela Artero do Nascimento, Faculdade Cásper Líbero

Graduanda em Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero. Foi bolsista de Iniciação Científica do Centro Interdisciplinar de Pesquisa da Faculdade Cásper Lïbero (2017). E-mail: rafa.artero.n@gmail.com.

Fabíola Balaratti Chechetto, Faculdade Cásper Líbero

Mestranda em Comunicação da Faculdade Cásper Líbero. Foi bolsista de Iniciação Científica do Centro Interdisciplinar de Pesquisa da Faculdade Cásper Lïbero (2017). E-mail: fabiolachechetto@gmail.com.

Referências

BACHELARD, G. Epistemologia. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1989.

BARTHES, R. O rumor da língua. São Paulo: Brasiliense, 1988.

BECKER, F. Reflexões de um quinto de pesquisadora. In: MALDONADO, A. E. et alli. Metodologias de Pesquisa em Comunicação. Porto Alegre: Sulina, 2006.

BIANCHETTI, L.; OLIVEIRA, A.; SILVA, E. L.; TURNES, L. A iniciação à pesquisa no Brasil: políticas de formação de jovens pesquisadores. Educação, Santa Maria, v. 37, n. 3, p. 569-584, set./dez. 2012

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: BertrandBrasil, 1997.

BRAGA, J. L. Para começar um projeto de pesquisa. Comunicação & Educação, vol. 10, no. 03, set-dez 2005.

BRAGA, José Luiz. A prática da pesquisa em comunicação: abordagem metodológica como tomada de decisões. E-Compós, Brasília, v14, n1, jan.-abr. 2010.

FERRARA, L. D’A. A comunicação: da epistemologia ao empírico. Trabalho apresentado no 23o. Encontro da Compós. Belém, maio de 2014.

FRANÇA, V. Paradigmas da Comunicação: conhecer o quê?. In: MOTTA, Luiz Gonzaga; FRANÇA, V., PAIVA, R. e WEBER, M. H. (orgs.) Estratégias e culturas da comunicação. Brasília: Editora UnB, 2001.

FRANÇA, V. Paradigmas da Comunicação: Revisitando um texto. Palestra proferida no IV Seminário Teorias da Comunicação. Belo Horizonte, 21 a 25 de setembro, 2014.

GUTERRES, A. Bolsista de iniciação científica: a ponte entre o cidadão e o pesquisador. In: MALDONADO, A. E. et alli. Metodologias de Pesquisa em Comunicação. Porto Alegre: Sulina, 2006.

LIMA, Luciana G. A. A influência da iniciação científica sobre a pós-graduação. Porto Alegre: UFRGS, 2016 (Dissertação de Mestrado).

LOPES, M. I. V. O campo da comunicação. Revista Famecos, n. 30, p. 16-30, ago. 2006.

MARCONDES FILHO, C. “De repente, o prédio falou comigo”. Texto apresentado no 19o. Encontro Anual da Compós. Anais… Porto Alegre, 4 a 6 de junho de 2011.

MARCONDES FILHO, C. A Comunicação no sentido estrito e o Metáporo. Trabalho apresentado no 21o. Encontro da Compós. Juiz de Fora, junho 2012.

MARQUES, A. C. S.; L.M.S. MARTINO . A comunicação, o comum e a alteridade: para uma epistemologia da experiência estética. Logos (UERJ. Impresso), v. 22, p. 31-44, 2015.

MARTIN, M. de S. Que faire des conseils (ou de la absence de conseil) de son directeur de thèse?. IN: HUNSMANN, M.; KAPP, S. Devenir chercheur: écrire une thèse en sciences sociales. Paris: Ed. Ehess, 2013, pp. 63-79.

MARTINO, L. C. Teorias da Comunicação: muitas ou poucas? Cotia: Ateliê, 2007b.

MARTINO, L. C. Uma questão prévia: Existem Teorias da Comunicação? XXX Congresso da Intercom. Santos – SP, 2007a.

MARTINO, L. M. S. Da teoria à metodologia: um ensaio sobre a construção de projetos em Comunicação. Revista Comunicação Midiática, Vol. 11, no. 2, Ago-Dez. 2016 (prelo).

MARTINO, L. M. S.; MARQUES, A. C. S. Afetividade do conhecimento na epistemologia da comunicação. Texto apresentado no 24o. Encontro da Compós. Anais… São Paulo: Cásper Líbero, 4 a 6 de junho de 2017.

MASSI, L.; QUEIROZ, S. L. Iniciação Científica no Ensino Superior. Campinas: Alínea, 2010.

NOGUEIRA, M. A.; CANAAN, M. G. Os “iniciados”: bolsistas de iniciação científica e suas trajetórias acadêmicas. Tomo, no. 15, vol. 1, Jul./Dez. 2009, pp. 41-70.

QUEIROZ, Alessandra S. A formação acadêmica nos processos de Iniciação Científica. Joaçaba-SC: Unioeste, 2016 (Dissertação de Mestrado).

SIGNATES, L. A. A comunicação como ciência básica tardia. Texto apresentado no 24o. Encontro da Compós. Anais… São Paulo: Cásper Líbero, 4 a 6 de junho de 2017.

SIGNATES, Luiz. O que é especificamente comunicacional nos estudos brasileiros de comunicação na atualidade. In: BRAGA, J. L.; GOMES, P. G.; FERREIRA, J.; FAUSTO NETO, A. 10 perguntas para produção do conhecimento em comunicação. São Leopoldo: Unisinos, 2013.

SOARES, Marisa. A prática da pesquisa no ensino superior: a iniciação científica como mediação da aprendizagem significativa . São Paulo: Uninove, 2016 (Tese de Doutorado)

VASCONCELOS, A. L. F. S.; TRAMARIN, R. F.; MORAIS, W. P. Compreendendo os caminhos percorridos e construindo o conhecimento científico. Recife: Ed. UFPE, 2012.

Publicado
2018-10-08
Como Citar
MARTINO, L.; AMÁ, V. P.; NASCIMENTO, R. A. DO; CHECHETTO, F. B. INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EPISTEMOLOGIA DA COMUNICAÇÃO: subjetividade e afetividade na pesquisa. Revista Observatório, v. 4, n. 6, p. 574-596, 8 out. 2018.
Seção
Tema Livre / Free Theme / Tema Libre