“Se você se aposentar e não continuar tendo prazer na vida, você vai se aposentar pra quê?": um estudo sobre o trabalho de docentes aposentados de uma IFES

Resumo

O presente artigo buscou investigar aspectos que influenciam docentes inativos de uma Instituição Federal de Ensino Superior (IFES) no retorno ao trabalho. Foram entrevistados sete docentes que regressaram à Instituição depois da aposentadoria e, dentre eles, seis voltaram ao labor sem nenhuma vantagem financeira. Procurou-se analisar o significado dessa fase de transição para os entrevistados, e como se deu a decisão de retornar ou permanecer na Instituição após a aposentadoria. Constatou-se que, apesar de afirmarem que atualmente possuem uma rotina mais autônoma, alguns descrevem um cotidiano laboral bastante intensificado. Ao enfatizarem que a docência ocupa um lugar crucial em suas vidas, confirmam a relevância deste trabalho na constituição de suas subjetividades e a dificuldade de ruptura do vínculo laboral e de aceitação da aposentadoria.

 Palavras-chave: Psicodinâmica do Trabalho; Sentido do Trabalho. Aposentadoria; Subjetividade.

Biografia do Autor

Carla Vaz dos Santos Ribeiro, UFMA

Doutorado em Psicologia Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professora adjunta da Graduação e do Mestrado em Psicologia da Universidade Federal do Maranhão. Membro do grupo de pesquisa Psicodinâmica e Clínica do Trabalho na ANPEPP e membro da Rede Universitas-BR. Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal do Maranhão.

ANA FLÁVIA MONIZ COSTA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO

Possui Mestrado em Psicologia pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Maranhão - UFMA (2015), Pós-Graduação em Planejamento e Gestão Estratégica de Recursos Humanos pelo Centro Universitário do Maranhão - UniCEUMA (2005) e graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Maranhão (2002). Pesquisadora do Grupo de Pesquisa sobre Trabalho docente na educação superior, subprojeto 4 do Rede Universitas. Realiza estudos sobre o trabalho e suas repercussões na saúde do trabalhador. Psicóloga concursada da Universidade Federal do Maranhão desde 2005, desenvolvendo atividades no Departamento de Gestão de Pessoas da Pró-Reitoria de Recursos Humanos.

VALÉRIA MARIA LIMA CARDOSO, UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Maranhão (2007) e mestrado pelo PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA pela Universidade Federal do Maranhão (2015). Atualmente é psicóloga do Instituto Federal do Maranhão atuando no Subsistema da Atenção à Saúde Integrada do Servidor Público Federal.

BRENDA BARROS MACHADO, UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO

Graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Maranhão, bolsista PIBIC/CNPQ.

Publicado
2019-06-13
Seção
Artigos Teóricos e Empíricos