PLANTAS TÍPICAS DO CERRADO BRASILEIRO USADAS COMO INIBIDORES DA ACETILCOLINESTERASE: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

  • Rachel de Moura Nunes Fernandes Universidade Federal do Tocantins
  • Elisandra Scapin UNIVERSDADE FEDERAL DO TOCANTINS

Resumo

O bioma Cerrado vem se destacando quanto à fonte de compostos bioativos devido à sua flora vegetal, estimada em cerca de sete mil espécies. O uso de plantas para o tratamento de doenças é tão antigo quanto à espécie humana e essa utilização saiu do âmbito do empirismo e hoje ganha status de ciência. Dentre as doenças com maiores índices de crescimento da taxa de mortalidade destacamos a Doença de Alzheimer (DA), a qual está associada ao “déficit” nos níveis de neurotransmissores cerebrais, dentre eles a acetilcolina, responsável pela memória e raciocínio lógico. Os medicamentos modernos elevam os níveis desse neurotransmissor pela inibição da enzima acetilcolinesterase (AChE). Atualmente, as pesquisas buscam novos inibidores da  AchE a partir de extratos de plantas. Neste estudo foi realizada uma busca bibliográfica em periódicos especializados nas bases Scientific Eletronic Library Online, Science Direct e Google Acadêmico, utilizando-se as seguintes palavras-chaves: atividade anticolinesterásica e Cerrado. Como resultado obteve-se 28 estudos que após serem submetidos à análise dos títulos possibilitaram a recuperação de 16 trabalhos publicados entre 2009 e 2019. Ao todo foram identificados estudos com 31 famílias botânicas, sendo que a família Fabaceae foi à majoritária. Contabilizou-se 61 espécies analisadas, sendo que 57% apresentaram atividade anticolinesterásica.

Publicado
2020-07-21
Como Citar
Fernandes, R. de M. N., & Scapin, E. (2020). PLANTAS TÍPICAS DO CERRADO BRASILEIRO USADAS COMO INIBIDORES DA ACETILCOLINESTERASE: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA. DESAFIOS - Revista Interdisciplinar Da Universidade Federal Do Tocantins, 7(3), 20-31. https://doi.org/10.20873/uftv7-8048
Seção
Artigos