A TV PÚBLICA NO BRASIL E PORTUGAL: Aspectos conceituais e históricos

  • Gizeli Costa Bertollo Menezes Universidade Federal do Tocantins
  • Francisco Gilson Rebouças Porto Junior Universidade Federal do Tocantins (UFT) http://orcid.org/0000-0002-5335-6428
  • Yuri Vinicius Silva Universidade Federal do Tocantins
  • José Lopes da Cruz Filho Universidade Federal do Tocantins
  • Kécia Garcia Ferreira Universidade Federal do Tocantins

Resumo

A proposta deste artigo é compreender melhor o sistema público de televisão em Portugal e no Brasil, especificamente as emissoras RTP1 e TV Brasil. Embora os dois países sejam marcados por fortes ligações históricas, culturais e linguísticas, se distanciam no que diz respeito a radiodifusão pública. Enquanto em Portugal a televisão já nasce sob o domínio estatal, que posteriormente vai se moldando aos princípios do serviço público, no Brasil chega pelas mãos da iniciativa privada, que por quase duas décadas dominou de forma exclusiva o cenário televisivo, imprimindo seu modelo no país.

 

PALAVRAS CHAVE: Televisão; Brasil; Portugal; TV pública; História.

 

 

ABSTRACT

The purpose of this article is to better understand the public television system in Portugal and Brazil, specifically the RTP1 and TV Brazil broadcasters. Although the two countries are marked by strong historical, cultural and linguistic connections, they are distant in relation to public broadcasting. While in Portugal, television is born under state domination, which later is shaping the principles of public service, in Brazil comes through the hands of private initiative, which for almost two decades dominated the television scene exclusively, printing its model in the country.

 

KEYWORDS: Television; Brazil; Portugal; Public TV; Story.

 

 

RESUMEN

El propósito de este trabajo es comprender mejor el sistema público de televisión en Portugal y Brasil, específicamente en las emisoras de televisión RTP 1 y Brasil. Aunque los dos países están marcados por fuertes vínculos históricos, culturales y lingüísticos, se distancian en lo que se refiere a la radiodifusión pública. Mientras que en Portugal la televisión nace bajo dominio del Estado, que posteriormente dar forma a los principios de servicio público en Brasil llega a manos de la empresa privada, que desde hace casi dos décadas dominaron exclusivamente el panorama de la televisión mediante la impresión de su modelo en el país .

 

PALABRAS CLAVES: Televisión; Brasil; Portugal; TV pública; Historia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gizeli Costa Bertollo Menezes, Universidade Federal do Tocantins

Gizeli Costa Bertollo Menezes. Pós Doutoranda em Comunicação e Sociedade pela Universidade Federal do Tocantins – UFT - Brasil. Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior – UBI - Portugal. gcbmenezes@gmail.com

Francisco Gilson Rebouças Porto Junior, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Francisco Gilson Rebouças Pôrto Júnior é doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (UFBA), mestre em Educação pela Faculdade de Educação (UnB) e graduado em Comunicação Social/Jornalismo (ULBRA) e Pedagogia (UnB). Atualmente é líder do Núcleo de Pesquisa e Extensão e Grupo Lattes Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE-UFT). É professor na Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Coordena pesquisas em ensino de jornalismo digital e preservação da Memória. Pesquisa sobre formação, ensino e processos educativos no Brasil, na União Europeia, CPLP/PALOPS e BRICS. E-mail: gilsonporto@uft.edu.br. 

Yuri Vinicius Silva, Universidade Federal do Tocantins

Pesquisador no Núcleo de Pesquisa e Extensão Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE-UFT), junto a pesquisa "Estudos de Comunicação Pública e Inovação: as televisões educativas e os impactos na universidade". E-mail: yurivinicius@gmail.com.

José Lopes da Cruz Filho, Universidade Federal do Tocantins

Pesquisador no Núcleo de Pesquisa e Extensão Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE-UFT), junto a pesquisa "Estudos de Comunicação Pública e Inovação: as televisões educativas e os impactos na universidade". E-mail: josecruz@uft.edu.br. 

Kécia Garcia Ferreira, Universidade Federal do Tocantins

Mestranda em Comunicação e Sociedade (PPGCOM-UFT). Pesquisadora no Núcleo de Pesquisa e Extensão Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE-UFT), junto a pesquisa "Estudos de Comunicação Pública e Inovação: as televisões educativas e os impactos na universidade". E-mail:keciagf.pos@gmail.com. 

Referências

ALVES, J. CRITÉRIOS DE NOTICIABILIDADE NO BRASIL E NO MUNDO. Revista Observatório, v. 4, n. 4, p. 468-499, 29 jun. 2018. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2018v4n4p468.

Cádma, R. (1996). Salazar, Caetano e a Televisão Portuguesa. Lisboa: Ed. Presença.

Cannito, N. (2010). A televisão na era digital: interatividade, convergência e novos modelos de negócio. São Paulo: Summus.

Coutinho, I. (2013). A informação na TV Pública. Florianópolis: Insular.

DE CASTRO, M. L. PROMOCIONALIDADE TELEVISUAL EM TEMPOS DE NOVAS TECNOLOGIAS. Revista Observatório, v. 2, n. 4, p. 301-321, 30 out. 2016. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2016v2Especial2p301.

DIAS, A.; ROXO, M. FOLHA DE S. PAULO E O CASO HERZOG RE(A)PRESENTADO: um estudo sobre memória, narrativa e “acontecência”. Revista Observatório, v. 2, n. 5, p. 452-484, 25 dez. 2016. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2016v2n5p452.

FRANCO, C. F. Projeto múltiplos olhares: o exercício do documentário etnográfico na formação do jornalista. Revista Observatório, v. 1, n. 1, p. 247-269, 30 set. 2015. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2015v1n1p247.

LIMA, M. (RE) PENSAR A CULTURA: subvenção da mídia regional e da identidade. Revista Observatório, v. 4, n. 5, p. 396-412, 1 ago. 2018. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2018v4n5p396.

MARTINEZ, M. Reflexões sobre Jornalismo e História Oral: um campo com mais convergências do que dissonâncias. Revista Observatório, v. 2, n. 1, p. 75-91, 1 maio 2016. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2016v2n1p76.

MENESES, V. REPRESENTAÇÕES DAS GERAÇÕES FEMININAS NA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL INFANTIL. Revista Observatório, v. 3, n. 6, p. 387-416, 1 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n6p387.

Otondo, T. (2002). TV Cultura. A diferença que importa. In. O. Rincón. (Org.). Televisão Pública: do consumidor ao cidadão. (pp. 267-301). São Paulo: Friedrich Ebert Stiftung – Projeto Latino Americano de Meios de Comunicação.

ORLANDO, S.; RIBEIRO DA SILVA, C. OS CONTOS DE FADA NA FICÇÃO SERIADA “ONCE UPON A TIME”: o uso da transficcionalidade em perspectiva mnemônica. Revista Observatório, v. 2, n. 3, p. 138-162, 31 ago. 2016. DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2016v2n3p138.

Souza, H. & Santos, A. (2003). RTP e Serviço Público. Um percurso de inultrapassável dependência e contradição. In. M. Pinto et. al. A Televisão e a Cidadania. Contributos para o debate sobre o Serviço Público. Braga: Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho.

Valente, J. (2009). Sistema Público de Comunicação no Brasil. In: Sistemas públicos de comunicação no mundo: experiências de doze países e o caso brasileiro. São Paulo: Paulus.

Valente, J & Azevedo, F. (2009). Sistema Público de Comunicação de Portugal. In: Sistemas públicos de comunicação no mundo: experiências de doze países e o caso brasileiro. São Paulo: Paulus.

Wolton, D. (2006). Elogio ao Grande público. Uma teoria Crítica da Televisão. (Trad. J. Rubens). São Paulo: Ática.

Publicado
2019-01-16
Como Citar
Menezes, G. C. B., Porto Junior, F. G. R., Silva, Y. V., Cruz Filho, J. L. da, & Ferreira, K. G. (2019). A TV PÚBLICA NO BRASIL E PORTUGAL: Aspectos conceituais e históricos. Aturá - Revista Pan-Amazônica De Comunicação, 3(1), 302-318. Recuperado de https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/atura/article/view/6714

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >>