Listas y Tablas como Herramientas Lingüísticas: Los Participios Dobles en las Gramáticas Españolas (1743-1854)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20873.239201

Resumo

O estudo analisa o uso de tabelas e, em menor medida, de listas, para o tratamento dos particípios duplos numa série textual representativa das gramáticas espanholas ao longo de mais de um século (Martínez Gómez Gayoso 1743 – RAE 1854). As listas e tabelas são apreendidas na perspetiva da história das ideias linguísticas como instrumentos linguísticos que ampliam o conhecimento do falante. Permitem organizar, formalizar, manipular e aprender dados linguísticos. O estudo divide-se em duas partes principais. A primeira parte apresenta a gramatização dos particípios irregulares e, mais particularmente, a questão dos particípios duplos, um regular e outro irregular, de alguns verbos. Mostra-se o papel desempenhado pelas tabelas no tratamento deste fenómeno linguístico e a sua dimensão histórica, na medida em que o modelo das gramáticas da Real Academia de la Lengua influencia a gramaticografia espanhola. Na segunda parte, analisam-se as características das listas e das tabelas, o seu funcionamento nas séries textuais seleccionadas e a forma como configuram o modo de conceber o fenómeno estudado.

Referências

Nada que señalar

Publicado

2023-11-20

Como Citar

Díaz Villalba, A. (2023). Listas y Tablas como Herramientas Lingüísticas: Los Participios Dobles en las Gramáticas Españolas (1743-1854) . Porto Das Letras, 9(2), 19–49. https://doi.org/10.20873.239201

Edição

Seção

Instrumentos Linguísticos