História e oralidade nos estudos comunicacionais

Palavras-chave: Estudos comunicacionais, estudos comunicacionais, História, história, Narrativas Orais, narrativas orais

Resumo

Concepções, métodos e formas do conhecimento histórico são expressos em diversos estudos na área de comunicação social. Buscamos analisar, na interface história e narrativa oral, aspectos da chamada mediação cultural, na qual a comunicação está para além da condição de canal. Acreditamos que os estudos comunicacionais não recaem, necessariamente, sobre especificidades técnicas, mas sobre a posição que a comunicação assume no campo histórico-cultural. Interações, expressas nos trabalhos de história oral, se configuram (e resultam) em processos comunicacionais que indicam construções sócio históricas e diferentes referenciais de pertencimento.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juniele Rabêlo Almeida, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Professora adjunta do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense (UFF), com atuação nos cursos de graduação e pós-graduação. É doutora em História Social (USP) e mestre em História (UFMG). Realizou pós-doutorado na UFMG (atuando no Núcleo de História Oral, 2011). Pesquisadora efetiva do "Laboratório de História Oral e Imagem" (LABHOI/UFF) e colaboradora nos seguintes núcleos: NEHO/USP, NUPEHC/UFF e NHO/UFMG. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil República, atuando principalmente nos seguintes temas: história oral; história pública; história e mídia/imprensa; história do tempo presente, repertório da ação coletiva/segurança pública; história ambiental. Co-coordena as atividades do Programa de Iniciação à Docência em História (PIBID-Capes/UFF, História/Niterói). Integra a Comissão Administrativa da Rede Brasileira de História Pública (2012-2016). É diretora regional (sudeste) da Associação Brasileira de História Oral - ABHO (2014-2016). E-mail: diversitas@usp.br.

Referências

ALBERTI, Verena. Ouvir contar: textos em história oral. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

ALMEIDA. Juniele Rabêlo; ROVAI, Marta Gouveia de Oliveira (Orgs.). Introdução à História Pública. São Paulo: Letra e Voz, 2011.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: T. A. Queiroz, 1987.

BRAUDEL, Fernand. O espaço e a história no Mediterrâneo. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

BURKE, Peter (Org.). A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo: Ed. da UNESP, 1992. 52

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

CHARTIER, Roger. À Beira da Falésia: A história entre incertezas e inquietude. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2002.

GINZBURG, Carlo. A Micro História e outros ensaios. Lisboa: DIFEL, 1991.

FERREIRA, Marieta de Moraes (Org.). História oral e multidisciplinaridade. Rio de Janeiro: Diadorim, 1994.

FERREIRA, Marieta Morais, AMADO, Janaina (Orgs.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1996.

HALBAWCS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

HALBAWCS, Maurice. La mémoire collective. Paris: Les Presses universitaires de France, 1950.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A editora, 1999.

HOHLFELDT, Antonio, MARTINO, Luiz C. & FRANÇA, Vera Veiga (org.). Teorias da Comunicação - conceitos, escolas e tendências. Petrópolis, Vozes, 2001.

LE GOFF, Jaques. História e memória. Campinas, São Paulo: Ed. Unicamp, 1996.

LEVI, Giovanni. Sobre a Micro-História. In BURKE, Peter (org.) A Escrita da História - novas perspectivas. São Paulo: Unesp. 1992.

MAIA, Rousiley & CASTRO, Maria Ceres Pimenta Spínola (Org.): Mídia, Esfera Pública e Identidades Coletivas. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2006.

MARTÍN-BARBERO. De los medios a las practicas. In: Cuadernos de comunicación y practicas sociales, n. 1, p. 9-18, 1990.

MARTÍN-BARBERO, Jesus. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

MATTELART, Armand & Michelle. História das Teorias da Comunicação. São Paulo, Loyola, 1999.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Manual de história oral. São Paulo: Loyola, 1996.

NEVES, Lucília de Almeida. História Oral: memória, tempo, identidades. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. NORA, Pierre. Entre história e memória. A problemática dos lugares. Projeto História, São Paulo: PUC, vol.10, n. 10, p. 7-28, dez/1993.

POLLACK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, 1992, p. 200-212.

POLLACK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 2, n. 3, p. 3-15, 1989.

PORTELLI, Alessandro. Ensaios de história oral. São Paulo: Letra e Voz, 2010.

REVEL, Jacques. Micro análise e construção social. In. Jogos de escalas. A experiência da microanálise. Rio de Janeiro: EdFGV, 1998.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa. Campinas: Papirus, 1994.

SANTOS, Roberto Elísio dos. As teorias da comunicação: da fala à internet. São Paulo: Paulinas, 2003.

THOMPSON, John B. A mídia e a modernidade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

THOMPSON, Paul. A voz do passado: história oral. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

VEYNE, Paul. Como se escreve a história; Foucault revoluciona a história. Brasília: Ed. UnB, 1998. WOLF, Mauro. Teorias da Comunicação. Lisboa: Presença, 1995.

Publicado
2016-05-30
Como Citar
ALMEIDA, J. História e oralidade nos estudos comunicacionais. Revista Observatório, v. 2, n. 2, p. 47-58, 30 maio 2016.