ESPÉCIES VEGETAIS TÓXICAS DA FAMÍLIA APOCYNACEAE: UMA ANÁLISE SOBRE A DISTRIBUIÇÃO E OS CASOS DE INTOXICAÇÃO REGISTRADOS EM ARAGUAÍNA, TO

  • Jéssica Nayara Lopes Oliveira Lima
  • Claudia Scareli-Santos Universidade Federal do Tocantins

Resumo

As plantas tóxicas possuem substâncias que, por suas propriedades naturais, físicas, químicas ou físico-químicas, são capazes de causar alterações metabólicas, estas são conhecidas como intoxicação. As crianças são as mais suscetíveis a se intoxicarem, pois pelo fato de estar sempre brincando nos seus quintais, acabam ingerindo plantas que muitas vezes podem ser tóxicas. Objetivou-se neste trabalho realizar um censo das espécies vegetais tóxicas da família Apocynaceae presentes em 29 bairros da cidade de Araguaína, TO e fazer um levantamento dos casos de intoxicação por plantas, acidentais ou não, ocorridos janeiro/2009 a dezembro/2014 neste município. Para a análise da arborização urbana primeiramente foram listados e consultados mapas para a localização dos setores, bairros com suas respectivas ruas e avenidas. Em seguida foram realizados censos das espécies vegetais em30bairros. Os resultados obtidos evidenciaram a presença de 24 exemplares de Allamanda catartica L. e de 28 indivíduos de Thevetia peruviana (Pers.) K. Schum em 66,67% dos bairros amostrados e distribuídas de forma irregular. Ambas as espécies foram observadas juntas nos setores Loteamento Martins Jorge, Setor Urbano, Setores Santa Mônica e Tereza Hilário. Não foram registrados caso de intoxicação por espécie Apocynaceae no município de Araguaína no período de janeiro/2009 a dezembro/2014

Biografia do Autor

Claudia Scareli-Santos, Universidade Federal do Tocantins
Curso de Biologia àreas: Botânica e Ecologia
Publicado
2017-03-06
Como Citar
Lopes Oliveira Lima, J., & Scareli-Santos, C. (2017). ESPÉCIES VEGETAIS TÓXICAS DA FAMÍLIA APOCYNACEAE: UMA ANÁLISE SOBRE A DISTRIBUIÇÃO E OS CASOS DE INTOXICAÇÃO REGISTRADOS EM ARAGUAÍNA, TO. DESAFIOS - Revista Interdisciplinar Da Universidade Federal Do Tocantins, 3(Especial), 03-11. https://doi.org/10.20873/uft.2359-3652.2016v3nespp3

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##