Assepsia de segmentos nodais de mini-rosa (Rosa sp.) para o estabelecimento in vitro

Palavras-chave: cultura de tecidos vegetais, explante, hipoclorito de sódio, plantas ornamentais

Resumo

O Brasil se destaca como um dos maiores produtores de plantas ornamentais do mundo. E as mini-rosas (Rosa sp.) estão entre as flores de vaso mais comercializadas. No entanto, apesar de sua grande importância econômica, os métodos de propagação tradicional possuem características indesejadas, pois favorecem a disseminação de doenças e pragas, dependência sazonal e baixa taxa de multiplicação. Portanto, o objetivo neste trabalho foi avaliar o uso de diferentes concentrações e tempos de imersão em solução de hipoclorito de sódio (NaClO) na assepsia de segmentos nodais de mini-rosa. Os segmentos nodais foram coletados de plantas jovens de mini-roseiras de cor vermelha, oriundas do campo. Foram avaliados nove tratamentos, combinando-se as concentrações de 0,75, 1,00 e 1,25% de NaClO e os tempos de 10, 20 e 30 minutos de exposição dos explantes ao agente desinfestante. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, com nove tratamentos contendo 20 repetições. Ao longo de 30 dias de cultivo in vitro, avaliou-se o percentual de contaminação, sobrevivência e necrose dos explantes. De acordo com os dados obtidos, verificou-se alta taxa de contaminação em todos os tratamentos. Porém, os explantes submetidos à concentração de 1,25% de NaClO por 30 minutos, apresentaram a maior taxa de assepsia (45%). Ainda neste mesmo tratamento, não foram verificadas contaminações por bactérias nem ocorrência de necrose nos explantes. Portanto, os segmentos nodais de mini-rosa submetidos ao hipoclorito de sódio na concentração de 1,25% por 30 minutos de imersão obtiveram o maior percentual de assepsia.

Referências

ALMEIDA, C.V.; YARA, R; ALMEIDA, M. Fungos endo-fíticos isolados de ápices caulinares de pupunheira cultivada in vivo e in vitro. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.40, p.467-470, 2005.

ANDRADE, M.V.; LUZ, J.M.Q.; LACERDA, A.S.; MELO, P.R.A. Micropropagação da aroeira (Myracrodruon urun-deuva Fr. All). Ciência Agrotécnica, v.24, n.1, p.174-180, 2000.

AZEVEDO, J.L.; MACCHERONI, W.; ARAÚJO, W.L.; PEREIRA, J.O. Endophytic microorganisms: A review on insect control and recent advances on tropical plants. Elec-tronic Journal of Biotechnology, v.3, p.40-65, 2000.

BHARADWAJ, R.; SINGH, S.K.; SURINDER, P.; SU-RENDRA, K. Improved protocol for a micropropagation of miniature rose (Rosa chinensis Jacq. var. Minima) cultivas. Journal of Ornamental Horticulture, v.9, p.238-242, 2006.

BOETTCHER, A. Sítios e jardins: rosas. São Paulo: Editora Europa, 87p. 1991.

CONDE, P.; SOUSA, A.; COSTA, A.; SANTOS, C. A protocol for Ulmus minor Mill. micropropagation and ac-climatization. Plant Cell, Tissue and Organ Culture, v.92, p.113-119, 2008.

DINIZ, J.D.N.; ALMEIDA, J.L.; OLIVEIRA, A.B.; BE-ZERRA, A.M. Protocolo para desinfestação, multiplicação e enraizamento in vitro de Spathiphyllum wallisi. Revista Ci-ência Agronômica, v.39, p.107-113, 2008.

DINIZ, J.D.; ALMEIDA, J.L.; OLIVEIRA, A.B.; VIDAL, F.R. Multiplicação e enraizamento in vitro de minirosa. Re-vista Ciência Agronômica, v.45, p.68-73, 2014.

EFFEGEM, C.; GONTIJO, A.B.P.L.; CAMPANHARO, A.; GONTIJO, I. Desinfestação e germinação in vitro de se-mentes de pimenta-do-reino (Piper nigrum L.). Enciclopédia Biosfera, v.10, p.1221-1228, 2014.

FERMINO-JUNIOR, P.C.P.; NAGAO, E.O.; PEREIRA, J.E.S. Estabelecimento, germinação e multiplicação in vitro de teca (Tectona grandis L.f.) a partir de genótipos da Ama-zônia Sul-Ocidental. Scientia Forestales, v.37, p.427-435, 2009.

GOLLE, D.P.; REINIGER, L.R.S.; BELLÉ, R.A.; CURTI, A.R. Desinfestação superficial de explantes isolados de ra-mos semilenhosos e herbáceos de Eugenia involucrata DC. (Myrtaceae). Revista Cerne, v.19, p.77-82, 2013.

GOMES, G.B.; ROCHA, P.S.G.; FREITAS, F.B.R.; ME-NEGATTI, P.W.S.; ZONIN, M.L.C. Estabelecimento in vitro de mini-rosa sob leds a partir de gemas e segmentos nodais. In: I Mostra Científica das Ciências Agrárias e Ciên-cias Biológicas, 2014, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - Erechim, RS. Anais... Ere-chim: EdiFAPES, 2014.

KOLE, C. Wild Crop Relatives: Genomic and Breeding Re-sources: Plantation and Ornamental Crops. Berlin: Springer – Verlag Berlin Heidelberg, 303p. 2011.

KUMUD, S.; HEM, P.; VIJAY, R. Micropropagation of rose cultivars: biotechnological application. Journal of Environ-mental Research and Development, v. 10, p.40-46, 2015.

MURASHIGE, T., SKOOG, F,A. A revised medium for rapid growth and bioassays with tobacco tissue culture. Physiologia Plantarum, v.15, p.473-497, 1962.

OLIVEIRA, L.S.; DIAS, P.C.; BRONDANI, G.E. Micro-propagação de espécies florestais brasileiras. Pesquisa Flo-restal Brasileira, v.33, p.439-453, 2013.

PEREIRA, G.A, CORREA, L.S.; BOLIANI, A.C. Desinfes-tação e estabelecimento in vitro de explantes de bananeira ‘Grande naine’ em diferentes concentrações de hipoclorito de sódio. Revista Brasileira de Fruticultura, v.33, p.222-226, 2011.

PICOLOTTO, L.; SCHUCH, M.W.; SOUZA, J.A.; SILVA, L.C.; FERRI; J., FACHINELLO, J.C. Efeito de hipoclorito de sódio, fotoperíodo e temperatura no estabelecimento in vitro de jabuticabeira. Scientia Agraria, v.8, p.19-23, 2007.

SANTOS, M.R.A.; CHAGAS, S.E.S.; GUIMARÃES, M.C.M. Estabelecimento de protocolo para descontaminação de explantes foliares de bacurizeiro (Platonia insignis Mart.). Saber Científico, v.4, p.10-16, 2015.

SILVA, J.P.G.S.; COSTA, T.P.D.; COSTA, M.K.C.; ARA-ÚJO, M.R.S.; ARAÚJO, K.S.; SILVA, A.C.M.; OLIVEI-RA, P.C.; SAI, E.F. Efeito da citocinina 6-benzilaminopurina (BAP) sobre o estabelecimento in vitro de segmentos nodais de Rosa sp. Revista Agroecossistema, v.9, p.370-380, 2017.

SILVA, T.L.; PEREIRA, M.A.A.; SCHERWINSKI-PEREIRA, J.E. Propagação in vitro de sacaca (Croton caju-cara Benth.): entendimentos sobre a dificuldade no desen-volvimento de protocolos de micropropagação da espécie. Biotemas, v.28, p.43-50, 2015.

SOUSA, G.C.; CLEMENTE, P.L.; ISAAC, W.L.R.; FARIA, S.P.; CAMPOS, M.R.C. Contaminação microbiana na pro-pagação in vitro de Cattleya walkeriana e Schum burkia-crispa. Revista Brasileira de Biociências, v.5, p.405-407, 2007.

STEWART, A.J.; STEWART, R.F. Phenols. In: Jorgensen SE, Fath BD (Eds.). Encyclopedia of Ecology. Oxford: Academic Press, p.2682-2689. 2008.

ULISSES, C.; WILLADINO, L.; ALBUQUERQUE, C.C.; CÂMARA, T.R. Clonagem vegetal. Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica, v.7, p.86-91, 2010.

Publicado
2019-10-05
Como Citar
Miléo da Silva, A. C., Pletsch Dalla Costa, T., Correa Costa, M. K., de Freitas Sia, E., & Rangel Rodrigues, R. (2019). Assepsia de segmentos nodais de mini-rosa (Rosa sp.) para o estabelecimento in vitro. Journal of Biotechnology and Biodiversity, 7(1), 225-230. https://doi.org/10.20873/jbb.uft.cemaf.v7n1.silva