Figurinhas do Whatsapp e o ensino de português para surdos: Um relato de experiência

Autores

  • Andrea Guimarães de Carvalho Universidade Federal de Goiás
  • Aliffer Valtuir Cardoso Centro de Formação e Capacitação dos Profissionais da Surdez e Centro de Apoio ao Surdo CAS/GO
  • Kelly Francisca da Silva Brito Centro de Capacitação e Formação de Profissionais da Surdez e Centro de Apoio ao Surdo CAS/GO

DOI:

https://doi.org/10.20873/RELPE.2447-6293.e202308

Palavras-chave:

Ferramentas tecnológicas, Whatsapp., Português por escrito., Surdos.

Resumo

O artigo é um relato de experiência que aborda uma ferramenta tecnológica e móvel, no ensino de língua portuguesa para surdos. Tem como referencial teórico: Bakthin, Vygotsky e Lima que abordam aspectos do dialogismo, teoria histórico-cultural, translinguajamento e transemiótica. Tem como objetivo relatar o uso dessa ferramenta no ensino de língua portuguesa para esse público com o auxílio intérpretes. A metodologia utilizada é um realizado em uma instituição pública estadual que trabalha com adolescentes e adultos surdos. Os resultados enfatizaram a importância dessa ferramenta como auxílio aos professores para promoverem um ensino significativo e efetivo e que é possível fazer com que os alunos produzam e diminuíam os estereótipos de que o português escrito é uma língua difícil e chata.

Biografia do Autor

Aliffer Valtuir Cardoso, Centro de Formação e Capacitação dos Profissionais da Surdez e Centro de Apoio ao Surdo CAS/GO

Mestrando em Educação pela Universidade Federal de Goiás (UFG/CEPAE) e professor na Rede Estadual do Centro de Formação e Capacitação dos Profissionais da Surdez e Centro de Apoio ao Surdo CAS/GO.

Kelly Francisca da Silva Brito, Centro de Capacitação e Formação de Profissionais da Surdez e Centro de Apoio ao Surdo CAS/GO

Mestra em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás e Professora na Rede Estadual de Educação Epecial no Centro de Capacitação e Formação de Profissionais da Surdez e Centro de Apoio ao Surdo CAS/GO., e-mail: kellyletraslibras@gmail.com

Referências

ANDRÉ, M. O que é um estudo de caso qualitativo em educação? Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 22, n. 40, p. 95-103, jul./dez. 2013.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BRASIL. Lei 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil/leis/2002/L10436.htm>. Acesso em: 01 outubro de 2021.

_______ . Decreto 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5626.htm>. Acesso em: 01 de outubro de 2021.

LEMOV. D.; CHAMPION, T. L.. Ensinando na Sala de Aula On-line: Sobrevivendo e Sendo Eficaz no Novo Normal. Edição: 1. Grupo A. Selo Penso, 2021.

LIMA, H. José de; REZENDE, T. F.. Escritas em português por surdos(as) como práticas de translinguajamentos em contextos de transmodalidade. Revista Brasileira de Educação especial, Santa Maria, v. 32, p. 1-19, 2019. Disponível em: < https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/38270/html> . Acesso em: 24 out. de 2021.

LIMA, H. José de. Interpretação transemiótica de práticas sociolinguísticas expressas em português escrito por pessoas surdas [manuscrito] / Hildomar José de Lima. - 2020. 191 f.

MORATO, E. M. O interacionismo no campo linguístico. In: MUSSALIM, F.; BENTES, A. C. (Org.). Introdução à Linguística: fundamentos epistemológicos. São Paulo: Cortez, 2004.

NASCIMENTO et al. Proposta de Currículo para o Ensino de Português Escrito como Segunda Língua para Estudantes Surdos.1 ed. Brasília. Secretaria de Modalidades Especializadas de Educação. DIPEBS/SEMESP/MEC, 2021.

SMOLKA, A. L. Justamante a concepção de linguagem como instrumento: um questionamento sobre práticas discursivas e educação formal. Temas Psicol. v. 3, n. 2, Ribeirão Preto ago. 1995. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?s cript=sci_arttext&pid=S1413-389X1995000200003> Acesso em: 27 de outubro de 2021.

VYGOTSKY, L. A formação social da mente. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

Downloads

Publicado

2023-07-30

Como Citar

GUIMARÃES DE CARVALHO, Andrea; VALTUIR CARDOSO, Aliffer; BRITO, Kelly Francisca da Silva. Figurinhas do Whatsapp e o ensino de português para surdos: Um relato de experiência. RELPE: Revista Leituras em Pedagogia e Educação, [S. l.], v. 7, n. 1, p. e202308, 2023. DOI: 10.20873/RELPE.2447-6293.e202308. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/relpe/article/view/14821. Acesso em: 28 fev. 2024.