Barbárie e resistência em Gramática Expositiva do Chão

  • Alinny Rodrigues Pereira Silva Universidade Federal de Goiás

Resumo

Resumo: Este artigo pretende investigar uma aproximação da ideia de testemunho, imaginário e violência na obra Gramática Expositiva do Chão do poeta Manoel de Barros, por meio da análise de referências à ditadura militar no Brasil. A obra de poesia em prosa apresenta um sujeito lírico-narrador que conta a história de um homem que é preso e que nunca mais voltará, juntamente com a nefasta presença de uma máquina que escolhe pessoas, bichos, coisas para serem triturados exercendo o controle total a favor de uma ordem imposta. Dessa forma, interessa nesta pesquisa traçar um breve percurso da literatura de testemunho na América Latina e entender como o teor testemunhal da barbárie exercida pela ditadura militar brasileira manifesta-se na obra supracitada mediante a linguagem, as imagens e os silêncios, num projeto estético em que a razão e a lógica pulverizam-se no ar dando lugar à imaginação.

Publicado
2018-12-16