EPIDEMIOLOGIA DO SUICÍDIO NO BRASIL ENTRE OS ANOS DE 2011 E 2016

EPIDEMIOLOGY OF SUICIDE IN BRAZIL BETWEEN 2011 AND 2016

  • Wanderson Batista Silva UFT
  • Vitor Campos Klein Universidade Federal do Tocantins
  • Jaqueline das Dores Dias Oliveira Universidade Federal do Tocantins

Resumo

Introdução: O suicídio é uma das quatro principais causas de morte entre as pessoas com idade entre 15 e 44 anos, tanto em países desenvolvidos como em países em desenvolvimento. O Brasil se encontra atualmente entre os 10 primeiros países com mais casos de suicídio, em números absolutos. Objetivo: Desenvolver uma análise epidemiológica das taxas de mortalidade por suicídio no Brasil por regiões do país entre 2011 e 2016. Métodos: Trata-se de um estudo transversal, retrospectivo e descritivo sobre taxas de mortalidade por suicídio encontrado em cada região brasileira durante o período de 2011-2016. Os dados de mortalidade e suicídio, assim como características sociodemográficas e epidemiológicas foram obtidas no banco do Sistema de Informações sobre Agravos e Notificações (SINAN), do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Dados sobre estimativas populacionais foram obtidos no Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE), que também se encontravam no SINAN. Resultados: No período de 2011 a 2015, foram registrados 55.649 óbitos por suicídio no Brasil, com um coeficiente de 5,5/100 mil hab., variando de 5,3 em 2011 a 5,7 em 2015. O risco de suicídio no sexo masculino foi de 8,7/100 mil hab., sendo aproximadamente quatro vezes maior que o feminino (2,4/100 mil hab.) Conclusão: A predominância de notificações de comportamento suicida continua circunscrita aos estados da região sudeste, com maior incidência sobre a população masculina e idosa, configurando, uma nova perspectiva epidemiológica para o agravo que na mesma medida acompanha a transição demográfica pela qual a população brasileira vem passando nas últimas décadas.

Publicado
2020-02-07

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)