A DECLARAÇÃO DE BOLONHA E O REFORÇO DA ABERTURA DO ENSINO SUPERIOR A NOVOS PÚBLICOS: perceções de pessoas adultas que frequentam a Universidade de Coimbra

Palavras-chave: Declaração de Bolonha, Acesso de adultos ao ensino superior, Saberes experienciais

Resumo

Em Portugal, ao mesmo tempo que se implementavam as orientações decorrentes dos compromissos da Declaração de Bolonha, foi criada legislação que enquadrava um novo regime de acesso de pessoas adultas ao ensino superior, o que provocou um acréscimo muito significativo de entradas, nas Universidades e Institutos Politécnicos, para maiores de vinte e três anos. Neste trabalho, apresentamos um estudo com estes estudantes, que frequentam a Universidade de Coimbra, realizado através de questionário com perguntas fechadas e abertas, seguido de focus group, onde se pode compreender a importância que a oportunidade de acesso e a experiência vivida, enquanto estudantes, têm para estas pessoas, mesmo que, em termos gerais, seja muito pouco considerada a sua especificidade de estudantes com caraterísticas e responsabilidades, profissionais e familiares, bastante diferentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabel Moio, Universidade de Coimbra

Mestre em Ciências da Educação e Licenciada em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, Portugal. E-mail: isabel.moio@fpce.uc.pt.

Luís Alcoforado, Universidade de Coimbra

Doutor, mestre e licenciado em Ciências da Educação, pela Universidade de Coimbra. É Professor na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra e Investigador do Grupo de Políticas Educativas e Dinâmicas Educacionais (GRUPOEDE) do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEISXX), uma Unidade de Investigação da Universidade de Coimbra e da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT). É Coordenador do Mestrado em Educação e Formação de Adultos e Intervenção Comunitária e Membro da Comissão de Coordenação do Doutoramento em Ciências da Educação, da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. E-mail: lalcoforado@fpce.uc.pt.

Cristina Coimbra Vieira, Universidade de Coimbra

Doutora e mestra em Ciências da Educação e Licenciada em Psicologia pela Universidade de Coimbra . É Professora Associada na Universidade de Coimbra. E-mail: vieira@fpce.uc.pt.

Referências

ALVES, Mariana & PIRES, Ana Luísa. Aprendizagem ao Longo da Vida: entre a novidade e a reprodução de velhas desigualdades. ANAIS – Unidade de Investigação Educação e Desenvolvimento, UIED, Lisboa, 9, 2009, p. 43-54.

AMARAL, Alberto & MAGALHÃES, António. Between institutional competition and the search for equality of opportunities: access of mature students. Higher Education Policy, IAU, Londres, 22, 2009, p. 505-521.

.AMORIM, José Pedro; AZEVEDO, Joaquim & COIMBRA, Joaquim Luís. E depois do acesso (de “novos públicos” ao ensino superior): a revolução não acabou. In ALCOFORADO, Luís et al. (Edit.). Educação e Formação de Adultos, Políticas, Práticas e Investigação. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2011, p. 211-225.

AMORIM, José Pedro. Da “abertura” das instituições de ensino superior a “novos públicos”: o caso português. 234f. Tese (Doutoramento em Psicologia da Educação) – Faculdade de Educação e Psicologia, Universidade Católica Portuguesa, Porto, 2013.

ANTUNES, Fátima. Governação e espaço europeu de educação: regulação da educação e visões para o projecto “Europa”. Revista Crítica de Ciências Sociais, CES, Coimbra, 75, 2006, p. 63-93.

ANTUNES, Fátima & RODRIGUES, Fernanda (2006). «Reconfigurações»: alguns efeitos sobre a escola e Estado em Portugal. In MAGALHÃES, António & STOER, Stephen (org.), «Reconfigurações» – Educação, Estado e Cultura numa época de globalização. Porto: Profedições, 2006, p. 117-137.

BAPTISTA, Ana Vitória. O estudante adulto não-tradicional na Universidade de Aveiro: caracterização do grupo de maiores de 23 matriculado no ano lectivo 2006-07. Dissertação de Mestrado em Educação. Universidade de Aveiro, Aveiro, 2009.

BRÁS, José Viegas; GONÇALVES, Maria; FONSECA, Sofia; GEZINE, Edineide. A universidade portuguesa: o abrir do fecho de acesso – o caso dos maiores de 23 anos. Revista Lusófona de Educação, UL, Lisboa, 21, 2012, p. 163-178.

CASTRO, Alda; SEIXAS, Ana Maria; NETO, Antônio. (2010). Políticas educativas em contextos globalizados: a expansão do ensino superior em Portugal e no Brasil. Revista Portuguesa de Pedagogia, FPCEUC, Coimbra, 44(1), 2010, p. 37-61.

COMISSÃO EUROPEIA. Tornar o espaço europeu de aprendizagem ao longo da vida uma realidade. Bruxelas: Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias, 2001.

CORDEIRO, Luís. Da pertinência de um sistema que valorize e promova a aprendizagem ao longo da vida. In Conselho Nacional de Educação, Políticas do ensino superior: quatro temas em debate (pp. 185-188). Lisboa: Conselho Nacional de Educação, 2007, p. 185-188.

CORREIA, Ana Maria; MESQUITA, Anabela. Novos Públicos no Ensino Superior – Desafios da Sociedade do Conhecimento. Lisboa: Edições Sílabo, 2006.

PORTUGAL. Decreto-Lei n.º 198/1979 de 29 de junho. Diário da República n.º 148/79 – I Série. Lisboa: Ministério da Educação, 1979.

PORTUGAL. Decreto-Lei n.º 42/2005 de 22 de fevereiro. Diário da República n.º 37/05 – I Série A. Lisboa: Ministério da Ciência, Inovação e Ensino Superior, 2005.

PORTUGAL. Decreto-Lei n.º 64/2006, de 21 de março. Diário da República n.º 57/06 – I Série A. Lisboa: Ministério da Ciência, da Tecnologia e do Ensino Superior, 2006.

FERREIRA, Ana Margarida. Educação e Formação de Adultos e Ensino Superior: linhas de desenvolvimento de apoio ao estudante adulto. Dissertação de Mestrado em Educação. Instituto da Educação, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2010.

FERREIRA, Ana Margarida. Estudantes adultos no ensino superior. In ALCOFORADO, Luís et al., Educação e Formação de Adultos. Políticas, Práticas e Investigação. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2011, p. 201-209.

INÁCIO, Maria Joana, & SALEMA, Maria Helena. Aprender a aprender no processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC): estudo de caso duplo. In Alcoforado, Luís et al. (Org.), Educação e Formação de Adultos. Políticas, Práticas e Investigação. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2011, p.163-176.

LIMA, Licínio, AZEVEDO, Mário Luiz; CATANI, Afrânio. O Processo de Bolonha, a avaliação da Educação Superior e algumas considerações sobre a Universidade Nova. Avaliação, RAIES, Campinas, 2008, 13 (1), p. 7-36.

LOURTIE, Pedro. Novos públicos e novas oportunidades de certificação: ensino superior. In Conselho Nacional de Educação, Aprendizagem ao Longo da Vida no Debate Nacional sobre Educação, Lisboa: Conselho Nacional de Educação, 2007, p. 105-114.

MONTEIRO, Angélica et al. Novos públicos do Ensino Superior: abordagem à aprendizagem de estudantes Maiores de 23 anos. Revista Portuguesa de Pedagogia, FPCEUC, Coimbra, 2015, 49 (1), p. 131-149.

OLIVEIRA, Albertina. Quem são e como são eles? – o caso dos adultos no ensino superior. Revista Portuguesa de Pedagogia, FPCEUC, Coimbra, 2007, 41 (3), p. 43-76.

PACHECO, José Augusto (2003). Políticas educativas para o ensino superior na União Europeia: um olhar do lado português. Educação & Sociedade, CEDES, Campinas, 2003, 24 (82), p. 17-36.

PIRES, Ana Luísa. O reconhecimento da experiência no Ensino Superior. Um estudo de caso nas universidades públicas portuguesas. In ANAIS da UIED nº8, Lisboa: FCT/UNL, 2007.

PIRES, Ana Luísa. Aprendizagem ao Longo da Vida, Ensino Superior e novos públicos: uma perspectiva internacional. In ALVES, Mariana, Aprendizagem ao longo da vida e políticas educativas europeias: tensões e ambiguidades nos discursos e nas práticas de estados, instituições e indivíduos. Lisboa: Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, 2010, p. 107-137.

QUINTAS, Helena. Educação de Adultos: vida no currículo e currículo na vida. Lisboa: Agência Nacional para a Qualificação, 2008.

QUINTAS, Helena et al. Estudantes adultos no Ensino Superior: o que os motiva e o que os desafia no regresso à vida académica. Revista Portuguesa de Educação, CIEd, Braga, 2014, 27 (2), p. 33-56.

SANTIAGO, Rui, ROSA, Maria João, & AMARAL, Alberto. O Ensino Superior Aberto a Novos Públicos. Matosinhos: CIPES–Fundação das Universidades Portuguesas, 2002.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Da ideia de universidade à universidade de ideias. Revista Crítica de Ciências Sociais, CES, Coimbra, 1989, 27/28, p. 11-62.

SILVA, Rita. Porque ingressam e como se integram no ensino superior os estudantes maiores de 23 anos comparativamente aos estudantes do acesso regular?. Dissertação de Mestrado em Educação. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade do Porto, Porto, 2010.

SIMÃO, José Veiga, SANTOS, Sérgio, & COSTA, António. Ambição para a Excelência – A Oportunidade de Bolonha. Lisboa: Gradiva, 2005.

SOARES, Diana; ALMEIDA, Leandro & FERREIRA, Joaquim. Percursos vocacionais e vivências académicas: o caso dos alunos Maiores de 23 anos. Psicologia, Educação e Cultura, CIC, Carvalhos, 2010, XIV (1), p. 203-214.

TEODORO, António; GALEGO, Carla; MARQUES, Fátima. Do fim dos eleitos ao Processo de Bolonha: as políticas de educação superior em Portugal (1970-2008). Ensino Em-Revista, UFU, Uberlândia, 2010, 17 (2), p.657-691.

VIEIRA, Sandrina. A Aprendizagem ao Longo da Vida na Iniciativa Novas Oportunidades: entre a igualdade e a desigualdade de oportunidades rumo ao ensino superior. Um estudo de caso na região Norte de Portugal. Dissertação de Mestrado em Educação. Instituto de Educação, Universidade do Minho, Braga, 2012.

Publicado
2017-10-01
Como Citar
MOIO, I.; ALCOFORADO, L.; VIEIRA, C. C. A DECLARAÇÃO DE BOLONHA E O REFORÇO DA ABERTURA DO ENSINO SUPERIOR A NOVOS PÚBLICOS: perceções de pessoas adultas que frequentam a Universidade de Coimbra. Revista Observatório , v. 3, n. 6, p. 169-201, 1 out. 2017.
Seção
Dossiê Temático / Thematic dossier / Dossier temático