A PROGRAMAÇÃO NO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO: o projeto-piloto em duas escolas do Concelho do Seixal, Portugal

Palavras-chave: Narrativas Fotográficas, Facebook, Corpos, Subjetividades, Construção do Conhecimento

Resumo

Esta pesquisa discute, numa aproximação com as narrativas de Alice no País das Maravilhas, da Mitologia Grega de Narciso e dos Meninos Perdidos na Terra do Nunca, os modos de articulação das experiências corpóreas dos sujeitos juvenis pela produção e publicização fotográfica nas redes sociais, sinalizando outras rotas de aprendizagens – num olhar específico para as narrativas tecidas na rede social Facebook. O objetivo foi investigar e analisar as narrativas fotográficas juvenis compartilhadas nas redes sociais digitais, de modo a compreender outras rotas de aprendizagens sinalizadas por essas narrativas. É uma pesquisa qualitativa, de cunho descritivo e analítico, fundada na Netnopesquisa. A pesquisa concluiu que os corpos juvenis representados nas fotografias publicadas no Facebook são canais tecno-digitais de comunicação; os sujeitos juvenis imprimem em seus corpos publicizados nas redes sociais a avatarização da liberdade; os corpos juvenis perfilados no Facebook se educam pelos sentidos e se articulam numa trajetória única de cada sujeito; o Facebook é instância formativa e as narrativas fotográficas emprestam liberdade para a não fixação de seus corpos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria de Matos Ferreira Bastos, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Professora Auxiliar do Departamento de Educação e Psicologia, Escola de Ciências Humanas e Sociais, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Portugal. Doutora em Ciências da Educação. E-mail: abastos@utad.pt.

Jorge Cunha, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Professor de TIC; Mestre em Ensino de Informática. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. E-mail: jorgefrcunha@gmail.com.

Referências

BOGDAN, R., & BIKLEN, S. (1994). Investigação em Educação. Porto: Porto Editora.

BRANDE, L. (2009). Para uma estruturação lógica da “aprendizagem sustentada em tecnologia.” In Creative Learning Innovation Marketplace: Matching New Business and new Learning. Coord. Rodrigues N., Caiado H., Costa, E.(pp 31-34). Lisboa: Lápis na Mão.

CHAGAS, I. (2002). “Trabalho em colaboração: condição necessária para a sustentabilidade de redes de aprendizagem”. In M. Miguéns (Dir.). Redes de aprendizagem. Redes de conhecimento. Lisboa: Conselho Nacional da Educação, 71-82.

COSTA, F., PERALTA, H., & VISEU, S. (Eds). (2007). As TIC na Educação em Portugal. Concepções e Práticas. Porto: Porto Editora.

CUNHA, R. F. J. (2015). ActivTable no desenvolvimento da capacidade de resiliência de alunos com Necessidades Educativas Especiais. Pós-Graduação em Educação Especial: Domínio Cognitivo e Motor. Aveiro: Universidade de Aveiro.

ESCOLA, J., RAPOSO, R. M., MARTINÉZ, M. E., & AIRES, A. P. (Coords) (2013). Desafios éticos na sociedade tecnológica: respostas às necessidades educativas especiais e educação para os média. Editora Andavira: Santiago de Compostela.

FIGUEIREDO, M., & TORRES, J. (2015). Iniciação à Programação no 1.º Ciclo do Ensino Básico. Linhas Orientadoras. Disponível em: http://www.erte.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos/Programacao/IP1CEB/linhas_orientadoras.pdf (acedido dia 19 de fevereiro de 2016).

FELIZARDO, V. H. M., & COSTA, A. F. (2014). Formação contínua na área das TIC em Portugal. Quem são os Formadores e que perspetivas têm sobre a integração das tecnologias no currículo. Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Investigar em Educação – II ª Série, Número 2.

MARQUES, H. (2012). Competências dos professores e a integração das TIC na prática pedagógica nas ciências sociais e humanas (2.º e 3.º ciclo CEB). Dissertação de mestrado. Lisboa: Universidade de Lisboa. Disponível em: http://hdl.handle.net/10451/8286 (acedido dia 04 de fevereiro de 2016).

MELO, I. (2012).Tecnologia interativa na sala de aula. Disponível em: http://www.opovo.com.br/app/opovo/jornaldoleitor/2012/12/18/noticiasjornaljornaldoleitor,2972529/igor-de-melo.shtml (acedido dia 30 de abril de 2016).

NÓVOA, A. (2007). Prefácio In Costa, F., Peralta, H., & Viseu, S (orgs). As TIC na Educação em Portugal – Concepções e Práticas. Porto. Porto Editora.

PALHARES, P. (1997). Histórias com problemas construídas por futuros professores de Matemática. In Fernandes, D., Lester, F., Borralho, A. & Vale, I. (Coords.). Resolução de problemas na formação inicial de professores de Matemática – múltiplos contextos e perspectivas. Aveiro: GIRP/JNICT. p.p. 154-188.

PINTO, S. A. (2010). Scratch na aprendizagem da Matemática no 1.º Ciclo do Ensino Básico: estudo de caso na resolução de problemas. Mestrado em Estudos da Criança – Tecnologias de Informação e Comunicação.

RAMOS, J. L. & ESPADEIRO, R. G. (2015). Pensamento computacional na escola e práticas de avaliação das aprendizagens. Uma revisão sistemática da literatura. Disponível em: http://dspace.uevora.pt/rdpc/bitstream/10174/14227/1/challenges%202015br.pdf, (acedido dia 03 de março de 2016).

SCHNEIDER, I. E., & VANZIN, T. (2012). Inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino a distância: um estudo de caso. Disponível em: http://senid.upf.br/2012/anais/96213.pdf (acedido a 03 de fevereiro de 2016).

SOUSA, P. R., MOITA, C. S. M. F., & CARVALHO, G. B. A. (Orgs). (2011). Tecnologias Digitais na Educação. Disponível em: http://static.scielo.org/scielobooks/6pdyn/pdf/sousa-9788578791247.pdf (acedido dia 10 de maio de 2016).

TEZANI, T. C. R. (2011). A educação escolar no contexto das tecnologias da informação e da comunicação: desafios e possibilidades para a prática pedagógica curricular. Revistafaac, Bauru, v. 1, n. 1, p. 35-45.

VALE, M. C. S. A. (2012). Educação Pré-Escolar e Ensino do 1.º Ciclo do Ensino Básico. Disponível em: https://repositorio.uac.pt/bitstream/10400.3/1669/1/DissertMestradoAnaSofiaCostaMartinsVale2012.pdf (acedido dia 28 de abril de 2016).

Publicado
2017-07-01
Como Citar
BASTOS, A. M. DE M. F.; CUNHA, J. A PROGRAMAÇÃO NO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO: o projeto-piloto em duas escolas do Concelho do Seixal, Portugal. Revista Observatório , v. 3, n. 4, p. 331-363, 1 jul. 2017.
Seção
Dossiê Temático / Thematic dossier / Dossier temático