Medo, política e mídia: o discurso do medo em duas eleições presidenciais

Palavras-chave: Comunicação, Mídia, Medo, Sociedade de Consumo, Política

Resumo

Nesse artigo vamos analisar a questão do medo, e o uso político do medo, comparando dois casos dessa utilização da estratégia do medo no discurso político da mídia televisiva, os quais foram efetuados em dois momentos diferentes, nas campanhas eleitorais das eleições presidenciais de 2002 e 2014. Além disso, busca-se relacionar o discurso do medo na mídia, às condições de incertezas, a busca do prazer, o consumo e o individualismo instauradas na pós-modernidade. A partir de uma análise crítica das condições sociais, pretende-se investigar como o medo, potencializado pela mídia, é capaz de produzir um efeito de alienação capaz de criar um discurso que acaba se repetindo mecanicamente, reproduzindo ações e ampliando conceitos artificiais introduzidos socialmente, produzindo, mesmo, a proliferação de preconceitos, discursos fáceis e estereotipados.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricio Dugnani, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutor em Comunicação e Semiótica PUC/SP, Mestre em Comunicação e Semiótica PUC/SP e Bacharel em Artes Plásticas pela Unesp. Professor nas áreas de Comunicação e Artes da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Professor de Artes do Colégio Giordano Bruno. Autor e Ilustrador com os seguintes livros publicados: A Herança Simbólica na Azulejaria Barroca (2012). O Livro dos Labirintos (2004). Ovelhas e Lobos (2002), Beleléu (2003/ PNLD 2004), O Seu Lugar (2005/ PNLD 2006), Um Mundo Melhor (2006), Beleléu e os Números (2009), Beleléu e as Cores (2010), Beleléu e as Formas (2011), Beleléu e as Palavras (2014).

Referências

AGAMBEN, G. Homo Sacer: O Poder Soberano e a Vida Nua. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2002.

ANDRADE, C. D. Poesia Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2006.

ARENDT, H. A Condição Humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005.

BAUMAN. Z. Medo Líquido. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

BARTHES, R. Mitologias. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

HERMANN, R. Querido Leitor a Mídia Exige um Padrão e o que Você vai fazer diante disso. Worldpress. 13/09/2013. Disponível em: http://noticias.r7.com/blogs/querido-leitor/?comments_popup=49440. Acesso em: 09 fev. 2015.

IRAHETA, D. A Tática “Regina Duarte” do PT para Reeleger Dilma Rousseff e o Choro e Vitimização de Marina Silva como Resposta. Brasil Post, 16/09/2014. Disponível em:

http://www.brasilpost.com.br/diego-iraheta/pt-regina-duarte_b_5825074.html. Acesso em: 09 fev. 2015.

KEHL, M. R. Elogio do Medo. In NOVAES, A. Ensaios sobre o Medo. São Paulo: Editora SENAC, 2007.

KODO, L. L. Blefe, O Gozo Pós-Moderno. São Paulo: Zouk, 2001.

MAQUIAVEL, N. O Príncipe. São Paulo: Penguin, 2010.

MACHADO, A. A Televisão Levada à Sério. São Paulo: Senac, 2000.

MCLUHAN, M. Os Meios de Comunicação como Extensões do Homem. São Paulo: Cultrix, 1974.

MATTELART, A. e MATTELART M. História das teorias da Comunicação. São Paulo: Loyola, 1999.

NOVAES, A. Políticas do Medo. In NOVAES, A. Ensaios sobre o Medo. São Paulo: Editora SENAC, 2007.

STRINATI, D. Cultura Popular. São Paulo: Hedra, 1999.

Publicado
2016-05-01
Como Citar
DUGNANI, P. Medo, política e mídia: o discurso do medo em duas eleições presidenciais. Revista Observatório, v. 2, n. 1, p. 299-317, 1 maio 2016.