PERFORMANCES TRANSGRESSORAS E TRANSVIADAS

Narrativas Audiovisuais sobre a Transexualidade na Escola

  • Judivan Alves Ferreira UFG
Palavras-chave: Performances Culturais. Estudos Transviados. Narrativas Audiovisuais. Transexualidade. Educação.

Resumo

As representações da sexualidade e do gênero têm se diversificado, multiplicado e vem ganhando espaço nos territórios midiáticos. Este ensaio analisa as narrativas audiovisuais sobre a transexualidade no ambiente escolar a partir dos produtos culturais audiovisuais Vestido Nuevo (2007), fragmentos da série televisiva Glee (2009-2015) e Laurence Anyways (2012).  Tais produtos foram analisados sob a perspectiva das performances culturais, dos estudos transviados, das relações entre gênero e diversidade e das narrativas audiovisuais. Observa-se que é preciso, e cada vez mais, que se criem narrativas nas quais transexuais e travestis sejam representadas como pessoas dignas de viverem plenamente suas vidas e que estas vozes emerjam e encontrem espaços para narrarem suas próprias histórias.

Referências

ALVES, Cláudio Eduardo Resende. Travestis e transexuais na escola: ressonâncias do uso do nome social na rede municipal de educação de Belo Horizonte. In: Seminário Internacional Fazendo Gênero, 10, 2013. Florianópolis. Anais. Florianópolis – SC, 2013.

ANDRADE, Luma Nogueira de. Travesti: a negação da escola e da vida. In: Seminário Nacional de Educação, Diversidade Sexual e Direitos Humanos, 3, 2014. Vitória. Anais. Vitória – ES, 2014.

BENTO, Berenice. A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

______. Queer o quê? Ativismo e estudos transviados. Revista Cult. São Paulo, ano 17, n. 193, p. 42-46, 2014a.

______. O que pode uma teoria? Estudos transviados e a despatolização das identidades trans. Florestan. São Carlos, ano 1, n. 2, p. 46-66, 2014b.

BESSA, Karla. A teoria queer e os desafios às molduras do olhar. Revista Cult. São Paulo, ano 17, n. 193, p. 48-54, 2014.

BRASIL, Rene. Máscara Negra. São Paulo: Kinoosfera Filmes, 15min. 2011. Disponível em: https://vimeo.com/44823597.
CAMARGO, Robson. Milton Singer e as performances culturais: um conceito interdisciplinar e uma metodologia de análise. Karpa 6. 2013. Disponível em: http://www.calstatela.edu/misc/karpa/Karpa6.1/Site%20Folder/robson1.html

CANTON, Katia. Corpo, identidade e erotismo. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

CASETTI, Francesco e DI CHIO, Federico. Cómo analizar un film. Barcelona: Ediciones Paidós, 1996.

CASTRO, Gustavo de. Imaginário, literatura e mídia. In. CASTRO, Gustavo de. (Org.). Mídia e imaginário. São Paulo: Annablume, 2012.

DOLAN, Xavier. Laurence Anyways. Montreal, CA; Paris, FR: Lyla Films; Mk2 Productions, 2h39min. 2012.

ESCOSTEGUY, Ana Carolina D.; GUTFREIND, Cristiane Freitas; ANTUNES, Ricardo Romanoff; BRENDLER, Guilherme. Notas para (re) ver as relações entre o feminino e o masculino nos longa-metragens de Jorge Furtado. Intexto, Porto Alegre: UFRGS, v. 2, n. 17, p. 1-13, julho/dezembro, 2007.

FERREIRA, Ceiça; SOUZA, Edileuza Penha de. Mídia, estereótipo e representação das minorias. Relações de gênero e novas configurações do feminino no curta moçambicano “Phatyma” (2010). Razón y Palabra. [s.l], n. 88 Dic. 2014 – feb. 2015.

FERREIRA, Élida Paulina. Uma reconsideração radical da noção de identidade ou a promessa de uma língua? Trabalhos de Lingüística Aplicada, n. 40, p. 9-16, 2002.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2010.

GARCIA, Pedro Benjamim. Paradigmas em crise e a educação. In: BRANDÃO, Zaia. (Org.). A crise dos paradigmas e a educação. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

GOMES, Marcos Aurélio Paiva. Uma visão sobre as transgressões da heteronormatividade no cinema contemporâneo. 2015. 113f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva; Guacira Lopes Louro. 4. ed. Rio de Janeiro: DP&A. 2000.

______. Quem precisa da identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Homofobia na escola: um problema de todos. In: JUNQUEIRA, R.D. (org.). Diversidade Sexual na Educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: UNESCO,2009.

LIMA, Roberto Carlos Santana. Glee: uma transmedia storytelling e a construção de identidades plurais. Salvador, BA: [s.n], 2013. 107 f. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, 2013.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

______. Cinema e sexualidade. Revista Educação e Realidade. Porto Alegre, v. 33, n. 1. 2008. p. 81-98. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/6688/4001. Acesso em: 18 ago. 2016.

LUZ, Rogério. Filme e Subjetividade. Rio de Janeiro, 2002.

MARGARIDA SALOMÃO DISCURSA sobre ideologia de gênero na Comissão de Educação. Direção: Imprensa Margarida. Discurso, 09'08". Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=um6DDczsycE . Acesso em agosto de 2016.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Por que estudar narrativas? In: MOTA, Célia Ladeira; MOTTA, Luiz Gonzaga; CUNHA, Maria Jandira (Orgs.). Narrativas midiáticas. Florianópolis: Insular, 2012.

MURPHY, Ryan; FALCHUK, Brad; BRENNAN, Ian. Glee. Los Angeles: 20th Century Fox Pictures, 2009-2015.

ORLANDI, Eni Puccinelli. O discurso pedagógico: a circularidade. In.: ORLANDI, Eni Puccinelli. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. 4. ed. Campinas: Pontes, 1996.

PÉREZ, Sergi. Vestido Nuevo. Barcelona: Escándalo Films, 14min. 2007. Disponível em: http://www.sergiperezgomez.com/fiction/vestido-nuevo/

PINTO, Joana Plaza. Estilizações de gênero em discurso sobre linguagem. Campinas, SP: [s.n], 2002. Tese.

______. Performatividade. Revista Cult. São Paulo, nov 2013. Disponível em: http://revistacult.uol.com.br/home/2013/11/o-percurso-da-performatividade/. Acesso em: 20 ago. 2016.

RAJAGOPALAN, Kanavilillil. O conceito de identidade em linguística: é chegada a hora para uma reconsideração radical? In.: SIGNORINI, Inês. (Org.). Lingua(gem) e identidade: elementos para uma discussão no campo aplicado. Campinas – SP: Mercado das Letras; São Paulo: Fapesp, 2002.

REIDEL, Marina. A pedagogia do salto alto: histórias de professoras transexuais e travestis na educação brasileira. 2013. 162 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2013.

SIGNORINI, Inês. (Org.). Lingua(gem) e identidade: elementos para uma discussão no campo aplicado. Campinas – SP: Mercado das Letras; São Paulo: Fapesp, 2002.

SILVA, Tomaz Tadeu da. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

SILVA, Daniel do Nascimento e. A questão da identidade em perspectiva pragmática. Rev. bras. linguist. apl., Belo Horizonte , v. 8, n. 1, p. 13-33, 2008 . Available from . access on 23 Aug. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S1984-63982008000100002.

VELOSO, Caetano. Gente. In.: VELOSO, Caetano. Bicho. Rio de Janeiro: Philips, 1977. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=n708Dn3vi1o. Acesso em 18 ago. 2016.
Publicado
2017-01-27
Seção
Artigos