Un análisis de los riesgos de los equipos de intervención con respecto a la violencia en el trabajo: mimesis, híper-representatividad y cancelación imaginaria

Resumo

Aqui são exibidos os modelos de intervenção desenvolvidos por uma equipe de trabalho argentina em torno da problemática da violência laboral nas organizações. Sãs analisadas estratégias desenvolvidas em três modos de demanda: os condutores da organização; a dos representantes sindicais; a dos profissionais de saúde, levando em conta seu alcance e limitações. Se formaliza o tipo de obstáculos comuns às estratégias de intervenção descritas, o que identificamos e denominamos: a neutralização dos antecedentes e das causas; a neutralização das consequências imediatas e imediatas; e a psicologização da violência. Delimita-se seguidamente um conjunto de comportamentos reflexivamente identificados nas equipes de intervenção como orientados a regular os fluxos emocionais e vínculos libidinais que são gerados nos processos de ação e que são chamados de mimesis, hiper-representatividade e cancelamento imaginário. No fechamento, são analisadas as dinâmicas que podem reverter alguns desses processos e a razão pela qual eles estão localizados como riscos.

Biografia do Autor

Liliana Ferrari, Universidad de Buenos Aires e CONICET

Facultad de Psicología de la Universidad de Buenos Aires y Carrera de Relaciones del Trabajo en el Instituto de Ciencias Sociales y Administración en la Universidad Nacional Arturo Jauretche. Profesora e investigadora en el área de Psicología Social del Trabajo y de la Salud. Profesora en grado y posgrado, miembro del Comité de la Carrera de Especialización en UBA. Directora de Investigaciones Nacionales e Internacionales (CONICET)

Publicado
2019-02-08
Seção
Artigos Teóricos e Empíricos