Globo Repórter no Twitter: o discurso coletivo dos telespectadores

  • Bianca Pereira da Silva UNIVALI
  • Carlos Golembiewski UNIVALI

Resumo

Este estudo tem por objetivo revelar os comentários do Twitter feitos pelos telespectadores do Globo Repórter durante a exibição do programa. Entre os objetivos específicos estão: um perfil do programa e uma análise histórica do surgimento das redes sociais. A escolha do Globo Repórter se deu porque ele é um dos programas que está há mais tempo no ar na TV brasileira.  Para isso, utilizou-se como referencial teórico: Globo Repórter (Andrade, 2002); (Souza, 2004), (Rezende, 2000); Rede Social na Internet (Recuero, 2009), (Body & Ellison, 2007) e Twitter (Santaella e Lemos, 2009), (Zago,2014). Como método para desenvolver esse estudo, usou-se a técnica do Discurso do Sujeito Coletivo proposta por Lefévre&Lefévre (2003). Para desenvolver a técnica, foram analisadas duas edições do Globo Repórter e coletados os comentários dos telespectadores por meio da hashtag #GloboReporter, durante a exibição do programa. Entre as conclusões, pode-se dizer que ao assistir o Globo Repórter, a população relaciona a sua realidade com aquilo que é exibido no programa.

Referências

ADNEWS (São Paulo); RIBENBOIM, G. 40,5 milhões de usuários são impactados por ações no Twitter. 2015. Disponível em: < http://www.adnews.com.br/internet/mais-de-40-milhoes-de-usuarios-brasileiros-sao-impactados-por-acoes-no-twitter > Acesso em: 21 de março de 2016.
ANDRADE, João Batista. O Povo Fala: um cineasta na área de jornalismo da TV Brasileira. São Paulo: Senac, 2002.
BASTOS, Marco Toledo; ZAGO, Gabriela da Silva. Visibilidade de Notícias no Twitter e Facebook: análise comparativa das notícias mais repercutidas na europa e nas américas. Artigo publicado pela SBPjor, 2013.
CLICKRBS (Porto Alegre). Twitter completa 10 anos com prestígio de ferramenta social. 2016. Disponível em: < http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/noticia/2016/03/twitter-completa-10-anos-com-prestigio-de-ferramenta-social-4991335.html > Acesso em: 21 de março de 2016
COSTA, Maria Hughes Guerreiro. O modo de Endereçamento do Globo Repórter. Grupo de Análise de Telejornalismo: UFBA, 2009.
FIGUEIREDO, M.Z.A; CHIARI, M.B; GOULART, B.N.G. Discurso do Sujeito Coletivo: uma breve introdução à ferramenta de pesquisa qualiquantitativa. Distúrb Comun, São Paulo, 25(1): 129-136, abril, 2013
IBOPE (Brasil, Presidência da República. Secretaria de Comunicação Social). Pesquisa brasileira de mídia 2015 : hábitos de consumo de mídia pela população brasileira. – Brasília : Secom, 2014.
LINS, Consuelo. O Documentário de Educação Coutinho: televisão, cinema e vídeo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.
LEFÉVRE, F.; LEFÉVRE, A.M.C. O sujeito coletivo que fala. Interface – Comunic, Saúde, Educ, v.10, n.20, p. 517-24, jul/dez. 2006.
LEFÉVRE, A.M.C; CRESTANA, M.F; CORNETTA, V.K. A utilização da metododologia do discurso do sujeito coletivo na avaliação qualitativa dos cursos de especialização “Capacitação e Desenvolvimento de Recursos Humanos em Saúde-CADRHU, São Paulo – 2002. Revista Saúde e Sociedade v.12, n.2, p.68-75, jul-dez 2003
MELO, Geraldo Anhaia. Muito Além do Cidadão Kane. 1º edição: São Paulo, 1994.
PRIMO, Alex. Interação Mútua e Reativa: uma proposta de estudo. Revista da Famecos, n. 12, p. 81-92, jun. 2000.
PRIOLLI, Gabriel. A tela pequena no Brasil grande: anos 50: o patrocinador faz o show. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1985.
RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.
Publicado
2017-04-19
Como Citar
SILVA, Bianca Pereira da; GOLEMBIEWSKI, Carlos. Globo Repórter no Twitter: o discurso coletivo dos telespectadores. DESAFIOS, [S.l.], v. 4, n. 2, p. 62-68, abr. 2017. ISSN 2359-3652. Disponível em: <https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/3098>. Acesso em: 18 out. 2017. doi: https://doi.org/10.20873/uft.2359-3652.2017v4n2p62.
Seção
Artigos