DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA MORBIMORTALIDADE POR CÂNCER DE PRÓSTATA EM INDIVÍDUOS ADULTOS NO ESTADO DE ALAGOAS-BRASIL

  • Claudio José dos Santos Júnior Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas
  • Elaine Cristina Torres Oliveira Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas

Resumo

A Organização Mundial da Saúde reconhece o câncer como um importante problema de saúde pública. De todos os tipos de cânceres, a neoplasia maligna de próstata (CaP) ganha considerável relevância pelo fato de ser a segunda mais frequente entre os homens no âmbito nacional, ficando atrás apenas do câncer de pele. Essa doença, apesar de estar comumente relacionada as idades mais avançadas, vem acometendo, de forma cada vez mais frequente, homens a partir de 45 anos e até mesmo antes dessa faixa etária. Este trabalho objetiva avaliar a distribuição geoespacial da incidência e mortalidade por câncer de próstata em homens adultos em um estado do Brasil. Trata-se de estudo ecológico realizado a partir dos registros de morbimortalidade para câncer de próstata em homens com idade entre 20 e 59 anos no estado de Alagoas, Brasil. Foram utilizados os programas SPSS v. 25 para estimar a variação percentual anual da incidência e da mortalidade e seus respectivos intervalos de confiança e o software Quantum GIS 3.0 para realização da distribuição espacial dos indicadores, tendo sido o padrão de distribuição espacial verificado através da elaboração de mapas de calor. Foi observado que 209 homens foram atendidos em virtude do câncer de próstata em Alagoas. Foi verificada a ocorrência 54 óbitos (25,8%). A distribuição espacial dos casos demonstrou áreas quentes (hot spot) para de diagnósticos e óbitos em áreas urbanas. Indivíduos com diagnóstico ou óbito por câncer de próstata estiveram concentrados nas maiores cidades de Alagoas no período estudado.

Biografia do Autor

Claudio José dos Santos Júnior, Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas

Estudante de Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL). Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde e Tecnologia da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL). Biólogo pela Universidade Luterana do Brasil (ULBRA, 2019). Técnico em Química com habilitação em Análises de Processos Industriais pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (IFAL, 2013). Tem experiência em Saúde Pública/Saúde Coletiva. Desenvolve pesquisas em Epidemiologia, Saúde Pública e Ensino na Saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: a) Epidemiologia; b) Epidemiologia das Doenças Infecciosas; c) Perfis e condições de vida e saúde das populações; e d) Educação Médica.

Elaine Cristina Torres Oliveira, Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas

Doutoranda na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (2019-2023). Mestrado em Saúde Pública pela Universidade Estadual da Paraíba (2012-2014). Especialização em Saúde Pública pela Universidade de Pernambuco (2009-2010). Especialização em Ciências da Educação pela Faculdade de Teologia Integrada (2010-2011). Graduação em Enfermagem pela Universidade Federal da Paraíba (2003-2007). É Professora Titular II do Centro Universitário Cesmac e Professora Assistente da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL). Atuou como professora substituta da disciplina saúde coletiva II, na Universidade Federal de Pernambuco/UFPE, Campus de Vitória de Santo Antão e como Enfermeira de PSF nas cidades de Queimadas/PB e Feira Nova/PE. Possui trabalhos principalmente nos seguintes temas: saúde pública/coletiva, envelhecimento, doenças crônicas não transmissíveis, hipertensão arterial sistêmica. Foi coordenadora (2017-2020) do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família da UNCISAL.

Publicado
2021-10-22
Como Citar
Santos Júnior, C. J. dos, & Oliveira, E. C. T. (2021). DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA MORBIMORTALIDADE POR CÂNCER DE PRÓSTATA EM INDIVÍDUOS ADULTOS NO ESTADO DE ALAGOAS-BRASIL. DESAFIOS - Revista Interdisciplinar Da Universidade Federal Do Tocantins, 8(3), 30-42. https://doi.org/10.20873/uftv8-11141
Seção
Artigos