ARTE E SOCIEDADE

Possibilidade do não-idêntico

  • Olmaro Paulo Mass UNISINOS

Resumo

Um aspecto relevante a se referenciar e mencionar no pensamento filosófico de Adorno é a não identidade do não-idêntico, que é preservada por meio da arte, através de sua linguagem, que se renova permanentemente em razão de seu caráter enigmático, de memoração e de reconciliação crítica da realidade. É crítica porque, ao se expor com uma linguagem própria, nela contida de modo silencioso, opõe-se à sociedade reificada da racionalidade instrumental, um pensamento que tem a caraterística de objetivar o conteúdo na identidade positivada em si mesma.

Biografia do Autor

Olmaro Paulo Mass, UNISINOS

Pós-doutorando em Filosofia - UNISINOS.

Publicado
2017-07-30
Seção
Dossiê - Filosofias das Artes