A LINGUAGEM TEATRAL E A CULTURA DA INFÂNCIA

Resumo

O presente artigo busca refletir sobre a experiência da linguagem teatral com crianças pequenas no ambiente escolar. Busca analisar como o contato com essa forma de expressão dialoga com o desenvolvimento das linguagens na infância. Analisa, portanto, a interlocução entre infância, linguagem teatral e brincadeira. Essa análise se dá pela leitura da brincadeira como cultura própria da infância desenvolvida na cultura de pares e vista ao olhar do professor de teatro como material para a experiência teatral.

Referências

CAON, P. M. (2015). Desvelando corpos na escola: experiências corporais e estéticas no convívio com crianças, adolescentes e professores. 2015. 289 f. Tese (Doutorado em Artes Cênicas) - Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, São Paulo.

CHARLOT, B. (2013). Da relação com o saber às práticas educativas. São Paulo: Cortez.

CORSARO, W. A. (2002). A reprodução interpretativa no brincar ao faz de conta das crianças. Educação, Sociedade e Cultura, n 17, pp.113-134.

CORSARO, W. (1992). Interpretative reproduction in childrens peer culture. In: Social psychology quaterly, vol. 55 issue 2, pp. 160-177.

GARROCHO, L. C. (2009). Se a criança pequena faz teatro. Disponível em:.< http://culturadobrincar.blogspot.com/2009/01/se-criança-pequena-faz-teatro.html> Acesso em: 03 de abril de 2015

GOBBI, M. & PINAZZA, M. (2015). Infância e suas linguagens. São Paulo: Cortez.

GOUVÊA, M. C. S. (2011). Infantia: entre a anterioridade e alteridade. Porto Alegre: Revista Educação e Realidade. v. 36, n. 2, pp. 547-567.

MARQUES, A.I. (2012). Arte em questão. São Paulo- Digitexto.

MOLINARI, C. (2011). Storia del Teatro. Editori Laterza.

OSTETTO, L. E. (2008). Educação Infantil, arte e criação: ensaios para transver o mundo. Texto produzido para conferência realizada para os educadores da Rede Municipal de Educação Infantil - SME/Florianópolis, em 11 de agosto de 2008. Disponível em: <http://www.sme.fortaleza.ce.gov.br/educacao/files/2014/6_formao.pdf>. Acesso em: 01 de ago. 2015.

PAVIS, P. (2008). Dicionário de Teatro. 3d. SP: Perspectiva.

PUPO, M. L. de S. B. (2010). O pós-dramático e a pedagogia teatral. In: GUINSBURG, J. e FERNANDES, Sílvia (Orgs.) O pós-dramático: um conceito operativo? – São Paulo: Perspectiva, pp. 221-232.

SANTOS, V. L. B. dos. (2009) Atividade simbólica na infância e abordagens do teatro no meio escolar: convergências e incompatibilidades. Periódico online: O Percevejo. Volume 01- Fascículo 02, pp. 01-08.

SARMENTO, M. J. (2004). As culturas da infância nas encruzilhadas da segunda modernidade. In: SARMENTO, M. J.; CERISARA, A. B. Crianças e miúdos: perspectivas sociopedagógicas da infância e educação. Porto: Asa, pp. 9-34.

SARMENTO, M. (2008). Sociologia da infância: correntes e confluências. In SARMENTO, Manoel & GOUVEA, Maria Cristina (org.) Estudos da infância. Petrópolis: Vozes, pp. 17-39.

VIGOTSKI, L. S. (2014). Imaginação e criatividade na infância. São Paulo: Martins Fontes.

Publicado
2016-07-26
Seção
Dossiê - TEATRO E EDUCAÇÃO INFANTIL: entre a formação e a prática