A FORMAÇÃO EXTENSIONISTA DO PROFESSOR DE TEATRO - implicações e diálogo na educação infantil

Resumo

Nesse artigo apresento um projeto de extensão universitária em teatro com crianças da Educação Infantil conduzido por alunos do curso de Licenciatura em Teatro da Universidade Federal de Minas Gerais e coordenado por mim. Nesse sentido, a participação em um projeto de extensão permite ao professor em formação a imersão no campo de trabalho para o qual irá formar-se. Dentro dessa dinâmica abordamos também o diálogo com a cultura escolar e a necessidade de conjugar os interesses do projeto com as demandas da instituição com a qual estabelecemos parceria. Esse processo mostrou-se frutífero e ao mesmo tempo colocou-nos questões de ordem político-pedagógica já que o teatro está presente na escola independente de termos professores especialistas ou não.

Referências

BRASIL, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (2002). Resolução CNE/CP 2/2002. Diário Oficial da União, Brasília, 4 de março de 2002. Seção 1, p. 9.

CABRAL, B. (2012). Teatro em trânsito: a pedagogia das interações no espaço da cidade. São Paulo: Hucitec.

DINIZ-PEREIRA, J. E. (2008). A formação acadêmico-profissional: compartilhando responsabilidades entre universidades e escolas. In: EGGERT, E. (org.). Trajetórias e processos de ensinar e aprender: didática e formação de professores. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. (p. 253 – 267).

FARIA FILHO, L. M. de (2012). A universidade e a formação de professores: uma discussão necessária. In: Boletim UFMG. Nº 1.772. ano 38. 23 de abril de 2012.

FIGUEIREDO, R. C. de. (2014). Percursos de aprendizagem da docência em teatro a partir do próprio ato docente. Tese (Doutorado em Artes). Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Belas Artes.

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS (2016). Indissociabilidade ensino-pesquisa-extensão e a flexibilização curricular: uma visão da extensão. Porto Alegre: UFRGS; Brasília: MEC/SESu. Rede Nacional de Extensão http://www.renex.org.br

FREIRE, P. (2000). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 14ª Ed. São Paulo: Paz e Terra.

GUÉNOUN, D. (2014). O Teatro é Necessário? São Paulo: Perspectiva.

LAVINAS, G. J. (2011). O teatro pós-dramático na Educação Infantil: uma experiência de ensino na UMEI Alaíde Lisboa. Monografia (Conclusão do curso) – Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Belas Artes, Belo Horizonte.

MACHADO, M. M. (2010). Merleau-Ponty & a educação. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

PAVIS, P. (1999). Dicionário de teatro. Trad. J. Guinsburg e Maria Lúcia Pereira. São Paulo: Perspectiva.

PUPO, M. L. (2010). Formação de formadores em cena. In: Lamparina: Revista de ensino de teatro. v. 1, n.1. Belo Horizonte: Escola de Belas Artes da UFMG. (pp. 43 – 49).

SANTANA, A. P. de (2013). Experiência e conhecimento em teatro. São Luiz: EDUFMA.

TARDIF, M. (2011). Saberes docentes e formação profissional. 12ªed. Petrópolis, RJ: Vozes.

TARDIF, M. & RAYMOND, D. (2000). Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. In: Educação e Sociedade. Ano XXI, nº 73, dezembro. (pp. 209 – 244).

Publicado
2016-07-26
Seção
Dossiê - TEATRO E EDUCAÇÃO INFANTIL: entre a formação e a prática