Foco e escopo da Revista:

Revista Brasileira de Educação e Diversidades publica trabalhos (originais e inéditos) em ciências humanas, com ênfase em Educação, na forma de artigos, entrevistas, dossiês e resenhas de livros.

Eixos temáticos da revista:

1º - Fundamentos da educação: discute as contribuições das áreas da história, filosofia, sociologia e psicologia para compreensão da educação, a partir de diferentes perspectivas teórico-metodológicas;

2º - Formação de professores: discute a questão da formação inicial e continuada de professores como um processo contínuo de desenvolvimento para a aquisição de conhecimentos, atitudes e habilidades, a partir de diferentes perspectivas teórico-metodológicas e de políticas de formação;

3º - Diferenças culturais, linguagens e práticas pedagógicas: discute a questão das diferenças culturais (raça, etnia, gênero, sexualidade, cultura, religião, classe social, idade, pessoas com deficiência, etc.), a partir de diferentes perspectivas teórico-metodológicas e práticas pedagógicas, que se expressam por meio de diferentes linguagens.

Políticas de seções:

- Artigos:

Os artigos serão publicados a partir dos três eixos temáticos da revista: Fundamentos da Educação; Formação de Professores; Diferenças culturais, linguagens e práticas pedagógicas.

A Revista Brasileira de Educação e Diversidades aceita para publicação artigos inéditos de autores brasileiros e estrangeiros na área de ciências humanas, com ênfase nos três eixos temáticos da revista, resultantes de estudos teóricos, pesquisas e relatos de experiências. Os artigos deverão ser originais e inéditos.

- Resenhas de livros:

A Revista Brasileira de Educação e Diversidades aceita para publicação Resenhas de livros, que devem ter entre 3 e 6 laudas. A digitação e a formatação devem obedecer a mesma orientação dada para os artigos originais.

- Dossiês:

A Revista Brasileira de Educação e Diversidades aceita para publicação dossiês inéditos de autores brasileiros e estrangeiros na área de ciências humanas, com ênfase nos três eixos temáticos da revista, resultantes de estudos teóricos e pesquisas.

Dinâmica do processo de seleção de dossiês – termos gerais:

  1. A Revista Brasileira de Educação e Diversidades poderá abrir a qualquer tempo chamada para as propostas de dossiês temáticos. Esta chamada poderá contemplar até 2 (dois) números, que serão publicados em tempo estipulado e divulgado previamente pela Comissão Editorial;
  2. As propostas passarão por um processo seletivo organizado e coordenado pela Comissão Editorial da revista;
  3. Os textos que comporão os dossiês deverão seguir as mesmas diretrizes estabelecidas para os Artigos: trabalhos originais em língua portuguesa, espanhola e inglesa; trabalhos ainda não publicados na língua portuguesa; e textos contendo de 15 a 20 páginas, incluindo bibliografia e notas;
  4. O resultado do processo seletivo será encaminhado por e-mail aos respectivos autores;
  5. O calendário sob o qual os dossiês aprovados estarão submetidos será informado aos organizadores juntamente com a Carta de Aceite da proposta;
  6. A desistência por parte dos Organizadores de Dossiê deve ser informada com antecedência, de modo que não atrapalhe sua substituição pelo dossiê seguinte.

 Critérios para participação como proponente de dossiê:

Os textos que comporão os dossiês deverão seguir as mesmas diretrizes estabelecidas para os Artigos: trabalhos originais em língua portuguesa, espanhola e inglesa; trabalhos ainda não publicados na língua portuguesa; e textos contendo de 15 a 20 páginas, incluindo bibliografia e notas.

  1. Os dossiês podem ser propostos por até 2 (dois) proponentes que estejam vinculados a algum programa de pós-graduação nas áreas de interesse, conforme apresentadas no foco e escopo da Revista;
  2. Um dos proponentes deve ser necessariamente discente e outro docente;
  3. Os organizadores precisam estar vinculados a Grupos de Pesquisa e Instituições de Ensino Superior (nacional ou estrangeira), que possuam reconhecida competência acadêmica na área temática em que o dossiê será proposto;
  4. Os currículos Lattes/CNPq dos proponentes devem estar disponibilizados na ocasião da avaliação das propostas, que podem ser recebidas em fluxo contínuo, cabendo à Comissão Editorial estipular uma data para publicação.

- Entrevistas:

As entrevistas devem ser relacionadas às seguintes linhas da revista: Fundamentos da educação; Formação de professores; Diferenças culturais, linguagens e práticas pedagógicas, e/ou demais temas que estejam inseridos nos debates dessas linhas. Nessa modalidade estão contempladas as produções com autores, autoridades reconhecidas no campo acadêmico, dirigentes de movimentos organizados, artistas e outras personalidades que contribuam para o debate das linhas, com foco a educação.

Estrutura para Entrevista:

  1. Serão aceitos para publicação entrevistas em português, espanhol ou inglês, que sigam as normas (Template) da Revista Brasileira de Educação e Diversidades para a formatação do texto;
  2. Não há limites de caracteres;
  3. Título e subtítulo: o título e o subtítulo (se houver), com no máximo 15 palavras, na língua do texto, devem aparecer na página inicial da entrevista separado por dois pontos (:). É obrigatório que conste, no título ou subtítulo, o nome do (a) entrevistado (a). Logo abaixo, em língua estrangeira (espanhol ou inglês), devem também aparecer o título e o subtítulo (se houver), com a mesma formatação;
  4. Autor (es): Informações no texto ou referências que possam identificar o (s) autor (es) devem ser suprimidas e enviadas separadamente via documento suplementar na ordem de referência bibliográfica, ou seja, sobrenome (s) de entrada seguido (s) pelo (s) prenome (s), separados por vírgula (ex.: TEIXEIRA, Carlos);
  5. Resumo: o resumo, que deve conter entre 100 e 250 palavras; deve ser precedido pelo termo “Resumo” e por dois pontos (:), sendo obrigatório constar nome, titulação e filiação institucional do entrevistado; nome do (s) entrevistador (es); data (s) da entrevista; tipo de entrevista (presencial, e-mail, videoconferência ou outro). As palavras-chave devem aparecer logo abaixo do resumo, precedidas pela expressão “Palavras-chave” e por dois pontos (:). Devem ser apresentadas no mínimo 3 e no máximo 5 palavras-chave, separadas entre si por. A entrevista deverá trazer dois conjuntos de resumo e Palavras-chave, em diferentes idiomas, sendo um deles obrigatoriamente em português. Os conjuntos devem ser separados entre si por um parágrafo simples e do texto da entrevista por um parágrafo com espaço 1,5;
  6. Corpo da entrevista: as perguntas realizadas pelo (s) entrevistador (es) devem ser precedidas pela palavra “Entrevistador/a”, com exceção da primeira pergunta, nessa deve constar o nome completo do mesmo seguido por dois pontos (:), nas demais perguntas devem constar apenas as iniciais. As respostas devem ser precedidas pela palavra “Entrevistado/a”, seguidas por dois pontos.

Referências: deve-se utilizar as normas vigentes da ANBT.

Processo de avaliação pelos pares

A publicação de artigos está condicionada a pareceres de membros do Comité Científico ou de Colaboradores Ad hoc. A seleção de artigos para publicação toma como critérios básicos sua contribuição à educação e à promoção da diversidade temática apresentada nos três eixos da Revista, a originalidade do tema ou o tratamento dado ao mesmo, assim como a consistência e o rigor da abordagem teórico-metodológica. Eventuais modificações de estrutura ou de conteúdo, sugeridas pelos pareceristas ou pela Comissão Editorial, só serão incorporadas mediante concordância dos autores. Se estas não forem acatadas pelos autores, a publicação ou não do artigo fica condicionada a um parecer final da Comissão Editorial.

Diretrizes aos pareceristas

O processo de avaliação do manuscrito deverá se realizar em sigilo, impedindo-se a apropriação ou divulgação, em qualquer esfera, das informações nele contidas. O parecerista deverá se recusar a realizar a avaliação de manuscritos em que se configure a existência de conflitos de interesse. A identificação de ausência de ineditismo ou de sobreposição do manuscrito, no todo ou em parte, em relação a textos já publicados deverá ser informada prontamente à Comissão Editorial da Revista Brasileira de Educação e Diversidades.

Periodicidade

A Revista Brasileira de Educação e Diversidades é uma publicação contínua do Curso de Pedagogia da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Campus de Tocantinópolis- TO.

Política de acesso livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso.

A Revista Brasileira de Educação e Diversidades aceita trabalhos originais em língua portuguesa, espanhola e inglesa; e trabalhos ainda não publicados na língua portuguesa:

  • Artigos: (de 15 a 20 páginas, incluindo bibliografia e notas);
  • Resenhas: (até 1.200 palavras; de preferência de publicações dos últimos dois anos). Resenhas não devem receber título, mas devem apresentar a referência completa das obras analisadas, indicando também o número de páginas;
  • Ensaios bibliográficos (até 4.000 palavras, incluindo bibliografia e notas);
  • Entrevistas: (até 2.500 palavras).

Será proposto um modelo (Template) para cada gênero/modalidade.

Ações antiplagiarismo

Os autores devem responder às exigências de originalidade e ineditismo do artigo, no todo ou em parte, e garantir a explicitação de todas as fontes e referências que compõem o manuscrito. O atendimento a essas exigências e condições será atentamente verificado com as ferramentas disponíveis pela Revista Brasileira de Educação e Diversidades.

Princípios éticos

A Revista Brasileira de Educação e Diversidades desenvolve seus trabalhos em conformidade com princípios éticos e de respeito à cultura acadêmica e à produção intelectual, mantendo permanente o diálogo com seus autores, pareceristas e leitores em resposta a necessidades de correções, revisões, esclarecimentos ou retratações. A resguarda seu processo editorial de interesses comerciais ou financeiros. É necessário informar que as entrevistas e experimentações envolvendo seres humanos obedeceram aos procedimentos éticos estabelecidos para a pesquisa científica. É preciso garantir o anonimato aos sujeitos de pesquisa e, se necessário, às instituições, exceto se houver permissão para a identificação; a autorização ou restrição à identificação deve ser informada, em nota, no corpo do artigo. O mesmo princípio se aplica para a divulgação de imagens de pessoas e/ou de instituições.

Conflitos de interesse

Caso a pesquisa desenvolvida ou a publicação do artigo possam gerar dúvidas quanto a potenciais conflitos de interesse, os autores devem declarar em nota final que não foram omitidas quaisquer ligações a órgãos de financiamento, bem como a instituições comerciais ou políticas. Do mesmo modo, deve-se mencionar a instituição à qual os autores eventualmente estejam vinculados ou que tenha colaborado na execução do estudo, evidenciando não haver quaisquer conflitos de interesse com o resultado nele apresentado.

Diretrizes de ações da equipe editorial

A decisão pela publicação ou não de um artigo se faz com base em princípios de ética na pesquisa e na divulgação de informações, respeitando-se a legislação vigente e as boas condutas na cultura acadêmica. Fatores referentes a posicionamento político ou ideológico, à diversidade étnica, de gênero ou religiosa, bem como às diferenças de perspectivas teóricas e metodológicas, não devem influenciar nas ações e decisões realizadas durante o processo editorial. Os editores não conduzirão processo editorial de manuscritos em relação aos quais se estabeleça conflito de interesses. As identidades de autores e pareceristas se manterão sob sigilo durante o processo editorial e após sua finalização. Os editores responderão, de modo a zelar pela transparência do processo editorial, a questionamentos que se interponham por autores ou pareceristas sobre a avaliação dos manuscritos.