DERMATOSE CINZENTA (EDP) - UM RELATO DE CASO EM PALMAS – TO

  • Isabella Vieira Borges UFT
  • Laura Barcelos Azzam UFT
  • Fernanda Vieira Nascimento Gomes UFT
  • Júlia Artiaga de Carvalho Coelho UFT
  • Fellipe Magela de Araujo UFT
  • Yasmin Pugliesi UFT
  • Luciane Prado Silva Tavares UFT

Resumo

INTRODUÇÃO: A dermatose cinzenta é uma dermatose rara, de etiologia e patogenia desconhecida, mais comum em pessoas de pele mais escura, porém no caso relatado a paciente é branca. RELATO DE CASO: Mulher de 54 anos de idade, branca, com história de máculas de coloração acinzentada, assintomáticas, localizadas no eixo craniocaudal. Apesar do FAN positivo, o uso de Plaquinol foi suspenso pela paciente não apresentar afecção reumatológica. Foi realizada uma biópsia compatível com o quadro de dermatose cinzenta bem como pigmentação pós-inflamação. No entanto, no exame anatomopatológico foi encontrada dermatite perivascular superficial com incontinência pigmentar e em fragmentos de pele, um discreto infiltrado inflamatório mononuclear perivascular superficial e leve incontinência pigmentar, confirmando a hipótese clínica de dermatose cinzenta. Uma loção clareadora (Arbutin 4%, Chromabright 0,5%, Alfabisabol 1%, Nicotinamida 4%, Ácido Kojico 3%, Creme não iônico) foi utilizada por 30 dias apresentando resultados satisfatórios, além da substituição do anti-hipertensivo. CONSIDERAÇÕES FINAIS: O relato é relevante pois deve-se conhecer essa patologia para diagnose diferencial das dermatoses pigmentadas e desta forma optar pela melhor conduta terapêutica.  

Palavras-chave: Dermatose cinzenta; Hiperpigmentação;  Eritema Discrômico Persistente. 

Biografia do Autor

Luciane Prado Silva Tavares, UFT

Socia Efetiva da Sociedade Brasileira de Dematologia

Socia Efetiva da Sociedade de Cirurgia Dermatologica

Especialista em Dermatologia Clinica,Cirúrgica,Cosmiatria e Laser

Preceptora da dermatologia na Universidade Federal do Tocantins

Publicado
2019-05-06