Implicações maternas e fetais da hipovitaminose D no período gestacional: uma revisão de literatura

  • Áirica Correia da Costa Morais Querido
  • Emmanuelle Luana Voltolini Tafner Ruiz de Moraes
  • Inara Correia da Costa Morais Venturoso
  • Fábio Roberto Ruiz de Moraes

Resumo

A vitamina D (VD) é uma vitamina lipossolúvel com fundamental desempenho em diversas funções fisiológicas. Suas fontes são alimentação, suplementação ou síntese na pele em resposta à exposição à luz solar. As complicações da hipovitaminose D na gestação podem afetar a mãe e o lactente , sendo que em casos mais graves levam a osteomalácia materna e raquitismo infantil. As mulheres podem apresentar alterações no período gestacional, periparto e pós-parto. Já em crianças, as complicações tendem a ser mais graves e afetar suas vidas por tempo mais prolongado. O objetivo desta revisão é apresentar evidências atuais da associação da hipovitaminose D gestacional e os desfechos adversos maternos e fetais. Foi realizada uma pesquisa nas bases Science Direct, PubMed e Google Scholar para publicações de janeiro de 2013 a outubro de 2017 utilizando-se combinações de palavras-chave: “vitamin D deficiency”, “pregnancy” e “prenatal care”. Em mulheres gestantes a deficiência de VD tem sido associada a pré-eclâmpsia, diabetes mellitus gestacional, vaginose bacteriana, trabalho de parto prematuro e sintomas depressivos pós-parto. Na prole, pode levar a baixo peso ao nascer e recém-nascidos para a idade gestacional, hipocalcemia neonatal, raquitismo, diabetes tipo I, cárie dentária, comprometimento de linguagem, esclerose múltipla, distúrbios neurológicos, infecções de vias aéreas superiores e asma. Portanto, a suplementação de VD é útil para evitar resultados adversos na gravidez, mas pode não ser sempre necessária, especialmente quando as recomendações de estilo de vida são boas o suficiente para preveni-las. A fim de tomar a decisão adequada sobre a suplementação com VD, cada situação clínica individual deve ser analisada e colocada no equilíbrio correto de risco e benefício antes de prescrever a suplementação de VD.  

Palavras-chave: Vitamina D, Deficiência de Vitamina D, Gravidez.

ABSTRACT

Vitamin D (VD) is a fat soluble vitamin with fundamental performance in various physiological functions. Its sources are diet, supplementation or synthesis in the skin in response to exposure to sunlight. Complications of hypovitaminosis D during pregnancy can affect the mother and infant, and in more severe cases lead to maternal osteomalacia and childhood rickets. Women may present changes during the gestational, peripartum and postpartum period. In children, complications tend to be more severe and affect their lives for a longer time. The objective of this review is to present current evidence of the association of gestational hypovitaminosis D and adverse maternal and fetal outcomes. A search was made at the bases Science Direct, PubMed and Google Scholar for publications from January 2013 to October 2017 using combinations of keywords: "vitamin D deficiency", "pregnancy" and "prenatal care". In pregnant women, VD deficiency has been associated with pre-eclampsia, gestational diabetes mellitus, bacterial vaginosis, preterm labor, and postpartum depressive symptoms. In offspring, it can lead to low birth weight and small babies for gestational age, neonatal hypocalcemia, rickets, type I diabetes, dental caries, language impairment, multiple sclerosis, neurological disorders, upper respiratory infections and asthma. Therefore, VD supplementation is useful to avoid adverse pregnancy outcomes, but may not always be necessary, especially when lifestyle recommendations are good enough to prevent them. In order to make the proper decision on VD supplementation, each individual clinical situation must be analyzed and placed in the correct balance of risk and benefit before prescribing VD supplementation.

Keywords: Vitamin D, Vitamin D Deficiency, Pregnancy.

Publicado
2017-11-29
Seção
Revisões de Literatura

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##