RITUAIS ANTICRISES: como as organizações se preparam para situações adversas de imagem

Palavras-chave: relações públicas; crise; comunicação; opinião pública; reputação

Resumo

O artigo descreve os rituais e as estratégias de relações públicas utilizadas pelas assessorias de comunicação de empresas e organizações dos diversos segmentos, atuantes no mercado nacional, realizadas por meio de ações, programas e planos estruturados de gestão de crises.  Analisa ainda as vulnerabilidades da identidade, imagem e reputação organizacionais, os processos narrativos, as táticas aplicadas, a preparação dos porta-vozes, a função dos comitês de crises, a efetividade na intermediação das relações entre as organizações e a imprensa e as suas interfaces com a opinião pública.

 

PALAVRAS-CHAVE: relações públicas; crise; comunicação; opinião pública; reputação.

 

 

ABSTRACT

The article describes the rituals and strategies of public relations used by the communication advisors of companies and organizations of the various segments, operating in the national market, through actions, programs and structured plans of crisis management. It also analyzes the vulnerabilities of organizational identity, image and reputation, narrative processes, tactics applied, preparation of spokespersons, the role of crisis committees, effectiveness in mediating relations between organizations and the press and their interfaces with public opinion.

 

KEYWORDS: public relations; crisis; Communication; public opinion; reputation.

 

 

RESUMEN

El artículo describe los rituales y las estrategias de relaciones públicas utilizadas por las asesorías de comunicación de empresas y organizaciones de los diversos segmentos, actuantes en el mercado nacional, realizadas a través de acciones, programas y planes estructurados de gestión de crisis. Se analizan las vulnerabilidades de la identidad, imagen y reputación organizativas, los procesos narrativos, las tácticas aplicadas, la preparación de los portavoces, la función de los comités de crisis, la efectividad en la intermediación de las relaciones entre las organizaciones y la prensa y sus interfaces con la opinión pública.

 

PALABRAS CLAVE: relaciones públicas; crisis; la comunicación; opinión pública; reputación.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Alberto de Farias, Universidade de São Paulo

Doutor em Comunicação e Cultura pela Universidade de São Paulo (USP). Mestre em Comunicação e Mercado e graduado em Relações Públicas pela Faculdade Casper Líbero (FCL). Graduado em Jornalismo pela Universidade Cruzeiro do Sul. É professor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e atua no programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências da Comunicação. E-mail: lafarias@usp.br.  

Sergio Andreucci, Faculdade Cásper Líbero/Fapcom

Doutorado em andamento em Ciências da Comunicação pela Escola de comunicação de artes (ECA/USP). Mestrado em Comunicação e Mercado pela Faculdade Cásper Líbero (FCL). Graduação em relações públicas Pela Faculdade Cásper Líbero (FCL). Professor de Pós-Graduação da Faculdade Cásper Líbero. E-mail: s.andreucci@usp.br.  

Referências

AAKER, David A. Marcas: brand equity gerenciando valor. 5.ed.São Paulo: Negócio Editora, 1998.

ABRATT,Abratt, Russell. Journal of Marketing Management. Volume 5, 1989

ARGENTI, Paul A. Comunicação Empresarial: a construção da identidade, imagem e reputação. 4.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

ARRUDA, Maria Cecília Coutinho de, WHITAKER, Maria do Carmo, RAMOS, José Maria Rodriguez. Fundamentos de Ética Empresarial e Econômica. São Paulo: Atlas, 2009.

BALDISSERA, Rudimar. Comunicação organizacional: uma reflexão possível a partir do paradigma da complexidade. In: OLIVEIRA, Ivone de Lourdes; SOARES, Ana Thereza Nogueira (orgs.). Interfaces e tendências da comunicação no contexto das organizações. São Caetano do Sul: Difusão Editora, 2008.

BENEDICTO, G.C, RODRIGUES, A. C. et. al. Surgimento e Evolução da Responsabilidade Social Empresarial. In: SILVA, C. F., BENEDICTO G. C. e CALIL, J. F. Ética, responsabilidade social e governança corporativa. Campinas, SP: Editora Alínea, 2014.

BRANDÃO, Elizabeth; CARVALHO, Bruno. Imagem corporativa: marketing da ilusão. In:

BROWN, A. D., GABRIEL, Y., & GHERARDI, S. Storytelling and change: An unfolding story. Volume 16(3): 323–333 Copyright © 2009 SAGE Publications (Los Angeles, London, New Delhi, Singapore and Washington DC).

CANCLINI, Néstor García. Consumidores e cidadãos. Rio de Janeiro: UFRJ, 1999.

COGO, Rodrigo. As Narrativas da Memória na Estratégia da Comunicação. São Paulo: Aberje Editorial, 2016.

DUARTE, Jorge (org). Assessoria de Imprensa e relacionamento com a mídia: teoria e técnica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2010

FARIAS, Luiz Alberto. Estratégias de Relacionamento com a Mídia. In: KUNSCH, Margarida M. K. (org). Gestão Estratégica em Comunicação Organizacional e Relações Públicas. 2. ed. São Caetano do Sul: Difusão Editora, 2009.

FARIAS, L. A. de. (org.) Relações públicas estratégicas. São Paulo: Summus, 2011.

FORNI, João José. Comunicação em tempo de crise. In: DUARTE, Jorge (org). Assessoria de Imprensa e relacionamento com a mídia: teoria e técnica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

FREEMAN, R. Edward. A stakeholder Theory of the Modern Corporation. In:

BEAUCHAMP, T. & BOWIE, N. – Ethical Theory and Business. Pearson Prentice Hall, 1997.

FOMBRUN, Charles J. Essentials of Corporate Communication: Implementing Practices for Effective Reputation Management . Routledge, 2007.

FREITAS, Maria Esther de. Cultura organizacional: identidade, sedução e carisma? 5 ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

FRIEDMAN, Milton. The social Responsibility of Business is to increase its profits. In: BEAUCHAMP, T. & BOWIE, N. – Ethical Theory and Business. Pearson Prentice Hall, 1997.

GARCIA-MARZÁ, Domingo. Ética Empresarial: do diálogo à confiança. Tradução de Jovino Pizzi. São Leopoldo, RS: Editora Unisinos, 2007.

GIOVANINI, W. Compliance: a excelência na prática. São Paulo: 2014.

JABLIN, F.; PUTNAM, L. L. (Ed.) The New handbook of organizational communication: advances in theory, research, and methods. Thousand Oaks: Sage Publications, 2001.

KREEPS, G. L. La comunicación em las organizaciones. 2 ed. Buenos Aires: AddisonWesley Iberoamericana, 1995.

KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de Marketing. 12.ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

KUNSCH, Margarida Maria Krohlin. Planejamento de Relações Públicas na Comunicação Integrada. 4. ed. São Paulo: Summus, 2003

KUNSCH, Margarida Maria Krohlin. Gestão estratégica de comunicação organizacional e relações públicas. S. C. do Sul: Difusão, 2008.

KUNSCH, Margarida Maria Krohlin. Comunicação Organizacional Estratégica: Aportes conceituais e aplicados. São Paulo: Summus, 2016.

LARROSA, J. “Narrativa, identidad y desidentificación”. In LARROSA, J. La experiencia de la lectura. Barcelona: Laertes, 1996.

L’ETANG, J. Critical public relations. Public Relations Review, 2005.

MORGAN, G. Imagens da organização. Trad. de Cecília W. Bergamini e Roberto Coda. São Paulo: Atlas, 1996.

MUMBY, D. Organizational communication. A critical approach. Thousand Oaks: Sabe publications, 2013.

NASSAR, Paulo. Relações Públicas na construção da responsabilidade histórica e no resgate da memória institucional das organizações. 3 ed. São Caetano do Sul: Difusão Editora; Rio de janeiro: Editora SENAC Rio, 2012.

NASSAR, P. & RIBEIRO, E. P. Velhas e Novas Narrativas. Disponível em http://citrus.uspnet.usp.br/estetica/index.php/anteriores/85-revista-8/52-2012-2-art5 Acesso em 6.5.2016.

NEVES, Roberto de Castro. Comunicação Empresarial. Rio de Janeiro: Mauad, 2000.

NEVES, Roberto de Castro. Imagem Empresarial. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.

PINHO, J. B. O poder das marcas. 2. ed. São Paulo: Summus, 1996.

POYARES, Walter. Imagem pública. São Paulo: Globo, 1997.

ROSA, M. A era do escândalo – lições, relatos e bastidores de quem viveu as grandes crises de imagem. São Paulo: Geração Editorial, 2003.

ROSA, M. A reputação na velocidade do pensamento. São Paulo: Geração, 2006.

ROSA, Mário. A Síndrome de Aquiles: como lidar com as crises de imagem. 2. ed. São Paulo: Editora Gente, 2001.

SEGALEN,. Ritos e rituais contemporâneos. Rio Janeiro: FGV, 2002.

SIMÕES, Roberto Porto. Relações Públicas: função política. 6. ed. São Paulo: Summus, 1995.

TAVARES, Mauro Calixta. A força da marca: como construir e manter as marcas fortes. São Paulo: Harbra Ltda.: 1998

TAMAYO, A. Impacto dos valores pessoais e organizacionais sobre o comprometimento organizacional. In: TAMAYIO, A. PORTO, J. B. (org) Valores e comportamento nas organizações. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

TERRIN, A. N. Antropologia e fenomenologia da ritualidade. São Paulo: Paulus, 2004.

TORQUATO, Gaudêncio. Tratado de comunicação: organizacional e política. São Paulo: Thompson, 2002.

VAZQUEZ, Adolfo Sanchez. Ética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

YANAZE, Mitusuru. Gestão de Marketing e Comunicação: avanços e aplicações. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

YANAZE, Mitsuru Higuchi; FREIRE, Otávio; SENISE, Diego. Retorno de Investimentos em Comunicação: avaliação e mensuração. S. C. do Sul: Difusão, 2010.

Publicado
2018-10-08
Como Citar
FARIAS, L. A.; ANDREUCCI, S. RITUAIS ANTICRISES: como as organizações se preparam para situações adversas de imagem. Revista Observatório, v. 4, n. 6, p. 926-943, 8 out. 2018.
Seção
Tema Livre / Free Theme / Tema Libre